Um basta às compras impulsivas

Festividades se aproximando eu só penso no quão repetitivos podemos nos tornar ao sairmos comprando roupas de supetão, em cima da hora, para tantos eventos. Festa da firma? Corre pro shopping arranjar correndo uma roupa pra data. Festa de final de ano na casa dos amigos? Eita que eu não tenho roupa, sai correndo pra descolar alguma coisa que faça vista e seja baratinha na fast fashion.

Esse hábito – ruim, diga-se de passagem – de comprar por demanda, na pressa, no sufoco, nos 45 do segundo tempo, é um convite para um armário cheio de peças nada a ver entre si, que só foram vislumbradas para UMA ocasião, que, muitas vezes, não tem sintonia conosco ou que não vestem tão bem assim. Serviram pra apagar o incêndio, mas permanecem ali, incautas nos cabides, fazendo galhofa da nossa cara, do dinheiro investido em algo que não renderá mais que uma noite, talvez.

Roupa não é escolha de ocasião; demanda tempo, carinho, cuidado, atenção. Tem a ver com quem nós somos, não nos desafia, completa. Termos peças que foram escolhidas cuidadosamente ao longo dos tempos nos deixam mais tranquilos para entender que nosso armário está repleto de possibilidades, para todos os momentos das nossas vidas.

vestido-vintage-ana-soares

vestido-vintage-ana-soares-6

Esse vestido vintage é um bom exemplo disso: garimpado num brechó, não exigiu nenhuma demanda especial, apenas identificação e brilho no olho. Foi apaixonamento à primeira vista e, desde então, já foi meu parceiro fiel em festinha na casa dos amigos (acompanhado de tênis) e de outros eventos mais formais.

Não tem igual por aí, não exigiu ajustes, não me toma tempo ao pensar nos acessórios. Ele diz a que veio sozinho e ponto. Adoro essa carinha de smoking feminino desconstruído aliado a uma cinturinha deslocada, bem anos 1920, que equilibra bem a mensagem romântica, contemporânea e com pegada sexy – saca o decote lateral! 🙂

vestido-vintage-ana-soares-5

vestido-vintage-ana-soares-4

vestido-vintage-ana-soares-1

vestido-vintage-ana-soares-2

Vestido O Grito
Scarpin Osklen comprado em bazar
Bolsa Adô Atelier
Acessórios Luiza Dias 111

fotos: Denise Ricardo

Ah, uma dica extra: como ele tem uma super fenda lateral, eu prefiro usar um top bonito por baixo e colorido, pra destacar mesmo e não tentar omitir que estou usando algo por baixo. Não tem por que disfarçar tanto que eu tenho seios e uso sutiã, né? Melhor criar um destaque mais criativo. 🙂

Para essas festas de fim de ano experimentem então olhar com carinho pro que vocês já tem, antes de sair gastando dinheiro sem necessidade. Quando temos roupas que nos atendem para vários momentos da vida, escolhidas para que rendam em diversos momentos e que conversem com o restante, isso vai enfraquecendo essa falsa necessidade de novidades o tempo todo, de compras impulsivas e, assim, roupas encalhadas. 🙂

Já tivemos post com dicas de looks para festas com o que já temos no guarda roupa, olha aí!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

10 comentários

  1. Renata comentou:

    Arrasou!!!!!!!!! Eu fico tão feliz quando acho “A” peça em brechó. Parabéns!!! O conceito (compra consiente, – consumismo, usar o que já tem) é lindo!!!

  2. jande comentou:

    Eu dificilmente compro roupa para ocasiões específicas, geralmente uso o que já tenho. Construí meu guarda-roupa para atender as minhas necessidades e meu estilo de vida.

  3. Erika comentou:

    Amei esse vestido!

  4. Bia comentou:

    Gente do céu, isso é que é ser influenciadora!!! Tenho refletido muito sobre esse seu papo de ter menos coisas. Leio o HVAOFF há muitos anos, e finalmente isso está fazendo sentido pra mim.
    Ana, não lembro se você já falou sobre ter uma listinha de prioridades pra novas peças, do tipo vou esperar aparecer uma calça de alfaiataria boa num preço legal. Deu pra entender? Às vezes vou pra uma promoção querendo uma coisa e acabo comprando outras completamente diferentes…

    1. Ana Carolina respondeu Bia

      Acho que já escrevi sobre isso, vou procurar! Hahaha mas entendi sim! 🙂

  5. Juliana Duarte Batista comentou:

    Oi, Ana!
    Leio sempre o seu blog, e já falei do lowsumerism pra vc (acho que foi no insta, não aqui), e acho que por isso eu sigo seguindo o blog – essa questão de compras conscientes. Vou a muitos bazares em SP, nem sempre compro, mas gosto de ir, pois estou num momento de identificação com o meu armário. Mas estou repensando, talvez seja melhor ir a brechós, viu?!? Vc já é MUITO musa, esse vestido só destacou isso. Desde o ano passado eu não compro roupa especialmente pras festas. Super concordo com seu ponto de vista!
    Beijinhos e lindas festas pra vc!
    Juduba

    1. Ana Carolina respondeu Juliana Duarte Batista

      Lembro sim, Ju! Obrigada pelo carinho! É isso, as vezes vamos nos lugares por cacoete, mas na real não precisamos de mais do que já temos 🙂

  6. Crystal comentou:

    É exatamente isso Ana! No final do ano passado, quando estava começando a descobrir sobre essencialismo e minimalismo, eu notei que o meu guarda-roupa estava lotado de peças que eu havia comprado para ocasiões especiais e que eu só tinha usado aquela vez e pronto. Me desapeguei da maioria dessas peças, que na real nem tinham muito a ver comigo, e passei a olhar mais para o que eu tenho na hora de um evento especial ou, se tivesse que comprar algo, apenas comprar se eu me visse usando aquela peça no meu dia a dia. Resultado: no reveillón de 2016 usei um vestido cinza que deu para aproveitar muito pelo resto do ano e, esse ano, garimpei um vestido divo vermelho num brechó para usar no ano novo e também no resto do ano, porque vermelho é minha cor favorita e o modelo dele é super versátil. Acho que enfim aprendi a consumir de um jeito mais consciente. Bjs!

  7. shamya comentou:

    O massa desse vestido é que a cada ângulo é uma “peça”. Quando vi a primeira foto pensei que era colete por cima de um vestido, a medida que vi as outras fotos entendi que era uma peça única. E esse estilo anos 20 é muito lindo! Amo. Lindíssimo vestido. Bjus

    1. Ana Carolina respondeu shamya

      simmm, adoro essa ambiguidade dele! 😀 Beijos, Shamya!