O boteco do dia: para ser feliz no simples

O que eu escuto com frequência é que não tenho cara de quem vai a bares – principalmente os pé sujo (ou, se você for de Minas, copo sujo!). Pessoal sempre tenta me encaixar nuns negócio phyno, paladar cheio de nove horas…dou conta não. Não me encanta assim, não. E que cara é essa que a gente tem que ter? Hahaha!

Nasci no melhor lado do túnel para curtir o que a cidade tem de mais vivo, pulsante e genuíno. Seja nas manifestações populares, seja nessa baixa gastronomia que traz tantos sabores reunidos e a memória afetiva no que é simples. ✨

É no meio dessas cadeiras de plástico que me reconheço, entre os copos americanos e da risada alta que volta e meia surge das mesas mais acaloradas. Cultura de boteco, pra mim, é onde não existe o certo e o errado, o rico e o pobre: junta mais uma cadeira, traz mais um copo, a cerveja mofada e vamos brindar! ?

bar-do-momo-ana-soares-7

bar-do-momo-ana-soares-3

bar-do-momo-ana-soares-1

Top Boah (BA)
Short Maria Filó
Papete Cowboy de Areia (Cabo Frio/RJ) – to viciada nela!
Brincos Fernanda Torquete (BH)
Bolsa Projeto Bordando o Futuro

fotos: Denise Ricardo

Nesse dia das fotos estava 40 graus de um verão carioca que já chegou com tudo: não existe outra alternativa para esses dias que colocar a roupa com menor área de tecido, hahaha!

Para compensar, brinquei com o mix de estampas e mantive a mesma cartela de cores, em tons frios, nos azuis e verdes. Gosto também de usar shorts nas idas aos bares, principalmente em tons escuros, para poder sentar mais à vontade e, se cair alguma comida nele, não deixar rastros das manchas, hehe!

bar-do-momo-ana-soares

bar-do-momo-ana-soares-2

Na foto estou com a Filó, figura conhecida do Bar do Momo, que serve com alegria e simpatia os famosos hambúrgueres, sandubas, bolinho de arroz (o MELHOR do mundo), bolovo de bacalhau ?? e tantas outras delícias do @toninhomomo.

O Bar do Momo é um tradicional reduto tijucano, onde boêmios de todas as idades se encontram diariamente para desfrutar dos deliciosos petiscos, como o bolinho de arroz, o contra filé alto, diversas fritadas e o famoso maracujá. Fundado em 1986, já ganhou diversos prêmios de melhor butiquim da Tijuca.

ganhou notoriedade com a cozinha inventiva e excepcional, recebendo público de tudo que é canto da cidade para provar os petiscos de alto nível que são servidos por lá. O festival de Hambúrguer, que acontece todas as terças, é um dos mais celebrados por entre os frequentadores, com uma opção até – vejam vocês – de fígado com jiló.

Cheguem cedo, porque o espaço lota, deliciem-se com o melhor bolinho de arroz recheado de calabresa e queijo do planeta e levem dinheiro: o bar só aceita pagamentos em espécie!

Não à toa os funcionários e amigos ostentam na camiseta a célebre frase: “Na Tijuca chegarás…do Momo, não passarás”!

Se é assim, me resigno; sento e fico.

Bar do Momo

R. Gen. Espírito Santo Cardoso, 50 – Loja A – Tijuca, Rio de Janeiro
Tel (21) 2570-9389
Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 7h às 22h

(sigam no instagram a hashtag #querserfelizvempromomo e confiram o cardápio de dar água na boca)

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

1 comentário

  1. Elizabeau Moreira comentou:

    Oi, Ana.
    Está aí uma ideia que também não entendo: tem que estar escrito em nossa cara o que nós gostamos? Tenho 50 anos, sou avó, meu estilo de vestir é clássico/social, leio livros eróticos e curto um rock de montão! Ah, e um boteco também!
    Adorei seu visual!Listras, poás e verde e azul? Tudo de bom!
    Um abração, Feliz Natal e continue nos divertindo e inspirando no Ano Vindouro!