Por que abrir espaço no armário é tão importante

Essa semana atendi algumas clientes de consultoria de estilo e uma delas precisava urgentemente desentulhar o seu guarda roupa – não que ela tivesse identificado essa necessidade, mas quando abri as portas do armário, notei que tinha muita coisa parada, o que dificultava demais perceber o que ela usava e o que estava ali só ocupando espaço.

roupas-sem-uso-ana-soares-1

Esse foi o resultado de 2 horas e meia revitalizando uma parte do armário – ainda tivemos a pilha da outra parte, resultado de outras horas de trabalho.

Nessa pilha tivemos dezenas de camisetas, calças que não vestiam bem, vestidos sem uso, roupas já desgastadas, aquelas peças que ganhamos de presente e não tem nada a ver conosco, roupas que já tinham sua versão similar no armário, outras que não tinham a ver com a proposta de identidade visual que desenhei pra ela.

Claro que é chocante observar o quanto somos capazes de guardar/acumular/juntar peças acreditando que um dia elas farão a diferença, poderão ter a sua oportunidade ou resolver as nossas necessidades no vestir. Mas fato é que elas estão ali apenas com uma função de muleta emocional do que necessariamente trazer praticidade.

Ainda mantivemos uma quantidade ótima de roupas, com muitos vestidos, algumas boas blusas, boas terceiras peças. Claro que a cliente ficou ansiosa e pensou imediatamente em novas peças para substituir as que saíram.

“Eu estou sem roupa!” – e portas e mais portas indicando que, na verdade, ela tem um guarda roupa que precisa ter uma boa proporção, e não quantidade.

Essa etapa é apenas um processo, que pode ser assustador no início, mas se torna um aliado à medida que os ensinamentos são passados e entendemos que quantidade não significa variedade.

Eu mesma acreditava que precisava ter muita coisa no armário para criar variações. Ainda tenho meus acúmulos, mas estou cada dia mais feliz com o que tenho montado a partir do que tenho, do que recorrendo toda hora a uma novidade nas lojas.

Por que é importante abrir espaço no armário

Facilitar a vida

Como eu escrevi nesse post, um dos grandes motivos dos meus atrasos e das minhas frustrações ao vestir era ter muita coisa entulhada, Eu vivia confusa, não sabia o que ali ainda servia, o que precisava de ajuste, o que tinha a ver com meu estilo, o que eu queria usar primeiro – já que tinha MUITA coisa parada e eu queria usar tudo ao mesmo tempo na primeira oportunidade.

Resultado? Repetia os looks mais por preguiça de mexer naquela montanha de roupa.

Visualizamos melhor o que temos

Às vezes acreditamos que precisamos de uma camisetinha básica, aí arrumamos o armário e descobrimos dezenas de camisetinhas perdidas, ou então lembramos que compramos um vestido bacanudo, mas ele estava ali, escondido dentro de alguma sacola.

Entendemos melhor o que realmente vai fazer a diferença

Ao invés de comprarmos o décimo terceiro vestido que vamos usar só duas vezes, pode ser mais interessante perceber que não temos boas calças para trabalhar e correr atrás de algumas.

Desentulhar e fazer um inventário, contando o que temos, ajuda a compreender se o seu guarda roupa está em harmonia com seu estilo de vida e se ele atenderá as suas necessidades reais. Não adiantava, por exemplo, eu ter uma coleção de peças de paetê se eu saio pouco para eventos, enquanto o que eu precisava mesmo era de uma calça de alfaiataria moderninha e que vestisse bem para eu dar palestras e trabalhar.

Promove criatividade

Ter muito não significa opções, como eu escrevi lá em cima. Isso porque são apenas roupas paradas, que nos fazem acreditar que terão serventia algum dia, mas, na real, na real, dificilmente recorreremos a elas quando chegar o momento. Muito comum guardamos um tanto de coisa com essa esperança e, na hora H, a vontade de ir ao shopping comprar algo correndo pra usar naquele dia foi a que prevaleceu.

Quando nos propomos a usar o que temos, buscamos inspirações e ideias para versatilizarmos, criamos novas produções, improvisamos, estimulamos nossa criatividade – e isso traz muito mais satisfação do que aquela bad vibe de gastar, gastar, gastar e ainda ficar coma  sensação de nunca ser o suficiente.

Desentulhar o armário e mantê-lo só com peças realmente usáveis e que dizem muito sobre quem nós somos significa promover uma rotina mais leve, além de uma mudança de pensamento de acreditarmos que precisamos sempre de algo novo.

A verdade nua e crua é que precisamos mesmo de tanto?

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

13 comentários

  1. shamya comentou:

    Aninha, como esses teus textos me ajudam… você nem imagina!! Mudei muito meus hábitos de consumo depois que comecei a ler teu blog. É genial! Não canso de te agradecer. Muito obrigada! bju

    1. Ana Carolina respondeu shamya

      Que bom! Fico mega feliz! <3

  2. Thaís comentou:

    Sofro um pouco desse mal… As vezes emagreço um pouco (Sou bem magrela) e “perco” algumas roupas, ai guardo na esperança de engordar um pouquinho e voltar a caber (vestir bem em mim). E as vezes ganho ou compro algo que não tem mt a ver com meu estilo, mas q é bonito, e até veste bem, e fico guardando, pq ~Vai que mudo de estilo e resolvo usar. E ai fico com aquelas roupas anos e anos. O que tem me ajudo é: Se na 2ª limpeza a peça ainda não tiver sido usada, sinal que não vou usar, e isso me dá coragem de despachar na maioria das vezes…

  3. Paula comentou:

    Que agonia que me deu olhar essa pilha de roupas!
    Tenho tentado tirar com frequência as minhas peças e do meu filho(que tem perdido roupas num piscar de olhos) e mesmo assim chego a tirar sacolas por vez.

    Beijos

  4. Ticiana comentou:

    Por favor, escreva sempre sobre isso pq é importante reforçar! Obrigada!

    1. Ana Carolina respondeu Ticiana

      Pode deixar! 🙂

  5. Márcia comentou:

    Oi Ana, td bem???
    Posso te trazer para o Sul e te colocar num potinho???
    Aiaiaiai… é tudo tão simples e tão complicado ao mesmo tempo… eu leio muito sobre organização do armário, proporção das peças, o que vale a pena investir… e quando saio na rua, esqueço de tudo, perco o foco e compro o que não posso e não preciso… e deixo de lado minha lista de prioridades. (Será que isso tem solução?)
    Ando aflita com a quantidade de coisas que tenho, mas quando preciso, nada veste bem como eu queria, nada passa a imagem que eu gostaria… Enfim, não saio do 0x0.
    E outra, tenho várias coisas iguais (de cores diferentes). estou sempre do mesmo jeito e isso tem me deixado bem chateada… não consigo ousar, acho que nada fica bem… mas daí penso que os dias estão passando e não quero ser assim pra sempre!
    Adoro os teus textos e a visão que tens sobre a moda, sobre como as roupas devem andar a nosso favor, a objetividade e clareza de teu pensamento. PARABÉNS…
    Por favor, segue escrevendo sobre isso, precisamos muuuuuuuuuuuito de ti.
    Foi só um desabafo… obrigada!
    Bjo grande!!!

  6. Juliana comentou:

    Toda vez que você posta sobre o assunto, tomo como um sinal pra dar aquela limpada legal no armário. No início de agosto já fizemos uma aqui em casa; logo logo vem outra, porque sei que ainda tenho coisas que podem ser passadas adiante sem nenhuma perda pra mim (ou que já estão pedindo arrego e não largo porque “preciso”).

  7. Marcia Lo Fiego comentou:

    Ana, desde que sigo o teu blog não compro mais como antes. Esse mês vou me mudar, e vai ser o momento de fazer esse inventário! Estou optando por reformar coisas antigas, já comecei a levar algumas peças e isso sempre dá a sensação de ter coisas novas 😉

  8. Jacqueline Paes comentou:

    Eu sei que é dificil pra quem é mais apegado – ou liga menos para organização, tirar um dia de um feriadão e fazer uma limpa no armario. Entendo que não é tão simples para algumas pessoas, mas digo que sempre que tenho mais dias em casa, tento tirar uma manhã ou tarde pra isso e, juro, vale taaanto a pena! É uma sensação tão boa, de leveza mesmo, quando a gente tira esse tanto de coisa do caminho. É uma delicia ver todas as suas roupas, enxergá-las nos cabides, encontrar suas gavetas organizadas. O contrário dá uma angustia tao grande… Então tenta por uma musica e, de verdade, fazer disso um momento bom e util. Vale a pena! E no mais, a gente realmente nao precisa de tudo isso! Nao precisa! A vida fica mais leve e a gente gasta dinheiro com prazeres bem maiores. Sabe o que eu sempre digo pras minhas filhas na hora de desapegar: Pensa que importância essa roupa teria na sua vida se vc descobrisse que tem mais 6 meses de vida? É na roupa que a gente pensa quando se depara com uma noticia dessas?! Não, não é! A gente quer viajar, comer bem, estar proxima à natureza… É só pano… só pano… por mais q a gente goste dele…

  9. beatriz comentou:

    Todos os posts são sempre importantes pra mim (sou daquelas que liga o pc de manhã e já entra no blog pra ver se tem alguma novidade rsrs). Mas se fosse pra escolher um, ou um tema específico, acredito que citaria todos que você “desabafa” sua rotina maluca. A gente tem mania de colocar as pessoas que nos inspiram em um patamar muito elevado, e quando você faz post mostrando a sua vida “real oficial”, me faz acreditar que também consigo, me faz ver que nem tudo são flores ou perfeitamente encaixado como no instagram rs

    Obrigada ana, por ser tão real. você me inspira há 06 anos 🙂

  10. Fernanda comentou:

    Ana!! nessa vibe de não comprar roupa pra cada ocasião, queria pedir um post com sugestões de looks com as mesmas peças para várias ocasiões. Geralmente o que fica encostado no meu armário são aquelas peças que comprei pra uma festa na praia, um casamento no inverno, um evento corporativo especifico… ou seja, coisas que não se repetem tanto. e eu quero largar de mão dessas peças mas preciso de opções pra quando as ocasiões diferentonas aparecerem hahahhah
    bjsssssssssss

    1. Ana Carolina respondeu Fernanda

      ANOTADO! Adoreiiiii