Carnaval: entrando na fantasia

Ainda tenho muitas fotos pra mostrar aqui, tudo usando o que tenho no armário. Mas estava sentindo falta de mergulhar de cabeça na brincadeira.

Estava reticente, admito. Ah, vamos fazer uma maquiagem básica mesmo, vamos manter a zona de conforto…

Fui encorajada. Fui tomando gosto. Quer saber? Se é pra brincar, vambora se jogar de vez?

Deu um treco, levantei e corri pra incorporar essa dragoa gótica – e o mais lindo é que toda a equipe que faz esse blog entrou também nessa loucurinha. Customizaram meu maiô véio de guerra com um cardigan de lurex que estava sem uso e que virou franjas carnavalescas. Um rabo – e que rabo! – para balançar muito por aí. Uma maquiagem cheia de escamas que me fez a própria cospe-fogo.

Como é bom experimentar sair da sua própria pele. Botar um pezinho fora da sua zona de conforto e ver que nenhum bicho morde, que você só está se permitindo e, um passinho de cada vez, se descobrindo. Coisa boa, viu?

E pronto: ta aí a minha fantasia preferida desse editorial. 🙂

fantasia-dragoa-ana-soares-5

fantasia-dragoa-ana-soares-1

fantasia-dragoa-ana-soares-7

make-dragoa-carnaval-2

make-dragoa-carnaval

fantasia-dragoa-ana-soares-8

Rabo Fécula
Maiô antigo customizado por Philippe Rudnick
Tênis mega antigo New Order
Brincos Erika Z

Fotos: Denise Ricardo
Beleza: Renata Freire
Produção de moda: Philippe Rudnick e Ana Soares

Como eu me diverti! Como eu me senti poderosa! Apliquei em mim o que eu prego sempre aqui e com minhas clientes: vamos experimentar, ir testando, melhorando a cada vez, se entendendo e se permitindo evoluir nesse processo.

Ainda teremos mais fotos e fantasias, mas essa…essa mora no meu coração. <3

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Últimos momentos: marcas pra comprar adereços pro carnaval

Lembram dos posts que fizemos com dicas de lojas para carnavalizar com estilo (aqui e aqui)  – isso para quem não está com tempo de customizar e nem de olhar pro guarda roupa – são uns $$ a mais, mas podem ser peças que durem muitos e muitos carnavais, né não? 🙂

Algumas ainda conseguem postar com sedex 10 (conferir as regiões) a quem tiver interesse, ou, indicamos lojas em Recife, São Paulo, Rio e Belo Horizonte – quem sabe não dê pra passar no ateliê de algumas delas, lojas que estejam com peças à venda, e garantir?

Luux

Boa variedade de maiôs e bodies metalizados e paetizados com preços bem possíveis.

AMÊ

Amuletos e adereços em macramê e botanismos. Feito à mão em Sp – whatsapp: 11 98383-8600

Seja Dercy

Marca de BH, com bodies, capas, hot pants e acessórios incríveis e luxuosos – entregam com sedex 10 nos pedidos feitos o quanto antes. Link para loja online aqui!

seja-dercy

Atelier DonArte

Acessórios de cabeça produzidos pela marca carioca que expõe na Feira do Lavradio

LED

Marca do designer Célio Dias que segue um estilo cosmopolita, irreverente, elegante e universal. Lançou uma série de camisetas bem viadas para trazer mais representatividade ao carnaval.

Uma publicação compartilhada por LED (@led_cd) em

O GRITO

A loja mais descolada do RJ ainda têm algumas peças e cabeças da La Ursa, marca carnavalesca de Helena Pontes e Thiago Neves, além de receber hoje as pochetes da Agora que sou Rica e MAIO por Lê Barbieri com maiôs brilhosos para uma venda exclusiva pré festividades!

O Grito fica na Rua Sorocaba 526 – Botafogo/RJ, das 14h às 22h.

Atelier Sarah Falcão

A marca de Recife traz acessórios lúdicos e poéticos para a folia. Vendas online aqui.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Carnaval: fantasias usando o que se tem no armário

Eu nasci na época do fervo, calor, carnaval, agito. Mas nunca me identifiquei muito, talvez por conta da minha criação (meus pais na época eram bem avessos a festividades), depois casei nova e ele não curtia também muita agitação. Não que eu não pulasse um bloco ou outro, mas taí uma das coisas que eu não sabia bem se gostava ou não, se eu era da folia ou do sossego.

Resolvi experimentar esse ano e me jogar na alegria inerente à época. Sem julgamentos, de peito aberto, pronta pra receber alegria e para apreciar quem se diverte genuinamente nos blocos de rua.

Sempre me achei um zero à esquerda com fantasias. Nunca tive paciência para elaborar nada, nem customizar, que preguiça de sair por aí catando adereços. Só que o bichinho do siricutico me pegou e disse: “tenta, boba. Vai devagarzinho, sem cobranças, faz o seu. Se libera, se diverte, apura esse olhar, esquenta os tamborins”.

E cá estou eu, tentando, aos poucos, me liberar pra festa. Olhar pro armário com a proposta de usar o que tenho ali, para, quem sabe, num futuro, ousar mais e mais, já me programar para criar minhas próprias fantasias, customizar, me divertir nesse processo.

Então eu venho aqui humildemente começar meus relatos como novata nessa festa tão nossa. Me diverti e me descobri mais nessas fotos que fizemos de especial carnavalesco, usando o que eu já tinha com o apoio de um ou outro adereço extra. Espero que vocês se divirtam junto comigo ao longo dessa semana de looks com samba no pé. 🙂

ana-soares-carnaval-look-1-5

A cantora e compositora Letrux é tijucana que nem eu (momento tiete: acompanha o blog, ahhh) e eu já fui em vários shows dela. Adoro, me identifico, sou fã. Fizemos uma produção inspirada em alguns looks dela, com maiô e meia calça colorida, muito brilho.

Eu já tinha tudo, a pochete peguei emprestada e os brincos foram aquisição recente. Sombra roxa com glitter ecológico, pele luminosa e pronto! Não sou de pintar a cara inteira porque eu suo demais no rosto e cabeça, então derreteria com facilidade, rs!

Para quem perguntou das idas ao banheiro: eu não bebo muito nos blocos para não precisar ir ao banheiro, mas fui agora nessa versão, só que com meia arrastão, e foi de boa, abaixei tudo sem maiores problemas e fiz meu xixi no banheiro químico em paz.

ana-soares-carnaval-look-1-3

ana-soares-carnaval-look-1-1

Maiô Vou de Pipa que paguei na época 69 reais
Brincos Erika Z
Casaqueto antigo Maria Filó
Meia calça antiga
Tênis New Balance
Pochete acervo da produção

Fotos: Denise Ricardo
Beleza: Renata Freire
Produção de moda: Philippe Rudnick e Ana Soares

ana-soares-carnaval-look-1-4
Mal começou e já to morta assim hahaha

O segundo look eu usei para ir ao bloco que vai pra Paquetá, só que as rodelinhas dos seios eram emprestadas e as troquei por um biquini listradinho. Eu adorei essa fantasia que, mesmo sem tema, traz muito dessa coisa mais glamour que eu gosto, só que ainda sendo fresquinha por conta do calor enorme que faz aqui no Rio de Janeiro – imagina ainda pulando e com multidão?

A cabeça foi criação do meu assistente – arrasou, né? – feita com materiais super simples, mas que ficou um luxo no conjunto! Tênis para não sujar nem machucar os pés e pochete para carregar tudo com segurança. Eu AMO esse look, também quase todo com o que eu tinha no armário!

E, sim, saí com a hot pant por aí e foi bem tranquilo – mas é importante frisar que eu fui em blocos mais alternativos, o que acaba sendo mais de boa, mas daria pra trocar por um short sem problemas.

ana-soares-carnaval-look-2-5

ana-soares-carnaval-look-2-4

ana-soares-carnaval-look-2-6

Blusa Jardin
Pasties emprestados da Fairy Adams (obrigada, amada!)
Biquini antigo
Tênis New Balance
Cabeça Philippe Rudnick

Fotos: Denise Ricardo
Beleza: Renata Freire
Produção de moda: Philippe Rudnick e Ana Soares

 

Todos os looks dessa semana seguirão esse clima ziriguidum e eu tô bem animada com as ideias para inspirar todo mundo a usar mais o que tem (afinal, carnaval é festa popular!), ser feliz com suas escolhas e sambar colorido por aí, sem medo de ser feliz <3

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Jojo Todynho “invadiu sua praia” no Baile da Vogue

Confesso que não sou uma espectadora assídua de tapetes vermelhos nas grandes premiações ou festas. Primeiro porque é um estilo que não me interessa muito – já que não entendo nada de traje de gala -, depois porque é raridade vermos gordas nestes eventos, e quando vemos, tenho a impressão que os vestidos são sempre inferiores aos das magras se falarmos de modelo, material e corte de uma maneira geral.

Aqui no Rio, um dos tapetes vermelhos mais esperados do ano é o do Baile da Vogue. Sempre naquela expectativa de quem vai arrasar, quem vai escorregar ou simplesmente não entendeu o tema (esse ano o tema foi Divino Maravilhoso, celebrando a pluralidade de culturas no Brasil), essas coisas.

Esse foi o primeiro ano que acompanhei, já que confirmaram a presença do ícone da estação, a cantora de funk Jojo Todynho. É triste constatar que em 15 edições do evento, é a primeira vez que uma gorda é convidada – com status de musa, pra afrontar ainda mais – e podemos ter um referencial de traje.

jojo-juliana-paes
Juliana Paes e Jojo Todynho

Temos sim outras personalidades gordas. Temos atrizes globais como Mariana Xavier e Fabiana Karla, poxa! O mais próximo que chegamos de traje plus size no baile foram as peças usadas por Preta Gil em algumas edições anteriores, mas realmente faltava ver uma gorda de verdade. Imagino também que não seja tarefa fácil conseguir um traje legal e à altura da festa – já que encontrar um estilista disposto a vestir uma gorda é uma missão bem árdua.

preta-gil-vogue
Preta em edições anteriores do Baile

preta-gil-vogue1

Jojo chegou ao baile usando um vestido assinado pela estilista mineira Leticia Manzan, e que, segundo a cantora, simbolizava as igrejas barrocas de Minas Gerais. A peça tinha uma super fenda nas pernas, mangas compridas, e, para não sair do estilo da funkeira, um decote generoso. Para a apresentação no palco, ela usou um macacão criado por Almir Slama com cerca de 6 mil paetês. A inspiração não podia ser mais temática: o primeiro álbum de Gal Costa, Divino Maravilhoso. Infelizmente não achei fotos do look inteiro, estava ansiosa para ver.

jojo-baile-da-vogue-ana-soares

A presença de Jojo no Baile da Vogue é emblemática. Ver uma mulher negra, gorda e periférica ocupando esse tipo de espaço dá um quentinho no coração e eu espero que seja só o pontapé inicial de uma grande mudança nos tapetes vermelhos. Que mais estilistas badalados a procurem – ou a outras gordas – com a intenção de vesti-las para premiações. Que cheguem mais convites para apresentações. Que a diversidade que tanto falamos vire realidade nos grandes eventos brasileiros.

mari-rodrigues-hoje-vou-assim-offMariana Rodrigues
Carioca, 30 anos, gorda. Tagarela de carteirinha, fã de chá gelado e viciada em bons debates na internet. Apaixonada por moda e televisão, escreve sobre esses e outros assuntos também em seu blog aquelamari.com
Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: