As roupas que não usamos mais

Não tem jeito, por mais que eu procure ter cuidado com minhas roupas e esteja sem entrar em lojas há tempos – só a trabalho –, sempre rola um resquício de roupas sem uso, que sofreram algum desgaste natural com o tempo, mancharam e por aí vai.

O que mais acontece é nos vermos sem solução quanto a essas peças: eu devo doar? Se sim, pra onde? E o que fazer com aquelas que não estão em condições de serem doadas (com rasgos, furos, puídas)?

Eu tinha algumas dessas separadas aqui, meio sem saber para onde destiná-las. No episódio #2 do meu podcast Moda Pé no Chão, sobre fibras têxteis, falamos dessa questão, principalmente com roupas feitas de fibras sintéticas, derivadas de petróleo, que não devem ser descartadas no lixo por serem plástico, o que leva centenas de anos para se decompor. Aqui no Brasil também não temos uma política de reciclagem têxtil, já que a separação das fibras é quase inviável para reaproveita-las com alguma qualidade mínima.

roupas-movimento-reciclo-cea-ana-soares
As roupas sem uso e sem destino que eu tinha aqui

O que tenho encontrado de solução é reaproveita-las como pano de chão para que ainda sejam úteis, mas nem todas funcionam para isso. Aí lembram que mostrei aqui sobre o projeto de reciclagem têxtil da C&A, o Movimento ReCiclo? Fui testar essa ideia numa das 31 lojas que captam as peças, distribuídas por 18 cidades – para minha alegria tinha uma aqui no bairro, na Tijuca, Rio de Janeiro.

A caixa ficava próxima aos caixas, só levar a sacola com as roupas e depositar ali. A C&A tem dois parceiros nesse projeto,  caixas de coleta recebem espontaneamente roupas descartadas, sofrendo posteriormente uma triagem e separação por peças em bom estado para doação e as impossibilitadas de reuso, para serem depois encaminhadas para os projetos Retalhar, em São Paulo, capital, e o Centro Social Carisma, com sede em Osasco (SP).

Conversei com o pessoal da loja e eles disseram que a demanda estava boa, que a cada duas semanas retiram a caixa cheia de doações e quem muita gente chega na loja perguntando pela iniciativa. Ainda acreditam que o fluxo poderia ser maior, mas estão confiantes nessa crescente.

caixa-movimento-reciclo
A caixa da loja de rua que eu fui

Recapitulando

No seu site de programas de sustentabilidade eles disponibilizam um pdf com os pontos de coleta em diversas cidades pra doar roupas, toalhas e roupas de cama que você não usa mais.

Peças que serão aceitas no programa:

  • Roupas em bom estado e higienizadas, sendo elas: blusas, camisas, camisetas, casacos, coletes, jaquetas, calças, shorts, bermudas, saias, meias, bonés, cachecol, canga, sunga, biquíni, maiô, lenços.
  • Acessórios de cama e mesa como lençol, fronha, edredom, cobertores, colchas, toalha de mesa, roupas de lã e crochê.
  • Roupas rasgadas e retalhos também são bem vindas

 

Entre os que não aceitarão estão acessórios, peças de origem animal e lingerie.

As roupas não serão de propriedade da empresa, que fará o encaminhamento devido a dois tipos de instituição:

  • Associação Cristã de Osasco – instituição social que atua em benefício de comunidades carentes
  • RETALHAR Soluções e Gestão de Resíduos Têxteis – empresa recicladora têxtil que irá desfibrar e encaminhar o material para reaproveitamento na indústria.

Outra inciativa que viralizou nas redes sociais e eu achei incrível de maravilhosa foi a do Shopping Grande Rio, na Baixada Fluminense, que disponibilizou uma loja vazia – o projeto se chama, aliás, Loja Vazia – com araras e manequins sem roupas e os dizeres na vitrine “Do PP ao GG, qualquer tamanho e ajuda é importante!”. A ideia é receber doações de roupas dos usuários do Shopping, todas limpas e em bom estado, para serem direcionadas à Cruz Vermelha de São João de Meriti/RJ.

loja-vazia

Aqui o link da página do Shopping no facebook com a foto da loja.

Mas e lingerie, Ana?

Sempre me perguntam o que fazer com lingerie velhinha e usada – eu mesma já questionei uma empresa grande durante um evento e, obviamente, não souberam responder.

No nosso próximo podcast, sobre Reuso e consumo consciente, vamos abordar justamente esse tema, mas já adianto que enfiam nas nossas cabeças que roupas de baixo são sujas, que secreção vaginal é nojenta, essas coisas que sempre relacionam ao feminino de forma pejorativa. A ideia é reutilizá-las também, seja como enchimento de algo, seja lavando e colocando para degradar as de algodão em quem tem composteira em casa.

Em tempo: o Moda Sem Crise fez uma matéria super completa e excelente com o assunto, vale a leitura!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

5 comentários

  1. Laura comentou:

    Ana, li uma matéria dizendo que o Hospital Universitário de Brasília recebe doações de sutiãs em bom estado para a fabricação de sutiãs com próteses de tecido, que são oferecidos para mulheres mastectomizadas. Talvez tenham iniciativas similares em outras cidades.
    Aproveito para dizer que te admiro como profissional e mulher. Também me separei depois de um longo relacionamento, depois dos 30 e tive que me conhecer de novo depois de tudo.
    Bjus.

  2. Sandra Elisa da Silva comentou:

    Aqui em Porto Alegre tem uma maternidade q recebe langeries como doação. Uma ótima iniciativa do setor de assistencia social.

  3. Luisa comentou:

    Fiquei feliz em saber que a C&A aceita retalho!! Como costuro, sempre tem uma sobra de tecido que eu nunca jogo fora (justamente para tentar diminuir meu lixo pessoal), mas que, muitas vezes, acabo não encontrando um lugar em algum projeto (costumo usar muito os pedaços pequenos para enchimento de almofadas.)… Antigamente eu doava para a irmã de uma amiga que usava para fazer brincos, mas esse projeto parou… Já estava com uma gaveta cheia de tecidinhos rs, bom saber que talvez tenha encontrado uma solução!

  4. Mari comentou:

    Nossa, que ótimo, sempre sobram umas roupas que não sei o q fazer com elas.
    Mta coisa eu levo pra família ver se quer e, o q sobrar e estiver em bom estado, falo pra minha mãe levar pra igreja, mas achei essa opção de levar pra C&A melhor ainda, até por aceitar retalhos e roupa de cama.
    Já contei pro meu marido e ele ficou animado. Ele usa as roupas até furar e no fim não tinha o q fazer com elas direito.

  5. Alice comentou:

    Confesso que acho curioso esse pensamento de que roupa de baixo não é doada por “relacionar que o corpo feminino é sujo”, eu nunca vi roupa de baixo masculina sendo doada, eu entenderia a relação “órgãos genitais são sujos”, sempre deixando claro que entender não é sinônimo de concordar.
    As minhas eu só tiro quando estão impraticáveis (tomando cuidado de só usá-las em casa por causa daquela coisa de mãe, sabe? Hahaha), então não teria como doar de qualquer forma; mas já doei umas semi-novas por causa de modelagem e tamanho.
    Gostei dessa coisa da c&A, eu não tinha ideia, vou procurar saber se tem por aqui!
    😃