Aceita que dói menos

Eu não sou do tipo que aceita fácil.

Mora em mim uma revoltada latente. Não aceito a partida, não aceito a despedida, não aceito o não, muito menos o talvez.

Não aceito a injustiça, não aceito 18 homens mandarem nos corpos das mulheres, não aceito a distopia, muito menos a cegueira seletiva.

Na semana passada, quando eu vesti essa camiseta, o contexto era mais uma mensagem irreverente de empoderamento. Hoje eu tô bem triste com tanta coisa acontecendo, me sentindo impotente e cansada, extremamente cansada.

Aceito um tanto de coisa para ter alguma leveza, mas somente as que não tem solução. E, assim aceitando, mesmo que contrariada, torço para que doa menos. Porém, algumas coisas eu não consigo, não aceitarei e nem jamais abaixarei a cabeça para.

Não enquanto tiver sangue fervente correndo nesse corpo feminino.

aceita-que-doi-menos-ana-soares-3

aceita-que-doi-menos-ana-soares

aceita-que-doi-menos-ana-soares-2

aceita-que-doi-menos-ana-soares-4

Camiseta 787 Shirts (marca de mulheres, que contratam mulheres de forma justa e vendem para mulheres)
Short Maria Filó
Slip On Sanden
Bolsa Adô Atelier
Brincos Erika Z

fotos: Denise Ricardo

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

5 comentários

  1. Milena comentou:

    Eu sinto essa mesma angústia Ana…ontem mesmo tive uma discussão com pessoas do meu trabalho e me choquei (não sei porque ainda me surpreendo, mas enfim) em perceber o quanto o machismo e a intolerância estão enraizados nas pessoas…
    Ontem li (em lágrimas) o excelente texto que a Carol Burgo publicou, e por um tempo, fiquei pensando se tudo isso não passaria de um pesadelo…
    Tenho vontade de gritar, de chacoalhar as pessoas, de abrir seus olhos, de ir pra rua protestar, de me revoltar, mas daí me vem uma voz na cabeça dizendo: pra que tudo isso? Você é impotente, todas as mulheres são…essa parece ser a verdade universal…por mais que a gente brigue, por mais que a gente tente, os homens estão no poder e não há nada que a gente tente que mude essa situação e isso me deprime, me angustia, me dilacera…

    É um fardo ser mulher nesse mundo…eu tento ter esperanças Ana, mas é tão doloroso…será que um dia as coisas vão mudar e a gente vai ter direito a ter voz?

  2. Adriane comentou:

    Não tenho esperança,perdi a fé na humanidade.E saber que existem zilhões de mulheres machistas também!

  3. Carol Magnani comentou:

    Ana, qdo vi vc com essa camiseta eu já pensei diferente. Pensei q esse aceita é uma mensagem direcionada aos homens, sabe? Tipo, aceita q nós somos f* e q chegamos pra ficar… 🙂

  4. Raquel B. comentou:

    Sou depressiva e já faz algum tempo que não tenho conseguido lidar com o que vem acontecendo. Sinto pavor, nojo e cansaço, tento evitar ao máximo o contato com as pessoas pois sei que vou me decepcionar. Me isolei numa bolha. Falta muita empatia e humanidade! Tem sido bem ruim…

    Mas esse short está lindo e eu sempre olho pro seu sofá e me pergunto: seus gatos não arranham sofá? Seu sofá é anti gatos? Me fala de onde ele veio, por favor? Tenho uma “oncinha” aqui na minha casa que arranha sofá, morde e até fez um buraco. Meu sofá está velhinho e sinto medo de gastar um monte de dinheiros e ela refazer esse trabalho artístico no sofá novo.

  5. Thais comentou:

    Não quero comentar sobre as coisas ruins, só vim dizer que amei o short e suas pernas de fora, tá linda!