Minha fé é meu jogo de cintura

Depois de 15 anos, eu me separei.

Pensei, pensei, pensei, mas eu quis escrever isso aqui. Sem rodeios, sem uma introdução, bem diretona, como sempre fui.

Durante meses eu sofri demais com essa decisão. Me sentia péssima com a possibilidade de jogar fora uma união que era tão tranquila, fiquei na dúvida por muitas vezes, ponderei os prós e os contras, mas a verdade é que não tinha muito a ver com ele, nem com a nossa relação: eu precisava seguir sozinha. Eu precisava me distanciar para saber quem eu sou. O que eu realmente gosto e quero fazer. Meus desejos. Minhas necessidades.

Chorava diariamente, sentia angústia, tristeza. Mas estava posto.

Muito tenho escrito e falado desse meu processo, sem ter aberto o jogo. De me enxergar finalmente uma mulher bonita, com um corpo também bonito, com uma energia inesgotável, um desejo imenso e muito tesão de viver mais a vida que eu via muitas vezes passar pela janela, seja por puro pavor do desconhecido e do que me esperava, seja por não acreditar em mim, ou por medo de sofrer. Eu não queria me submeter ao sofrimento, então me recolhia. Ficava cega. Inerte.

Minha vida era tão tranquila, sem confusões ou estresses; eu trabalhava, trabalhava, trabalhava. Não havia tempo pra olhar pra mim, minha vida nunca foi fácil, nunca ganhei nada de mão beijada, bora trabalhar mais que tá pouco.

Até que um dia, comecei a questionar que caminho era aquele que eu estava vislumbrando. O que eu realmente queria com tudo aquilo? Quais eram os meus objetivos? Eu gostava do que gostava por comodismo ou porque eu realmente gostava? Era sobre mim, apenas sobre mim.

Precisei de espaço, mesmo tendo muito amor. Precisei libertar a gente para nos percebermos. Nossa sociedade ensina que amar é se apossar, é querer estar junto junto juntinho grudado sufocado, o mesmo ar, o prazer febril a todo custo. Eu simplesmente amo e, por amar, eu desejo que sejamos felizes.

Associamos términos a fracassos, já me mandaram viver meu luto. Eu fico tão encafifada com isso – se vivemos, se aconteceu, se concluímos com respeito e amizade, porque não significaria que deu muito certo? Que durou o tempo cabível, para que nos fortalecêssemos e, com tudo que aprendemos com o outro, pudéssemos partir para uma fase importante e desafiadora das nossas vidas?

Tive vontade de escrever para vocês depois de ver essa minha foto, com uma produção pro carnaval que virá pro blog na segunda-feira, junto de tantas outras:

ana-soares-carnaval-hoje-vou-assim-off
Foto: Danny Alves com produção de Philipe Rudnick

Ok que eu estou toda sensualizante e me querendo, HAHAHA, mas o contexto mostra mais do que perna, peito: eu me percebo diferente. Algo mudou. Antes eu me escondia sob minhas roupas, barriga, peito, bunda, esconda tudo que eu sou mais roupa que corpo. Se alguém me chamasse de bonita, eu apertava os olhos e falava internamente  “eu? eu, euzinha, bonita?”.

Na iminência dos meus 39 anos, a se completarem dia 21/2, mudei o mindset. Eu quero mais é que todos os poros do meu corpo se percebam. Que eu brilhe o que tiver que brilhar.

Uma amiga comentou outro dia comigo: “Ana, você precisa aprender a celebrar as suas conquistas”.

Eu não sabia celebrá-las. Achava que eram apenas minha obrigação, me enfiava numa postura simplória que eu acreditava ser humildade. Ser humilde é lindo, mas gritar a plenos pulmões PORRRRAAAAAAA EU MEREÇOOOOOOOOOOO SOU FODAAAAAAAAA, é li-ber-ta-dor. É poderoso. É compreender-se na sua totalidade, saber das suas capacidades, reconhecer pra si mesmo a sua coragem, sua gana, sua fé. O seu amor por si mesma.

Compartilho tudo isso também porque já não me reconheço em muitas roupas. Várias pertencem a Ana que era workaholic; a Ana joie de vivre quer outras cores, outras modelagens, mais pele à mostra (vamos combinar que chegar aos 39 se amando merece sim muita exposição da figura), outras cores e formas para eu ME celebrar. Continuar olhando em frente ao espelho e acompanhar essa transformação bonita. Meu vestir está também passando por essa mudança.

No final das contas, é tudo sobre o amor. Sobre encontrar-se. E recomeços.

Tenho medo. Mas eu sou forte. Venha o que vier, da forma que tiver que ser, mas uma coisa é certa: eu sou, a cada dia, cada vez mais, a mulher que eu sou.

O título desse post é o refrão da música Cristo e Oxalá, do O Rappa.

Paulo: obrigada por ser.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

69 comentários

  1. Clarissa comentou:

    Linda maravilhosa, fica com Deus! Amamos você!!!

  2. Bárbara comentou:

    Sua linda! Você é luz! Sempre!

  3. Que coisa linda, Ana. Te acompanho faz muitos anos… E ler esse post hoje me parece muito sincero e verdadeiro. Quase consigo ouvir sua voz lendo cada palavra. Se sentir bem na nossa pele é um processo difícil, né? Se alguém tivesse ensinado isso pra gente antes, o quanto teríamos nos poupado?…. Mas também, o tanto que não teríamos aprendido!
    Continuarei te acompanhando pelas redes, normalmente não comento muito, mas tô sempre por perto de olho.
    Que suas “roupas” novas lhe caiam bem e te tragam muita APROPRIAÇÃO DE SI!

    UM BEIJO

  4. juliana santana comentou:

    Que bonito de ler e de saber que tá acontecendo.

    Um beijo, querida!

  5. Liliane comentou:

    Vc é foda!!! Cada vez te admiro mais…
    Texto de peito aberto, tudo o que conversamos naquele chopp.
    Seja feliz e brilhe muito!

  6. Clara Machado comentou:

    Parabéns Ana! Por conseguir se mostrar e se enxergar como a mulher incrível que você é! Bjs e um forte abraço.

  7. Sula Cristina Teixeira Nunes comentou:

    Oi Ana! Te acompanho desde sempre, mas nunca fui de comentar, nem aqui, nem no insta. Nós últimos tempos eu te percebi diferente, no início não sabia explicar o que era, depois percebi exatamente esse movimento que tu descreveste, que vem de grandes mudanças internas e externas. Estou gostando mais desta Ana. Força!

  8. Mariana Castela comentou:

    Só deu vontade de ter uma cabeça tão boa como a sua ! Você merece mesmo todas as conquistas ! ♥️

  9. DaClaudinha comentou:

    Uau.

    Quando a gente lê a primeira frase, dá um Choque!!

    Mas é, na verdade, um Post sobre o amor, e não sobre término! É sobre o amor-proprio, o amor pela vida, o amor pelo outro… E no fim, é sobre recomeços.

    Que seja leve e divertido o seu caminho a partir daqui, mesmo com os tropeços e os dias nublados por dentro. Apesar dos pesares, será, acima de tudo, um caminho real, verdadeiro, e SEU.

    Todo o amor desse mundo para você! ❤️

    1. Rachel respondeu DaClaudinha

      Também tive a mesma sensação que você. Reli a primeira frase umas três vezes, mas no fim do texto tudo fez sentido. Boa sorte Ana nessa nova fase de descobertas!! Beijos

      PS:acho que elas nunca acabam.

  10. Thaís comentou:

    Senti um vento na minha cara agora! Vai! Maravilhosa! ❤️

  11. Bianca Beatrice comentou:

    Ana, acompanhar vc é poder ver que se amar é possível!
    Não é fácil, não é orgânico, não é óbvio. Pq o óbvio é que achemos nossos “defeitos” e nunca nossas qualidades.
    Num mundo em que somos ensinadas desde que nascemos a nos odiar, nos subjugar e esperar a aprovação alheia, ver uma mulher como vc é uma eterna inspiração!
    Uma mulher que “chega, chegando” como diz minha mãe.

    Vc é luz e energia!

    Que mais e mais mulheres possam se gostar mais como eu aprendi (e aprendo) TD dia a me gostar um pouquinho mais a cada dia, justamente por acompanhar mulheres fodas, como você.

    Beijos!

  12. Juliana Lustosa comentou:

    Ana querida. Acompanho sempre o seu blog mas é a primeira vez que comento. Super me identifico com você, sua sinceridade e seus comentários. O que me intriga é que eu sempre te achei tão confiante e segura de si. Não consigo entender como você não se ache bonita (claro que você não se acha feia! Kkkk). Tu é maravilhosa demais! E me ensinou a ser mais ousada também. Só é a dona da por** toda HAHAHAH!
    Ps: faço 30 anos também no dia 21/02!! E ando com pensamentos libertadores. E Parabéns pra nós!!

  13. Renata comentou:

    Eu tinha decidido largar a terapia hoje. Repensando essa decisão depois de ler esse texto. Comobte entendo…Dá um medo, mas também uma angústia do “que que eu tô fazendo aqui?” Não tá ruim, mas é que não tá bom. Sigamos. Que a gente encontre as respostas. Ou ao menos coloquemos as perguntas pra fora. Um abraço de admiracao.

  14. Renata comentou:

    Que texto lindo, que pessoa linda, que vida maravilhosa! Tem que celebrar muito mesmo esse amor que deu certo, essa cabeça boa, esse coração enorme! Te amo e te ver irradiando essa luz é uma inspiração enorme! ❤ Continue nessa jornada!

  15. Girliani comentou:

    Isso me lembrou de um filme em que a personagem principal sabia como ia ser no futuro: ia se separar e mesmo assim ela se apaixonou, casaram e tiveram momentos felizes e, assim é a vida, a eterna busca de aprendizados e daquilo que faz nosso coração bater mais forte. Obrigada pela sinceridade e por compartilhar algo tão íntimo.

    1. Érika respondeu Girliani

      A Chegada! Filme espetacular. E não era só a separação…

  16. Fernanda Monteiro comentou:

    Cara, Ana!! Adoro seu trabalho e seu jeito de escrever, conversar. É tão natural, eu me sinto sua amiga hahaha. Eu me vi em varios momentos do seu texto, apesar de eu não viver o que você viveu. Mas estou também num processo de mudança, buscando autoconhecimento e sobretudo me respeitando mais, meus limites e meus sonhos. Parabéns pelo seu trabalho. Desejo muito que você continua nessa jornada de se encontrar e aproveitar sua vida com consciência de que suas escolhas são exatamente o que você quer. A gente vive muito no automático, deixando muita coisa passar despercebida. Acho que essa busca por autoconhecimento está cada vez mais sendo falada, ou então todo mundo ao meu redor tá vivendo isso, não sei. Hahaha

  17. Ariana Melo comentou:

    Oi Ana, que texto lindo! E mais gratificante ainda é ver a sua postura, a sua força, a sua determinação. Pode não ser fácil desapegar, mas muitas coisas boas te aguardam nesse novo ciclo de vida. Um beijo!

  18. Lindo texto! E foi depois da minha última separação, uma relação de 8 anos, que minha vida alavancou. O importante é saber aprender com tudo e agradecer ao universo cada momento da vida – tô parecendo baby do brasil esotérica falando hahahaha, mas sinto que essa energia boa tem me ajudado muito na vida. Tenho certeza de que tudo vai dar muito certo pra você também! 🙂

  19. Rebeca comentou:

    Que post humano, encorajador e maravilhoso. Me identifiquei demais, e me senti representada em cada palavra. Que venha o novo ciclo! É como se diz: a vida é muito curta para ser pequena! Grande beijo

  20. MABIA BARROS comentou:

    Parabéns pela coragem! É preciso muita maturidade e amor para terminar assim.
    Do lado de cá, talvez tenha achado que rolava de esconder o corpo, mas como não como uma vergonha, mas talvez pudor. E não é preciso mostrar o corpo sempre. Mas tem poucas coisas mais bonitas que essa jornada de autoconhecimento e autoconfiança. Aproveite e se ame muito!

  21. Lívia Mah comentou:

    Apenas palmas, muitas palmas!

  22. Carina comentou:

    Eu aqui, batendo na porta dos 38 anos, recentemente também me separei após 15 anos. É assustador no início, de repente se ver sozinha para cuidar da sua propria vida e dos seus problemas. O sentimento de fracasso ainda me pega, às vezes ainda me pego chorando e lamentando por tudo que aconteceu nos últimos anos, que levaram ao fim.

    Ainda estou tentando me encontrar. Obrigada pela inspiração.

  23. Alice Goncalves comentou:

    Nossa Ana! Esse é um dos textos mais lindos e sinceros que já li na vida. Te acompanho a muitos anos, e tem sido muito impactante a companhar essa tua redescoberta de si mesma. Me percebo, as vezes, no mesmo caminho. Temos quase a mesma idade, e nosso aniversário é no mesmo dia, talvez sejam os astros nos influenciando. Será?! Não sei, só sei que me conforta ver uma pessoa que admiro e que me inspira, mesmo de longe, passar por esse mesmo processo de apaixonar-se por si mesma, e se amar incondicionalmente, independente de quaisquer mudanças que isso possa impactar na sua vida. E que tá tudo bem, tá tudo certo. Um beijo grande pra ti.

  24. Paula comentou:

    Minha vontade é dizer “Amiga, dá aqui um abraço apertado!! Vamos tomar umas cervejas e comer coxinhas maravilhosas no boteco”!
    Eu já havia percebido sobre o possível fim do seu relacionamento, e só tive esse olhar pois faz um ano que terminei um relacionamento de 11 anos, a maioria das coisas que você escreveu eu senti também.
    Sofri demais!!! Uma fase muito complicada essa de redescoberta, hoje eu me vejo uma pessoa totalmente diferente da que eu era, me olhei novamente com carinho e estou aos poucos reconstruindo a minha vida e rotina.Algumas decisões são extremamente doloridas mas o resultado desse olhar para dentro e o amadurecimento são coisas que para mim não tiveram preço.
    Ah…mudei muito minhas roupas, as que eu ainda tenho estou usando de forma totalmente diferente, as lingeries foram praticamente todas trocadas haha
    Tem coisas que já não fazem mais sentido usar ou manter.
    Beijos
    Te admiro demais

  25. Dri comentou:

    Então vem desfilar no “Então, brilha!”
    Melhor bloco de BH!

  26. Fernanda comentou:

    Ana,
    Parabéns e obrigada! Parabens pelo texto maravilhoso, por esse desabafo…. E obrigada por se expor, por não ter medo de se jogar, se permitir, mesmo que o próximo passo seja incerto, que não saibamos (me incluo pq me vi nesse texto) o que irá ocorrer qd dobrarmos a esquina.
    Te admiro muito e saiba que estaremos aqui sempre, pra e por você.
    Beijos!

  27. Anaaaa…você é demais! Que essa sua nova fase te traga muitas alegrias e muito aprendizado!!!
    <3
    Bjsss

  28. Natalie Furlan comentou:

    Adorei o texto. E estou adorando essa nova fase sua. Vc é F**A. Que vc seja muito feliz nessa nova fase

  29. Isa comentou:

    a gente que te conhece assim, virtualmente (e te acompanha, e torce, e gosta desde sempre) consegue ver nitidamente, como se você tivesse aqui do ladinho, o quando você tá brilhando. esse processo de redescoberta é difícil, é doloroso, mas acima de tudo é o que você disse: é libertador. seja qual for o caminho que a gente escolher pra segui-lo – com alguém, sozinha, com alguéns, no meio do mato, no pico do instagram – acredito cada vez mais que é assim que a gente vai conseguir ser, com o perdão do clichê, plena. é interno, mas é também claro como o glitter que a gente se apaixona. é silencioso, mas também temos que gritá-lo o máximo que pudermos. e chega dessa modéstia, esse lugar pequeno e submisso que nos colocam. que a gente possa sempre reconhecer essa maravilhosidade toda uma nas outras, claro, mas que a gente consiga, acima de tudo, reconhecer essa maravilhosidade na gente. porque a gente é foda. muito. você é incrível! que alegria <3

    1. Ana Carolina respondeu Isa

      aí vem essa pessoa linda e consegue escrever uma poesia em forma de comentário <3

  30. Margareth Andrade comentou:

    Meu Deuuuuuus! Que lindeza! Eu me vi tanto no seu texto! Obrigada por isso!

  31. Camila Soldá comentou:

    Lindo, linda! Seja muito feliz e fique com Deus, com os
    Orixás, com todos os anjos…

  32. Shirley Santos comentou:

    ADMIRÁVEL !!!
    Incrível como encontrei tantas afinidades.
    O medo do desconhecido pode nos condenar à prisão,
    mesmo sem termos cometido crime algum.
    O que posso dizer :
    Ana, seja muito feliz !

  33. Lidia comentou:

    Oi Ana, assim como tantas outras leitoras a gente te conhece, mas vc não conhece a gente… kkk. Não pessoalmetente, claro, embora consiga estabelecer uma conexão única com todas nós. Sua separação, para mim pelo menos, já estava meio óbvia…. vc não falava mais no marido em seus posts…. embora vc seja discreta sobre sua vida pessoal, sempre escapava uma coisa ou outra sobre ele ou os gatos nos posts. Aí veio as férias, Paraty, os bares e nada dele. Mas pensei isso que vc escreveu, que o término foi com amor, afinal, essa é vc. Verdadeira e transparente. Torço por vc. Sucesso ! Beijos.

    1. Ana Carolina respondeu Lidia

      Sim, sim! Nem sei se vcs repararam q eu estava sem a aliança também, rs! Por saber disso tudo, eu precisava contar, só tinha que esperar nossas famílias saberem, nossas dores se acalmarem – afinal, escrever sobre era expor ele também. Mas ele acabou de dizer que achou o texto lindo. Estou em paz <3

  34. Eliane Soares comentou:

    Minha filha desejo muito Axé essa nova fase da sua vida.😘

  35. Luisa comentou:

    obrigada por esse texto, estava precisando ler algo exatamente assim. você é foda! muita coisa maravilhosa pra você!

  36. ana paula comentou:

    Estou com lágrimas lendo seu texto e lendo os comentários. Você influencia tantas pessoas de tantas maneiras, que bom foi se abrir e expor o coração, ao menos um pouquinho. Saiba que vc está ajudando muita gente também, não necessariamente neste processo de separação, mas no processo de se conhecer, de se permitir num mundo que ainda julga as mulheres de forma tão absurda. Estou louca para te conhecer pessoalmente quando acontecer o worshop em Salvador! Felicidades para você e para o seu ex, que vcs consigam manter a amizade, isso é a melhor coisa!

  37. Irmã, é preciso CORAAAAAGEM. Sempre, e isso você tem de sobra. Te acompanho desde 2011, tô aqui todo dia, mesmo quietinha, e te admiro muito. Muita felicidade nesta nova fase <3 beijão

  38. Andreia Leida comentou:

    Obrigada por compartilhar. Me identifiquei tanto! É bom saber que a gente não é “anormal”, né? Muitas vezes nos cobramos demais, achando que só a gente passa por isso. Foco, fé e força pra gente 🙂
    ah, e muito amor (principalmente o amor próprio) <3

  39. Andreia Leida comentou:

    Oi, Ana. Obrigada por compartilhar. Me identifiquei tanto! É bom saber que a gente não é “anormal”, né? Muitas vezes nos cobramos demais, achando que só a gente passa por isso. Foco, fé e força pra gente 🙂
    ah, e muito amor (principalmente o amor próprio) <3

  40. Bruna comentou:

    Ana, me identifiquei tanto com seu texto! Tb estou aqui lutando com meus medos, um provável término de relacionamento morando num país que não é o meu, me reencontrando comigo… Lindas palavras, tanta sensibilidade! A sua coragem pra enfrentar os medos é um estímulo. Brilha muito, gata, você merece mesmo! E que sorte a nossa você compartilhar essas reflexões e essa força com a gente. Toda felicidade, amor e sucesso pra vc! Besos

  41. Ju comentou:

    Ana, eu te leio (pode ser isso tb, além do blog…rs), desde o comecinho! MULHER, muito obrigada por ser! Ao ler o texto de hoje, você ajudou imensamente a JU aqui do outro lado! Eu tô numa vibe parecida com a sua, mas ler tal texto, empodera, ajuda e faz a gente sair da mesmice! Feliz por vc! Sucesso, obrigada e parabéns!

  42. Fer comentou:

    Aplausos!!!

  43. Barbara comentou:

    Salve, mm nome de qualquer Deus, Salve!
    E feliz tu serás! 🙂
    Obrigada por compartilhar, sempre que precisar, estaremos aqui.

  44. vera oliveira comentou:

    Ana, vc é maravilhosa! Sim temos que nos redescobrir sempre, às vezes depois de um relacionamento tão longo é natural a gente se misturar e acabar se perdendo, mas essa redescoberta é maravilhosa! Acreditar e se amar é o melhor que podemos fazer por nós mesmas. Também tinha percebido essa mudança. Crescer dói, mas a dor passa e vem novas perspectivas pela frente, vem a esperança, o novo, o frio na barriga. Desejo a vc e a ele toda paz de espírito e esperança para essa nova fase. Beijos sua linda!!

  45. Denise comentou:

    Te recomendo o livro Um coração sem medo. Tenho certeza de que vai responder a muitas questões que deves ter nesse teu momento e para a vida.
    É boa caminhada.

  46. Ticiana comentou:

    A primeira coisa que notei foi a ausência da sua aliança, mas percebi uma mudança de atitude da sua parte há um tempinho.

    Aliás, acho que quem a acompanha há tempos percebeu também.

    Por outro lado, a vida é mesmo assim: cheia de ciclos!

    Pelo que disse, o relacionamento chegou ao fim, mas é notório que você está inteira, em plenitude consigo mesma.

    Sua maturidade e sua autoestima estão afloradíssimas, gritantes, e acho que tudo isso colabora.

    Não quero dizer que não tenha havido sofrimento, até porque sei que você é sensível e toda separação traz consigo um pouquinho de dor, mas preciso dizer que a admiro pela sua postura.

    Na minha opinião, uma escolha consciente é sempre uma boa escolha e a minha torcida sempre será pela sua felicidade.

  47. Giovana comentou:

    Linda linda linda! Emociante, como as grandes histórias são.
    Parabéns por essa nova fase. <3

  48. mel comentou:

    Ana, vc conseguiu retratar com tamanha sutileza e elegância um momento que, para muitas, é muito doloroso…. Fiquei realmente tocada com seu texto… Mas , cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é… e vc é luz ! continue brilhando, querida ! Beijos

  49. Bel comentou:

    Aninhaaa de longe eu sempre me senti muito perto. Mas … hoje … ao te ler eu quis estar colada num abraço cheio de ternura e aconchego. Sei que fizestes isso por ti mesma. Por vocês dois. Sei que a vida te coloriu e há de te emoldurar num formato de arco-íris. Esse renascer é promessa amorosa. É coragem e esperança. Vocês continuarão a ser felizes … merecem.
    Admiro-te sempre mais por querer ser sempre melhor.

  50. Paula comentou:

    Oi, Aninha! Que texto lindo! Já li umas três vezes e chorei em todas.. deve ter sido muito difícil, mas fico feliz que vc está bem, plena, se amando sempre mais e mais FODA do que nunca! Já te disse e repito: vc merece o mundo, gata! Vc tá radiante! Que luz! Obrigada por dividir todas essas maravilhosas mudanças com a gente! Te amo! Beijão!

  51. Bruna comentou:

    Mais sua fã a cada post. E vamos nos permitir ser felizes da maneira que for!

  52. Rebecca comentou:

    Ana, eu lamento pelo fim do seu relacionamento. Mas se algo q aprendi com a separação dos meus pais foi a capacidade q o see humano tem de se reinventar. Tbm vi a dificuldade q a minha mãe enfrentou nessa busca do amor-próprio. Curta-se, ame-se e reinvente-se quantas vezes forem necessárias. E obrigada pela sinceridade de sempre.

  53. Marcia Lo Fiego comentou:

    Ana querida, até num momento difícil você consegue escrever esse texto lindo e profundo, admiro esse teu dom!
    Desejo tudo de melhor nessa nova fase, muita serenidade e coragem para viver tudo o que há pra viver!!! Um beijão 😍😘

  54. Nane Rodrigues comentou:

    Vai lá viver esse sol diferente que agora brilha em tua vida, Ana. Aprendi que quando a gente decide, a vida responde. Beijos

  55. MILA comentou:

    O texto vale muito. Trata-se de uma descoberta da feminilidade, de ocupar uma posição que a sociedade insistia que não era nossa, mas é. É se posicionar nos nossos relacionamentos, no nosso trabalho, nas áreas que envolvem a nossa vida. Se apossar dela. Independente do seu momento, o texto vale para uma reflexão em geral e ajuda muito!

    1. Ana Carolina respondeu MILA

      Mila, é isso. Tanta, mas tanta mensagem incutida nas palavras, nas atitudes. Eu mesma não me dei conta de tudo isso. Gratidão.

  56. Marina comentou:

    Ana, faz tempo que estou para escrever e nunca arrumo o tempo que preciso. Eu ia dizer que, apesar de acompanhá-la há tanto tempo e admirá-la desde sempre, inclusive já tive um blog e fiz um post com uma entrevista com você (não sei se lembra… rs), está cada dia mais legal ler seus posts, ver essa sua transformação. Eu tenho tentado aprender e absorver muita coisa, pois estou precisando. Falta amor próprio, falta descobrir o que me causa alegria, falta ter esse novo olhar sobre mim mesma. Estou com 30 anos e sinto que ainda há tempo e que nunca é tarde. Ler tudo o que vem compartilhando está sendo incrível. Mta luz em seu caminho, muitas alegrias, inspirações e descobertas. E, por favor, compartilhe sempre conosco tudo isso, pois está cada dia mais fantástico. Superbeijo

  57. Kelly comentou:

    Obrigada por compartilhar. Vamos em frente, vai dar tudo certo.

  58. Oi Ana, em poucas palavras posso resumi tudo o que penso de vc. És uma pessoa maravilhosa em todos os angulos. Obrigada por existir e nos passar tantas coisas boas. Parabéns pelas suas mudanças e tenha a certeza que cada vez mais te admiro. beijão

  59. Fatima comentou:

    Parabens pela coragem te admiro muito. Desejo que vc se encontre e seja muito feliz. Bjs

  60. Nádia comentou:

    Vai Ana! Seja e celebre!!! Boa sorte!

  61. Que lindo, Ana. Te desejo muita sorte, muita alegria, muita você pra você. Concordo: deu muito certo a sua relação. E é assim que a gente tem que ver as coisas. É sempre sobre amor. Um beijo carinhoso pra você, cheio de desejos bons.

  62. Carol Derosa comentou:

    “…Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure” Viva a vida!

  63. Juliana comentou:

    Ana, que puta post!
    Obrigada.
    Mesmo não nos conhecendo, pode contar comigo para o que precisar. Sou pós-doutora em recomeços (embora não tenha passado por essa dor da separação). meu email está registrado, né?

    Vai lá e ARRASA.

    1. Ana Carolina respondeu Juliana

      eu quem agradeço o carinho, Ju! beijo enorme!