O ano que finalmente olhei pra mim

Por aqui o trabalho não para, mas já estamos em clima de retrospectiva. Saturno regeu 2017 e, não à toa, foi um ano extremamente revelador e de atitudes, onde eu ganhei muita consciência dos meus desejos, do espaço que ocupo no mundo e de compreender mais sobre mim mesma.

A principal decisão foi sobre meu corpo e a forma como percebo ele. Durante os últimos anos eu negligenciei carinhos comigo mesma. Me maltratei, não percebia o todo maravilhoso que eu sou. Não me percebia bonita, tinha vergonha de ir à praia com minhas celulites e colecionei um eterno ar de cansaço, acompanhado de muitas reclamações (vocês notavam isso, eu sei, eu sei).

2017 foi o ano que eu olhei, finalmente, pra mim. Que cuidei de mim. Que me coloquei no colo. Que me acarinhei. Que me perdoei. Que me desobriguei. Que me enxerguei linda e incrível, um mulherão. Que comecei a compreender que preciso e devo comemorar minhas conquistas, por menor que possam parecer.

E isso se refletiu demais no blog e nas redes sociais. Queria compartilhar com vocês as minhas pequenas grandes vitórias de 2017:

1 – Postar foto de maiô

Durante um bom tempo eu evitava mostrar fotos de coleções especiais aqui para não exibir meu corpo. Eu era muito crítica com ele, tadinho. Um conjunto de maravilhosidades que foram melhoradas com pilates, hahaha, mas que antes eu só via defeitos. Se hoje eu posto sobre coleções de moda praia, foi porque eu consegui superar esse receio de me expor assim.

4mares-cea-ana-soares-2

Eu olho essa foto e vejo uma mulher maravilhoooosa! 🙂 Que libertador. Que emocionante conseguir fazer essa leitura de mim mesma!

2. Cuidei mais de mim

Tendemos a achar que parece bobagem, mas cuidar de nós mesmos é fundamental. No ano passado eu nem me olhava direito no espelho, justificando o ato com uma correria de trabalho desmedida. Evitava fotos de perto, me achava com uma eterna cara de cansada.

Parei de gastar dinheiro com bobagem e roupinhas para me tratar com dermatologista (que me passou um creme à noite e outro de manhã), uma tricologista para a saúde dos cabelos e couro cabeludo, uma esteticista parceira querida (Rosi maravilhosa!), pilates 3x na semana, nutricionista para me ajudar no cansaço, acupuntura, investi num bom corte e coloração com a parceira Carla Motta, do Fil, e meu alinhador ortodôntico transparente, dos parceiros da Odontoclínica de Copacabana (vou falar sobre em breve) e, o mais essencial de tudo, retomar a terapia.

Parece coisa pra caramba, né? E é. E foi tudo PRA MIM. E isso tudo se refletiu nessa foto em que eu me senti linda demais:

ana-vestido-pb-2

3. Ressignifiquei minha relação com compras

Lembro que nessa época do ano eu passei pela loja OFF da Lenny e arrematei um chapéu de praia por 200 reais. Nunca consegui usar o tal chapéu, até porque, vamos combinar, não sou praiana. Passei pra frente e rasguei, mais uma vez, meu dinheiro com coisas que não usei.

Eu ainda acreditava que precisava ter mais e mais roupas legais, gastava dinheiro sem dó com algumas bobagens. Achava que estava consumindo menos e melhor, mas a real é que eu continuava gastando com artigos desnecessários.

Quando percebi que eu só precisava olhar com carinho pro meu armário e seguir minha identidade visual, tudo se transformou. Ainda fico surpresa como minhas roupas rendem entre si sem que eu precise recorrer às lojas, como nunca mais perdi tempo me arrumando e como estou em paz e feliz com meu visual. 🙂

4. Parei de usar sutiã

Essa foi a decisão mais polêmica dessa lista porque eu sei que muitas mulheres precisam de uma sustentação, sofrem com a imposição da sociedade de que seios precisam ser redondos e empinados, e, o pior de tudo, medo de assédio.

Mas preciso compartilhar minha experiência ao abolir o sutiã de 85% das minhas produções. Antigamente eu usava suitã com aro, preenchimento e bojo, pro peito ficar mais cheinho e redondinho. Quanto equívoco, se considerarmos que meus seios são naturalmente assim e pequenos. Pra que raios então eu queria deixá-los num formato artificial, se o natural de todo e qualquer seio é ser meio caidinho, com seus formatos variados maravilhosos?

Ficava incomodada com aquele treco me apertando e zuni com esses bojos da minha vida. Assumi meu pouco volume, passei a andar de camiseta sem nada por baixo, que os transeuntes engulam o fato de que nós temos seios e bicos dos seios e isso é inerente a toda mulher! Por que eu deveria ter vergonha disso?

Não percebi nenhum olhar mais avançado sobre eles, até porque prefiro quando estou com camisetas de malha mais grossinhas, o que ajuda a não marcar tanto. Tem sido transformador como mulher valorizar meu colo e declarar liberdade aos meus seios.

macacao-festa-ana-soares-3

5. Minha casa

Ter minha casa como cenário das fotos do blog e isso render sempre boas impressões é dos motivos de maior alegria desse ano, principalmente porque vocês devem lembrar do meu post desabafo do ano passado e que viralizou, Não banalizem a vida real.

Eu AMO minha casa, cheia de histórias, de fragmentos de momentos bons, de viagens, de lembranças de amigos, de vida que foi vivida. Colorida como eu sinto que eu sou na essência, não teve pra ninguém esse ano: fotografar os looks nesse cenário foi incrível!

Viva a parede azul! 😀

sala-decoracao-hoje-vou-assim-off-3
Fotos: Denise Ricardo com tratamento de Adriana Cataldo

Cuidar e ter minha casa do jeito que sempre sonhei foi um dos meus mais importantes agentes transformadores, sentir meu lar, onde durmo e trabalho, como extensão de quem eu sou. Meu eterno agradecimento a Carol Dias, designer de interiores leitora do blog que trouxe seu olhar sensível e carinhoso para o meu lar.

home-office-hoje-vou-assim-off-12

Post com os detalhes da decoração do meu home office

Post com detalhes da decoração da minha sala

Esses foram alguns dos importantes movimentos que fiz nesses 365 dias. Foram essenciais para que eu voltasse a me reconhecer, a buscar mais aquilo que eu valorizava.

Não à toa, nunca recebi tantos elogios como ultimamente. Infelizmente eu só comecei a me aceitar bonita quando ouvi esse elogio da boca de outras pessoas. Tem sido também um processo, mas eu já me percebo linda e magnânima (aahahahahaha), interiorizei o tanto de coisa boa que eu sou e o quanto eu sou capaz. Acho que na real isso tem vindo muito de dentro de mim e irradia todos à minha volta, o que retorna em elogios. Então esse ciclo tem sim começado por mim, yeah!

Que venham mais outros 365 dias de amor próprio. De auto conhecimento. E de auto indulgência pra todos nós. <3

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

27 comentários

  1. Paula comentou:

    Te sigo há muito tempo, mas nunca comentei aqui. Esse é um excelente post sobre empoderamento! Quando vi seu post de maiô, fiquei impressionada com a coragem (ai, julgamento alheio inconveniente),porém fiquei muito feliz que seu corpo não foi o foco dos comentários, mas sim as peças que você mostrou. Também aboli sutiã, apesar de ter seios médios, e estou feliz como nunca! A vida é boa demais pra nos apertarmos! Hahahahaha

    1. Ana Carolina respondeu Paula

      Eu só tenho leitora foda! 🙂

  2. Adriane comentou:

    Você é sensacional, Ana.
    É uma luta esse encontro de amor com a gente mesma.Temos que cravar um duelo diário com essa sociedade que odeia mulher e tudo que vem do feminino.O sutiã eu também já aboli.Tenho muita vontade de ver seu ap todo.Mostra ele pra gente aqui no blog.Bjos lindona!

    1. Ana Carolina respondeu Adriane

      Verdade, Adri. Como a sociedade odeia mulheres! 🙁 Sobre o ape, vou mostrar em breve! Vamos concluir o quarto em janeiro!

  3. Kelly comentou:

    Ana, nunca te vi tão linda e radiante! Feliz pela liberdade!

    1. Ana Carolina respondeu Kelly

      Estou mesmo! 🙂 viva!

  4. Fernanda comentou:

    Que post maravilhoso! Quanta coisa linda você escreveu e como sinto que preciso olhar mais pra mim. 2018 vai ser o ano! Obrigada por compartilhar conosco.

  5. laura salles comentou:

    Como deve ser bom se sentir linda e radiante mesmo não sendo ,não estar dentro dos padrões que a sociedade julga como aceitável com certeza você não seria capa de nenhuma revista de moda e beleza mais o que vale é ter autoestima parabéns

    1. Lyvia respondeu laura salles

      Laura Salles,
      A Ana não se sente bonita, ela é.
      Os “padrões que a sociedade julga como aceitável” são inalcançáveis, fazem mulheres gastarem fortunas com cirurgias e ainda assim olharem para as revista e não se sentirem representadas.
      Talvez pq nem as mulheres que estampam tais revistas são daquela forma. É tudo fruto de muito retoque que as tornam algo que não são, mas que agrada a “sociedade”.
      Esses “padrões que a sociedade julga como aceitável” oprimem, deprimem, roubam auto estima e tornam mulheres doentes em busca de um corpo magro.
      Não busque padrões, busque felicidade. Busque olhar para você, para suas qualidades e não para o que a mulher do seu lado tem e você não.
      E também não escreva críticas disfarçadas de elogio, é muito feio.

  6. Deisy comentou:

    Você é maravilhosamente inspiradora ^^

  7. Dri comentou:

    E sua escrita?
    Como tá leve, coerente, redondinha?

  8. Pati comentou:

    Tão bom ler isso… que venha 2018 com tudo…
    Bjokas mil!
    Pati

  9. Denise comentou:

    Parabéns!
    O que se tem que fazer na vida é para si, não para os outros. Resultados virão.

  10. Natália comentou:

    Pra além do que você transformou em si, daqui fico agradecida pelas mudanças que você provocou. O lance das cores que você trouxe pra cá esse ano, de abraçá-las, aprender a coordená-las, traz uma alegria imensa pra pequenas coisas do dia a dia. Participei do primeiro workshop e posso te falar: eita, que investimento bom! Impressiona como me sinto melhor com a vida mais colorida — e impressiona também como aumentam os elogios dos outros ao acertar aquele tom que fica lindo na nossa pele e a gente nem imaginava.

    Obrigada pela inspiração, por propor conteúdo fora da caixa. Você é inspiradora. 🙂

  11. Shirley Santos comentou:

    Parabéns Ana,
    Também estou tentando simplificar minha vida, não dando tanto valor às coisas que estão nela independentes da minha vontade, ou seja, por obrigação.
    E, também, me exergo melhor hoje em dia, aos 54, melhor do que quando tinha 20 ou 30.
    Só não consegui, ainda, simplificar meu guar-roupa, desapegar mesmo, entende ?
    Mas, já estou em processo. Melhor que nada, né ?!?
    Bjs Ana
    Que o ano de 2018 seja cheio de sucesso e harmonia pra você !!!

  12. Rachel comentou:

    Que post lindo Ana. Faz algum tempo que passei a analisar minhas conquistas durante o ano a partir de mudanças que parecem pequenas, mas que só a gente sabe como foram importantes e difíceis de serem conquistadas. Feliz Ano Novo e que 2018 venha cheio de empoderamento e auto-conhecimento!!

  13. Aline comentou:

    Ana você é uma delicadeza de mulher atrevida (com todo respeito) que não tem medo de expor suas ideias seu interior e amo o seu jeito mulher carioca de ser. Me inspira, leio sempre suas postagens e nenhuma me tocou tanto quanto estas e me reconheci em muitos momentos seus ditos aqui agora. Parabéns por tudo! Maravilhosa! Grande Abraços, já me sinto íntima sua kkkk beijos

  14. Rebecca comentou:

    Ana, como leitora antiga do blog, posso te dizer: VOCÊ ESTÁ INCRÍVEL EM 2017. Linda, inspiradora, reflexiva. Parabéns! PS: me orgulho dessa nova Ana e quero me olhar no espelho e me amar ao invés d só ver os defeitos.

  15. Marcella comentou:

    2017 foi ano de mudanças mesmo! Parabens pelas conquistas e por ter ficado mais foda do que era 🙂 Que 2018 seja de mais conquistas e aprendizados 🙂 Beijos,

  16. Laila Nunes comentou:

    QUE POST MARAVILHOSO!
    Que benção ter tido um ano assim! Tomara que o próximo seja igual <3

  17. Maria Alice Ferreira do Amaral VIeira comentou:

    Ana querida, belas palavras!!! Você é linda!!! Parabéns pelo seu blog… Falo muito de você para as minhas amigas… quando você vier pra Sampa e se sobrar um tempinho, quem sabe poderemos marcar um happy!!! Bjs

  18. Mari comentou:

    Que texto lindo! Fico feliz demais ao ver que você chegou “lá”. hehehe
    Inspirador pra mim que estou entrando de cabeça nesse mesmo processo. Também passei alguns anos me negligenciando.
    Que você siga nesse caminho com alegria.
    Beijos

  19. Lídia comentou:

    Adorei o post e td que vc falou a gente consegue perceber mesmo.. e esse ano de 2018 vai ser meu!! vou cuidar de mim!! td oq não tem me agradado vai ser melhorado na medida do po$$ível..kkkkk bjo Ana querida, que Deus abençoe vc e sua família! E que todas nós consigamos realizar mais e mais coisas! ano que vem tamos garradas aqui denovo! kkk

  20. fabiana souza comentou:

    Sempre li seu blog e acho maravilhoso,adoro a escrita e a abordagem textual sempre tive neura de provar roupas em frente ao provador por não me encaixar nos padrões perfeitos e surreais que a sociedade exige você provou que isso é possível ser bonita plena e real adoro o blog

  21. Gleici comentou:

    Linda! Amei a postagem! Adoro te acompanhar. Parei de usar sutiã aos 17 após uma cirugia de redução de mama por problemas na coluna. Usava sutiãs apertados e que me maltratavam para poder sustentar o tamanho. Hoje tenho 35 anos e acho que foi uma das melhores coisas que fiz!

  22. Que honra poder ter participado desse ano de transformações!!
    Que delícia poder contribuir pra que vc se sinta mais feliz e segura com sua casa!!

    Gratidão pela oportunidade de trabalhar e crescer junto com vc!!

    😘😘

  23. Fernanda Freitas comentou:

    Oi Ana que testo incrível. Eu fiquei emocionada com as suas palavras. Me identifiquei muito com você. Também concordo que você está linda demais. Quero tirar um ano para cuidar de mim, estou precisando, rs. Por favor indique todos os profissionais que te ajudaram. É sempre bom recomendações ;). Um grande abraço, Fernanda Freitas