Reflexões sobre a chegada aos 30

Esse ano eu, Mari, completei 30 anos e virei oficialmente uma balzaquiana. Dizem que os 30 são os novos 20, e tudo bem que faz pouco tempo que cheguei ao clube, mas até agora tá tudo normal por aqui, arrisco a dizer que tô até me sentindo mais plena. Durante anos li e ouvi sobre a temida chegada aos 30. Em teoria era uma época de mudanças, de começar a usar cremes antirrugas, de pegar mais pesado na academia porque o metabolismo começa a desacelerar… Acho que nunca li nada de bom sobre a chegada ao clube das balzacas.

Uma das minhas metas desse ano era comprar menos e tentar ser coerente no meu estilo. Quando resolvi fazer uma limpa no meu armário, notei que ele era composto em sua maioria por shorts, camisetas e vestidinhos acinturados. Os calçados variando entre sapatos e tênis moderninhos. Em determinado momento me perguntei se aquelas peças condiziam com uma mulher de 30 anos, e fiquei um pouco encucada.

mari-30-anos-ana-soares

Semana passada a Flávia Durante fez um post no blog dela mostrando perfis no Instagram de mulheres estilosas acima de 30 anos. Não me identifiquei com o estilo de nenhuma delas, e, de novo, tive dúvidas sobre estar me vestindo inadequadamente “para uma mulher da minha idade”. Logo depois entrei nas minhas fotos para dar uma olhada nos comentários, e tinham alguns falando sobre como sou estilosa. Lembrei também desse post em que eu falei sobre o significado de vestir bem, e relaxei. A minha idade não entra na lista coisas a serem levadas em conta na hora de escolher uma roupa, sabe?

Não é uma camiseta do Mickey que vai te fazer mais infantil. Um vestido em alfaiataria pode até dar um ar mais maduro ao visual, mas sabemos bem que maturidade tem muito mais a ver com comportamento que com estilo pessoal. A moda também serve para refletir nossa personalidade, e muitas vezes a gente a usa para parecer mais velha, nova, alta, magra… pra esconder o que a gente realmente é.

Ao contrário de tudo o que já li sobre fazer 30 anos, tenho me sentido cada vez mais segura com as minhas decisões, me achando mais bonita e com mais disposição para cuidar de mim. Continuo apaixonada pelos vestidinhos com estampas fofas, pelo combo t-shirt, shortinho e tênis e tá tudo bem com isso. E em outubro meu cabelo vai voltar a ter nuances coloridas, mal posso esperar.

Para quem ainda acha que existe “roupa de jovem” e “roupa de adulto”, gostaria de apresentar Baddie Winkle, a senhorinha mais fofa desse Instagram! Com quase 90 anos, Helen Winkle mostra diariamente pra gente que estilo não tem idade!

🌈🌦✨ @missguided always keeps me bright and happy on rainy days ✨💧🌈

Uma publicação compartilhada por badddiiie 🌈🎱🦋⛈ (@baddiewinkle) em

mari-rodrigues-hoje-vou-assim-offMariana Rodrigues
Carioca, 30 anos, gorda. Tagarela de carteirinha, fã de chá gelado e viciada em bons debates na internet. Apaixonada por moda e televisão, escreve sobre esses e outros assuntos também em seu blog aquelamari.com
Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

5 comentários

  1. Ana Emilia comentou:

    Oi, Mari. Este ano fiz 33… e me sinto muito melhor desde que cheguei aos 30. Sinceramente, não tive isso de crise dos 30 anos também. Comemorei essa data com uma super festa! (talvez isso tenha ajudado?rsrsrs). Bom, sei que não troco meus 30 pelos meus 20… aliás foi a fase mais difícil da minha vida até agora. Também me sinto mais plena, mais segura das minhas escolhas e até mais bonita, e olha que não sou nenhuma malhadora, acho que é o estado de espírito mesmo que me faz sentir assim. Após anos de conflitos com minha imagem, de querer ser o que eu não era, de sofrer com dietas e academia, cheguei à conclusão que quero ser feliz do jeito que sou. Cuido um pouco da alimentação por causa da tendência a diabetes, mas sem neura também. Pedalo hoje porque descobri há dois anos que gosto muito, e não porque tenho que me encaixar em algo. E uso a roupa que me faz sentir bem, independente do que vão falar. Enfim, amo meus 30 anos e fico feliz que esteja bem também.

  2. Muito legal o seu post!
    Me lembrou de uma vez, há alguns anos, quando uma amiga me perguntou porque “me visto como uma menininha” (por conta do meu estilo girlie/retrô, por gostar de saias rodadas e coisas fofas). Aí eu respondi: “vou ter mais de 50 anos da minha pra me vestir ‘como adulta’, então porque não posso me vestir assim agora?”
    Hoje com 27 anos, quase 30, me sinto tão confortável com meu estilo e comigo mesma que acho que vou continuar usando saia rodada e coisas fofas por muito mais tempo haha
    Acho que a escolha de certas roupas é mais uma questão de estilo do que de idade em si.

  3. Mari lindíssima!!! Que maravilhoso ler esse post. Faço 30 em janeiro e as vezes sinto essa desconexão também, mas vou trabalhando conforme elas aparecem. Obrigada por esse post ❤❤❤

  4. Adriane comentou:

    Eu vou fazer 40 em outubro e me sinto suuuuper jovenzinha rsrs. Adoro coisas fofas,camisetas divertidas,batonzão e tudo que a moda tem pra nos oferecer.Quando vejo as revistas e a internet ditando o que a mulher tem que vestir aos 20,30,40,60 etc… eu fico p da vida porquê,poxa,e a essência da gente,o nosso gosto e bem estar?Estou adorando os seus posts,continue sempre assim,Empoderadora.Abraços!

  5. soraia comentou:

    e eu com 49 anos e me sentindo com … 30 anos ! o que faço ? Me mato ? Ou sigo a vida da melhor forma possivel e gostando de modernidade !?