Afinal, qual o significado de se vestir bem?

Eu sempre fui uma gorda que gostei de usar roupa curtinha, algumas bem justas. “Roupa de magra”, dizem algumas pessoas. Em contrapartida, tenho vestidos que marcam mais a cintura e são mais soltos no quadril, dando aquela sensação dele estar maior. Tenho seios grandes e caídos, mas não dispenso usar blusinha ou vestido sem sutiã. E o que acontece quando eu visto essas roupas? Sempre tem alguém para me avisar que tal peça “não vestiu bem”, e o problema é sempre o fato dela “não favorecer” meu tipo físico.

A maioria das pessoas acredita que determinadas roupas vestem bem apenas se surtem aquele efeito “emagrecedor” e alongador. Não é à toa que em pleno 2017 muita gente continue sofrendo com cintas e outros artifícios para disfarçar o que consideram defeitos em seu corpo. Depois de ser muito questionada sobre algumas das minhas peças não me vestirem bem, surgiu uma questão: existe algum tipo de conceito universal sobre se vestir bem? O que faz uma pessoa ser considerada bem vestida?

nao-seja-escrava-da-moda

Para começo de conversa, esse papo passa também pela questão do controle do corpo alheio – e quase sempre esse tipo de questão é voltada para o corpo feminino. Cansamos de ver na TV, nos jornais e revistas pessoas sendo taxativas com relação a quem pode ou não usar certas peças, principalmente se tratando de tendências de moda.

“Baixinhas não podem usar bota over the knee.”

“As altas devem evitar salto.”

“Muito magras devem evitar calça skinny.”

Estamos sempre supondo que mulheres querem parecer com as modelos de passarela ou capa de revista. Para mim, estar bem vestida é um combo de me sentir confortável com determinada roupa + me olhar no espelho e me sentir bonita. Um grande exemplo pra mim é a meia arrastão. Acho linda, principalmente como tá usando agora, com o cós à mostra, mas acho completamente desconfortável! Esse desconforto vem desde criança, tenho várias fotos com carinha triste e andando com as pernas abertas quando minha mãe insistia em me vestir com meia calça ou arrastão, haha.

nao-seja-escrava-da-moda-1

Adoro tendências, mas não são todas que me pegam. É claro que muitas vezes a insatisfação com o que se vê no espelho pode ter a ver com equívocos na hora de comprar peças – e aí o serviço de consultoria de estilo da Ana pode te ajudar.

Entender porque uma peça não te veste bem é também um grande exercício de autoconhecimento. Entender a maneira como outras pessoas se vestem – mesmo que para a sua vista não seja algo agradável – é, acima de tudo, uma questão de respeito com o próximo.

mari-rodrigues-hoje-vou-assim-offMariana Rodrigues
Carioca, 29 anos, gorda. Tagarela de carteirinha, fã de chá gelado e viciada em bons debates na internet. Apaixonada por moda e televisão, escreve sobre esses e outros assuntos também em seu blog aquelamari.com
Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

5 comentários

  1. Lúcia de Cássia comentou:

    Eu sempre ouvi, vc tem que esconder suas pernas finas. E assim foi durante todo a minha infância, adolescência…
    Até que conheci umas francesas que diziam suas pernas são lindas.
    E aí depois dos meus 30, anos enfim a primeira saia
    E agora aos 38, várias saias e vestidos, e pior cada olhada de reprovação feminina que ganho. Mas não estou nem aí,aprendi a me aceitar.
    Não estou nem aí,para a opinião dos outros,ou balançada negativa de cabeça. Eu me visto ,e me acho o máximo!

  2. Marina comentou:

    Esse negócio do “se vestir bem” é bastaaante complicado… acredito que ele pode ser visto tanto da maneira como vc colocou, do se sentir bonita e confortável (eu concordo contigo), quanto de uma maneira mais ampla, quando é percebido/ comentado pelos outros, e nesse caso acho que vem de uma impressao geral de harmonia, conforto visual, sei lá. É bom ver o que a gente acha bonito, é humano, é natural, então eu entendo que agradando a mim nao necessariamente vou agradar ou serei prazerosa aos olhos dos outros (e vice versa).

    Tem escolhas que realmente acabam conflitando a nossa visao a nosso respeito com a dos outros. A nossa é que importa, ninguém tem o direito de desrespeitar isso, mas é aquela coisa: nao podemos MESMO esperar sempre que vao gostar. E digo isso como uma mulher gorda que nao se preocupa em se esconder ou se “””afinar””” com as roupas que veste (resumindo: sei o que estar nesse lado).

    E eu particularmente estou pegando pavor de tendências, nao sei se pela idade ou pela massificaçao que tá demais: acho repetitivo, clichê e “uniforme de ser moderna”. Isso é legal?

  3. Camila Barreto comentou:

    Caso alguém não tenha te dito, você é maravilhosa.

  4. Alice comentou:

    Perfeito

  5. Carla comentou:

    Sinceramente, não achei que vc tenha seios caídos; pelo menos não aparentam ser pelas fotos acima.
    No mais, admiro ( e até invejo ) pessoas que, como você, se vestem como gostam e se sentem bem sem se guiarem pelo que a moda impõe ou pela opinião alheia.
    Parabéns !