As lojas e as roupas de frio em Praga!

Voltei de Praga, pessoal! Ainda quero sentar e escrever com calma um post sobre como foi essa viagem tão especial, uma ruptura necessária na rotina insana que assumi nos últimos tempos e que estava acabando comigo. Mas, como ainda estou zonza da viagem, hehe, vou começar pelo mais fácil e palatável pra mim, as lojinhas e looks que provei por lá!

A saga do casaco de frio

Estava um frio do peru e eu fui muito ingênua de achar que as minhas pobres roupas seriam suficientes para encará-lo. Montei looks e looks para, no final das contas, não usar nenhum e pedir arrego nas lojas para comprar um casaco realmente decente pro frio. E luvas. E touca. E meia. Sim, eu levei luvas, toucas e meias, mas não foram suficientes para aquele frio. Eu estava com roupas térmicas, mas parece que, pra uma carioca que estava acostumada a se agasalhar com módicos 20 graus (HAHAHAHA), -7 graus era uma barra pesada para aguentar apenas com isso.

Sabem aquelas fotos de pessoas no meio da neve e tals com casaco aberto, salto alto e sem luvas? FALÁCIA! HAHAHAHA! Sério, era humanamente impossível conseguir usar um casaco aberto, não esconder o rosto em meio a mil cachecóis no pescoço e nem tremer as mãos ao tirar as luvas pra uma foto. A não ser que você esteja acostumada com o frio ou seja uma local, não rola, mesmo, haaha!

Pedi pelo amor de deus pro marido (que não estava sentindo o mesmo frio, hahaha) pra rumarmos pra uma loja em busca de um casaco que realmente aquecesse e de calças que servissem em mim – usando 3 camadas de roupas, não tinha calça que fechasse ou ficasse confortável.

Confesso que fiquei muito frustrada de não me sentir arrumada, mas não dava pra exigir tanto de quem estava batendo queixo de tanto frio. 🙁

Rodei as lojas fast fashion, que oferecem as opções mais viáveis: Mango, H&M e Zara. Vi algumas marcas locais, mas todas eram muito, mas muito mais caras. 🙁

Graças às dicas das leitoras no instagram, recebi as orientações de casacos porretas, apesar de ter torcido nariz pra TO-DOS. Não conseguia aceitar o fato de usar um casaco doudoune (em breve falarei sobre ele!) e me parecer com um boneco da Michelin, achava todos grandões demais pra mim, comecei a ficar angustiada de perder tempo de viagem dentro de loja em busca de casacos que eu usaria apenas por uma semana e escolhi o menos pior, na Mango rs.

Não amei de paixão o casaco que escolhi, principalmente por não ser acinturado e nem ter ombros marcados, mas foi o modelo mais plausível e que resolveu lindamente meu problema com a friaca – normalmente eles têm forro de pena de pato (ai). Com ele, eu me livrei das camadas e pude usar até uma malha por baixo sem me arrepiar. Mas na real, na real, eu gostei de outros modelos, só que não sabia se eles teriam o mesmo sistema de aquecimento do que eu escolhi. Pareciam mais comuns, entendem? Aí desisti.

casaco-mango
O casaco que eu mais amei na Mango! Lindo, mas fiquei com medo de não me aquecer tanto. 🙁
mango-2
Outros dois que provei, o azul era o mais caro e custava uns 500 reais

Comprei também uma calça mais em conta de dois números acima do meu, para caber tanta camada de meias térmicas, rs!

Aliás, eu sei que foi um investimento necessário e ele nem foi caro perto dos valores aqui no Brasil (custou pouco mais de R$400) e que será um casaco pra vida, etc, mas ainda assim dói meu coração por gastar com algo que vou usar vez ou nunca.

E olhem que procurei por casacos em brechós em SP, mas não eram específicos pra esse frio, nem consegui pedir emprestado. Minha sugestão é essa: se empenhem mais do que eu para conseguir um emprestado!

Mas, à medida que os dias iam passando, você se acostumava um pouquito com a friaca bizarra e dava um siricutico de comprar vários casacos, tricôs, pelerines! Hahahaha! Mas a realidade é dura e só ontem já fez sensação térmica de 49 graus aqui no Rio de Janeiro, hehe!

Aguardem que em breve teremos post sobre roupas pro frio europeu. e onde eu quebrei a cara 🙂

Conhecendo a Cos

Se tem uma loja que ganhou meu coração, essa loja foi a Cos, marca britância (se não me engano) premium do grupo sueco H&M presente em dezenas de países. Meus olhos brilharam quando a avistei sem querer! Babo nas roupas estruturadas dos lookbooks, com estilo mais arquitetônico – saias e calças amplas, mangas com dobraduras – e cores lisas, quase como básicos não tão básicos.

cos-hoje-vou-assim-off-3

cos-hoje-vou-assim-off

Ao provar as peças, que diferença! Caimento impecável, qualidade vista de longe, materiais muito bons (vários de fibras naturais como seda, lã e algodão), peças clássicas que quase não encontramos por aqui, como uma simples camisa de algodão.

Não é uma marca barata, mas também não é caaaara, cara: o vestido custava 89 euros e a blusa de lã, 69 euros – e ainda reembolsam tax free. Preços de muita loja mequetrefe que cobra os zóios da cara por uns paninhos de nada. Provei algumas peças que eu dificilmente encontraria igual por aqui, roupas com shapes mais diferentes.

cos-hoje-vou-assim-off-6
Essa túnica era super diferente e custava 79 euros
cos-hoje-vou-assim-off-5
Me senti gata demais nesse vestido! Custava 89 euros
cos-hoje-vou-assim-off-4
Mais uma blusa da Cos, essa custava 89 euros. Aff, linda!

A loja tinha dois andares e seguia bem o esquema desses países: você fica à vontade para pegar as roupas, escolher e provar; a vendedora/o vendedor só entram em ação se você solicitar. A marca também tem coleção masculina e é tudo lindo de doer. Depois eu vi que eles tinham casacos ótimos pro frio, mas aí já custavam uma pequena fortuna, rs.

Brechó Tcheco

No último dia, entrando em uma rua diferente do trajeto, descobrimos uma loja second hand, a Textile House! Não tive tempo de procurar saber sobre os brechós tchecos, mas adorei que o destino sempre me deixa no caminho de algum 😉

brecho-tcheco-2

brecho-tcheco

A loja era espaçosa, abarrotada de casacos e jaquetas de frio (inclusive casacos de pele…) e estava com várias araras com desconto de 20%! Os vendedores ficavam o tempo todo anunciando alguma coisa em tcheco que eu não compreendia, logicamente, hahah! Não avistei nada incrível, a maioria dos produtos eram de lojas fast fashion, mas gostei desse casaco/vestido estampado mais leve e, com o desconto, saiu em torno de 16 euros.

Achei meio caro, mas acho que depende da época de promoções e descontos de lá.

Curiosidades fashionísticas

– Era um SACO tirar toda aquela roupa pra provar roupas! Nossa, eu fiquei bem irritada de arrancar tantas camadas, hahahaha!

– As tchecas usam muito bota com salto e bolsas estruturadas! Algumas pareciam saídas do Sartorialist, super elegantes (só vivendo lá pra conseguir ser elegante naquele frio!) e arriscavam mistura de cores nos looks, como azul marinho e mostarda, ou roxo com azul.

streetstyle-praga
Algumas das estilosas que fotografei por lá! 🙂

– Quase ninguém usa acessório, também, pudera: você fica o tempo todo encapotada com casacões, toucas, luvas e echarpes, que podem se enroscar facilmente nos colares, brincos, pulseiras e anéis. Por isso avistava alguém com um mini brinco, e só.

– Achei botas e sapatos muito caros por lá. E, no geral, bem estranhos, com pouca variedade.

Vou resolver meu problema de frio com essas botas discretas de grife, beleza? #achadinhosdusinfernus

Uma foto publicada por Hoje vou assim OFF Ana Soares (@hojevouassimoff) em

– É muito comum terem lojas especializadas em meias e meia calças, que são praticamente um dos poucos adornos nas produções! Tinham estampadas, coloridas, rendadas, com brilhinhos e de diferentes materiais, como cashemere! Comprei algumas numa loja chamada Calzedonia.

– Para minha alegria e identificação, muitas mulheres adotam o cabelo curtinho, colorido e com undercut! 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

CIRCUITO MODA CARIOCA: comprando direto de quem faz!

 

Aqui estamos novamente em dezembro (#acaba2016), e a proximidade do Natal faz os eventos e feiras de moda se multiplicarem. O desejo de comprar alguma coisa nova para as festas de fim de ano junto com os tradicionais amigos ocultos e trocas de presente só aumenta aquela vontadezinha básica de “ver as modas”, não é mesmo? Então porque não unir o útil ao agradável no Circuito Moda Carioca?

Divulgação/AAposta/Movimento in Foco
Divulgação/AAposta/Movimento in Foco
Divulgação/AAposta/Movimento in Foco
Divulgação/AAposta/Movimento in Foco

Evento de varejo com preços de outlet, o Circuito Moda Carioca já é conhecido de quem gosta de qualidade e novidade sem gastar muito, além de contribuir para o crescimento de marcas pequenas, conhecendo o processo de cada uma, seus valores e peculiaridades. Esse contato é muito importante e necessário pra quem gosta de moda!

Confesso que na última edição, quando soube que estariam em novo local (o solar histórico do Centro de Convenções SulAmérica), fiquei com um pé atrás. Será que continuaria tão legal? Qual foi minha surpresa ao descobrir um casarão lindo e espaçoso pertinho do metrô do Estácio! E ainda conta com uma área externa para food trucks, bikes e cervejas (oba!).

 

Divulgação/AAposta/Movimento in Foco
Divulgação/AAposta/Movimento in Foco

Mas vamos ao que interessa: mais de 80 marcas com desconto, num mix de outlets de grandes marcas (Via Mia, Equatore, Botswana, Indistripe) e novos talentos, como a galera super criativa da incubadora Complexcidade.

Como nas últimas edições, teremos moda feminina, masculina, íntima, praia, fitness, infantil e acessórios, além de outros polos de moda do estado do Rio, como o de Petrópolis e o de Nova Friburgo. Entre as ofertas estão peças da Via Mia com 50% de desconto, camisetas da Complexo B de R$ 100,00 por R$ 50,00, e calças jeans Equatore a partir de R$ 99,90 (o preço nas lojas é em média R$ 230,00).

As marcas masculinas Complexo B (50% off) e Holliday (35% off). Abaixo, a bota da Via Mia sai por R$ 79,50 e a sapatilha por R$ 44,50 (50% off).
As marcas masculinas Complexo B (50% off) e Holliday (35% off). Abaixo, a bota da Via Mia sai por R$ 79,50 e a sapatilha por R$ 44,50 (50% off).

Além disso, quem se cadastrar no site tem direito a um cupom que dá 10% de desconto a partir de R$ 200 em compras por estande. Outro atrativo são as oficinas de upcycling, bijuterias e customização. As inscrições são gratuitas e feitas no site.

Nos vemos lá!

 

Serviço

10ª Edição do Circuito Moda Carioca
Data: 15, 16 e 17 de dezembro de 2016.
Horário: das 12h às 20h
Entrada franca
Local: Solar do Centro de Convenções SulAmerica. Av. Paulo de Frontin, 1 – Cidade Nova, Rio de Janeiro – RJ, 20260-010

Transporte: O evento promove a campanha: “VÁ DE TÁXI”. Há ainda estacionamento privado no Centro de Convenções Sul América.
Linhas de ônibus: 371, 312, 665, 472, 209, 474, 298, 475, 310. 624, 311, 634
Metrô: Há opções das estações Estação Estácio de Sá ou Cidade Nova.

www.circuitomodacarioca.com.br

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Look para dias leves

Mesmo numa roupa mais básica e neutra, não tem jeito: as cores fazem parte da minha vida, nem que seja na escolha do local das fotos. 🙂 O céu multicolorido desse espaço foi mais uma vez palco desse look que já traz em si o prenúncio de um verão.

Uma vez eu mostrei aqui um look de provador, com blusa ciganinha – que é essa blusa com decote ombro a ombro, de babados – e perguntei pra vocês o que achavam do retorno da peça às vitrines. O item foi hit dos anos 90, eu tinha algumas inclusive na minha fase adolescente, acompanhada de calça de Bali, hahahaha!

blusa-ciganinha-hojevouassimoff-5

Numa ida à Karamello – marca que virou parceira do blog, por isso tenho usado várias roupitchas deles – eu avistei essa, de linho com algodão, e achei que seria bacana testá-la pros dias mais quentes que virão. Também analisei que o modelito ajuda a destacar e ampliar mais meus ombrinhos curtinhos de Tiranossauro Rex, hahahaha, por isso já olhei com outros olhos pra ela. 🙂

blusa-ciganinha-hojevouassimoff-4

blusa-ciganinha-hojevouassimoff-2

blusa-ciganinha-hojevouassimoff

Look Karamello que ganhei da marca
Tênis da loja do bairro, sem marca – 79,90
Bolsa de crochê Voya que ganhei, mas custava 180,00

fotos: Denise Ricardo no Doutor Brownie Grajaú

Outra barreira que rompi foi usar essa bolsa de crochê. Nunca olhei com muita paixão pra uma e as que eu via eram muito caras. Essa marca me contou que trabalha com sobras de fábricas de malhas, aproveitando o refugo para criar as peças e evitar o desperdício. Ganhou meu coração. 🙂

É um look simples que tem até a cara de um domingo. Mas me senti muito feliz nele. 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Conhecendo o Projeto Bordando o futuro!

No mês passado eu fui a Itaperuna, cidade do noroeste fluminense, para participar de um bate papo sobre consumo consciente num evento super bacana da cidade. Entre as marcas e projetos que estavam em exposição, eu conheci o trabalho da Associação de bordadeiras de Itaperuna – Bordando o Futuro.

Bordando o Futuro é “uma ação que proporciona a inclusão social através do bordado. Resgatando o trabalho manual tradicional de gerações anteriores da cidade, a ação fornece instrução aos que não conhecem o ofício, intermediando sua atuação com a indústria têxtil que floresce em Itaperuna. Além de integrar várias gerações através do trabalho artístico, a ação proporciona renda aos participantes, de 9 a 80 anos”.

bordando-o-futuro-3
As fundadoras do projeto!

Conversei com Maria Alice de Oliveira, a de laranja aí da foto, que é coordenadora do projeto. Que mulher mais altiva, inteligente e maravilhosa! Eu tenho reclamado de cansaço ultimamente, mas fiquei com vergonha de mim ao ouvir tudo que essa senhora de quase 80 anos faz, todos os dias e da sua história de superação. Não é fácil bancar seus ideais sem patrocínio direto, tendo que manter um espaço digno para atender mais de 150 artesãs, contribuindo para o resgate da autoestima dessas mulheres.

O projeto ensina mulheres de baixa renda que não podem se ausentar de casa por conta de afazeres domésticos, por cuidarem de pessoas que necessitam de atenção e cuidados, que precisam ocupar suas horas ociosas com um ofício. No projeto, elas aprendem o bordado – que já foi tradição na região e se perdeu com o tempo – e capacita as alunas a aprenderem a mexer em máquinas, a atenderem projetos sob demanda se quiserem, a verem sua arte ser vendida para poder contribuir para que outras mulheres tenham a mesma oportunidade.

bordando-o-futuro-2

Ao vivo é impressionante ver o que elas fazem com tão poucos recursos <3 É emocionante perceber a força dessas mulheres para empoderarem outras manas e mostrarem que é possível todo mundo construir seu futuro a partir de sobras e retalhos.

bordando
Algumas das peças confeccionadas através do projeto

bordando-o-futuro-4

O Bordando ainda tem a preocupação de reciclar resíduos têxteis de confecções locais, evitando desperdício e descarte desses materiais para desenvolver bolsas, almofadas, jogos americanos, porta níqueis, malas de viagem, necessaires, etc.

Eu recebi das responsáveis do projeto essa bolsa tiracolo, que eu já saí usando feliz e contente – estava precisando de uma bolsa levinha assim pro dia a dia e ela foi perfeita pra esses momentos. 🙂

bolsa-bordando-o-futuro

bolsa-bordando-o-futuro-2
Fotos: Denise Ricardo

Essa bolsa custava 32 reais, necessaire a 15 reais e as malas de viagem maiores saíam a 80 reais.

bolsa-bordando-o-futuro-3

Quem quiser encomendar a sua bolsa ou qualquer outro item com essas maravilhosas, anota aí o contato delas!

Ponto de cultura – Bordando o futuro
Rua Marechal Duque de Caxias, 11, Itaperuna/RJ
Tel (22) 3822-7569
bordandoofuturo@gmail.com

(Elas não usam redes sociais, mas podem mandar email que elas respondem!)

Aqui tem o video dessas lindonas contando mais:

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: