Muito sapato, pouco espaço

Quando mostrei a organização do meu guarda-roupa, nos comentários me pediram para mostrar o canto onde guardo meus sapatos. Essa pessoa certamente calculou que pegaria no meu calcanhar de Aquiles – sim, o meu ponto fraco, onde ainda falta arrumar. Perguntinha capciosa, viu.

Mas então, vamos lá: quem aí também não está sofrendo com a quantidade de sapatos espalhados pelo chão e sem saber onde enfiá-los? Me deem as mãossssss, que saga!

tenis-isolda-ana-soares-hoje-vou-assim-off
Tênis Isolda para Converse que está na sapateira, comprei na promo e só usei uma vez 🙁

Quem acompanha o blog há mais tempo (e bota mais tempo nisso) já me viu com sapato em forma de fusca, sapato de peixe, bota de moscas, saltos altos, tênis de tudo quanto é jeito. Se fosse inusitado e ainda estivesse na promoção, sem sombra de dúvida eu levaria.

Até que uma amiga me perguntou, anos atrás, quantos pares de sapatos eu tinha. Respondi bem matreira “Acho que uns 60” e ela rebateu “Ok, e quantos ali você efetivamente usa?”. Isso deu um clique na minha mente: pra que manter tantos pares acumulando poeira, se na real eu usava apenas um ou outro?

De lá pra cá eu tirei MUITA coisa e só compro se for pra substituir outro, como a sandália bege da Vicenza que entrou no lugar de duas curingonas de verão que se desfizeram de tanto uso. Mas olha a mule ali mostrando que fraquejei, olha mais um tênis colorido que ganhei, eita lelê.

bagunca-sapatos
Uma pequena amostragem dos sapatos que ainda estão desorganizados e me deixando louca

Então a real é que eles ficaram por último, mas ao mesmo tempo essa desordem me tira o sono. Detesto ver sapato espalhado, e para resolver logo esse canto eu dependo de alguns fatores, como tirar mais pares para deixar apenas o suficiente. Esses na foto são uma parte ainda, por isso estou sendo muito mais fria e calculista na hora do desapego.

Diferentemente de roupas, eu nunca liguei de pagar mais caro um pouco por sapatos – eles são os grandes responsáveis pelo tom que queremos dar às produções, e um pisante mal acabado ou detonado derruba um look inteiro. Mas comecei a acumular tantos que eu passei a enfrentar alguns problemas:

Um: onde guardar TANTO sapato. Vocês já viram o preço de uma sapateira? Papo de mais de mil reais, sem chance, por isso ainda estão desabrigados, eu não posso gastar essa grana.

Dois: manutenção. Deixá-los livres de poeira, consertar saltos ou fivelas, limpá-los, tudo isso começou a demandar mais tempo do que eu gostaria.

Três: como eram muitos, vários ficaram intactos por muitos anos porque eram pouco usados. E, nessa, começaram a se desfazer de tanto tempo guardados. Ou apareceram manchados. Reparei também que os que duraram pra valer e quase sem danos eram justamente os que eu usava com maior frequência.

Vou orçar quanto custa mandar fazer uma sapateira porque prefiro todos bem armazenados, longe de gatos e poeiras e prefiro não visualizá-los – espero que saia mais em conta do que uma pronta na loja.

A minha sorte é que, de tanto trabalhar reduzindo guarda-roupas, já estou farta de ver coisas atravancando o caminho! Estou a poucos passos (piadinha, hein, hãn), de finalmente resolver o meu cantinho zoneado dos sapatos, uhuu! Não quero mais espalhar coisas e muito menos ter algo em excesso. É um processo, mas eu estou resolvendo graças a alguns hábitos de consumo que fui incorporando à minha vida ao longo dos anos:

  1. Parei de comprar por comprar

Sabe aquela praga chamada compre três pares e ganhei mais três? Na verdade eu nunca embarquei nessa porque tentava manter mais a consciência, mas conheço várias pessoas que já se sentiram encantadas com a possibilidade de dobrar o número de sapatos e levar vários pisantes novos pra casa. É tentador, comprar vicia mesmo, mas não adianta entulhar a casa com dezenas de pares que serão usados uma única vez ou amontoá-los em outros lugares já que você não tem espaço.

130720113
Meu scarpin de peixe da Neon para Mr Cat: das minhas doideiras e usei bem pouco hahah

E sapato ocupa MUITO espaço. Eu tinha uns 5 pares de botas que eu ganhei e simplesmente não usava, porque né, Rio de Janeiro, calor o ano todo e tals. Reduzi para duas e mesmo assim estou questionando a presença da de cano alto. Acho que ano passado só a usei apenas uma vez e nem na minha viagem eu senti vontade de levá-la, por isso me irrita olhar para o canto do quarto e vê-la ocupando um espaço.

2. Não compro mais nada que não calce bem na hora

Sabe aquele papo de “pode comprar, quando você usar ele laceia”? Não caiam nessa, o sapato não vai lacear e provavelmente ficará parado, te provocando e mandando um “lero-lero” toda vez que você tirá-lo da caixa. Já caí na besteira também de comprar um número maior que o meu, naquele desespero de ter que ter determinado modelito, comprar palmilha de ajuste pra tentar sanar o maledito saindo toda vez do pé, e o resultado foi dar adeus pra ele, meses depois, no enjoei.

Eu tento andar muuuito com o sapato pela loja e, se eu tiver qualquer dúvida no caminhar, se não achar macio e nem confortável o suficiente, não levo.

Normalmente eu levo uma meia hora provando aquele sapato, me imaginando nas situações, pensando que na loja tem ar condicionado e ele se comportará de outra forma no meu pé inchado e suado de calor. Se eu compro online, testo em casa com muito cuidado e avalio também os materiais: evito com todas as forças sandálias de tiras com materiais que arranham, como glitter ou que sejam notoriamente duros, como verniz.

3. De quantos tênis uma pessoa precisa?

Eu AMO tênis. Amo amo amo. Mas não precisava ter comprado tantos, rs. Contabilizei 8 pares, sendo que uso pra valer apenas três. Sim, eu substituí salto alto e sapatilhas pelo conforto e despojamento, mas não precisava de uma coleção deles. Comprei alguns por puro modismo e por estarem em uma super promoção, confesso, e me arrependi. Paguei barato, mas ficam parados, então de que adianta?

look-tenis-branco-5
Esse tênis virou moda, mas uso MUITO o meu e mais nenhum

Sempre que rola aquela vontade de descontrole, hehe, penso na quantidade de vezes que vou usar aquela peça e com quais roupas. Ler o Menos é mais está me ajudando  muito: não adianta achar lindo ter um par de cada cor se, efetivamente, na hora da correria, vamos no mais fácil de coordenar, no mais macio, naquele que resolve a sua vida numa viagem. Acho uma graça tênis vermelho, mas só usei o meu uma vez, então vou me ater a admirá-lo nos outros. Não precisamos ter todos os modelos do mundo! 😉

4. Estou tentando evitar modismos e convenções

Usar o que se tem é a melhor maneira de fazer valer seu tempo e dinheiro. Não cair em ladainha de tendências e o que está na moda mesmo que não tenha nada a ver com seu estilo, entender que tem toda uma indústria trabalhando para enfiar nas nossas mentes que somos centopeias ou qualquer outro estereótipo que jogam pra cima da gente pra justificar qualquer consumo desenfreado.

Pesquise mais as marcas, conheça o processo de produção, o que essa marca faz de bacana pro mundo, busque por mais materiais de qualidade, perceba o que você realmente gosta de usar. Vale pagar mais caro pra ter menos e com mais qualidade, vale esperar liquidação pra investir, vale eventos de trocas, pegar emprestado da amiga ou família se você tem um evento e sabe que não vai usar esse sapato nunca mais.

rasteira-casamento

Por exemplo, se você não sente à vontade de salto alto, para que usá-lo num evento, só porque virou convenção? Essa rasteira da foto eu usei para ir a um casamento (tem foto do look aqui!), me senti bem elegante e ela ainda rendeu em várias produções do meu dia a dia. 🙂

Claro que continuarei amando com força meus sapatos mais exóticos e gostando de uns mais diferentões – a ideia aqui não é mudar o que se gosta e forçar uma monotonia –, mas tenho pensado mais e avaliado bem antes de sair passando o cartão pra todos. 🙂

Agora eu lanço pra vocês a pergunta: vocês conseguiram organizar seus sapatos? Usaram sapateiras de madeira, metal ou estantes? Ou vocês ainda estão sofrendo com tudo espalhado?

Espero resolver essa saga em pouco tempo. Cruzem os dedos!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

36 comentários

  1. Ítala Alves comentou:

    Eu uso um móvel de madeira pra guardar. Ele era parte de um armário de cozinha. Arranquei a parte de cima e ficou tipo um balcão. Ficou bonito, juro, e ainda com carinha vintage pq era da minha ex sogra, deve ter uns 40 anos o armário. Eu me desfiz de metade dos meus sapatos nos últimos dois anos. Entendi que não precisa de um de cada cor e sigo aprendendo.

  2. Leticia Almeida comentou:

    Oi Ana, o meu closet é aberto, guardo os meus sapatos em prateleiras. Tenho apenas a quantidade de sapatos que cabem nesse espaço (acho que não chega a 20). Também estou pensando bem antes de fazer qualquer compra e usando os meus sapatos até acabarem, mesmo aqueles que não curto muito.
    Já que você falou em sapatos, fiquei curiosa sobre como você guarda as suas bolsas. Eu já tive mania de bolsa e é algo chatinho de se guardar. Gostaria que você mostrasse as suas.

  3. Emilia comentou:

    Oi, Ana. Meus sapatos ficam em um armário de madeira, parece um guada-roupa pequeno, com prateleiras. Optei por ele porque é fofo e protege os calçados da poeira, pois moro numa cidade que pó preto (oi Vitória-ES), e também harmoniza com os outros móveis do quarto. Gosto de sapatos coloridos, então tenho sim rosa, azul, verde, vermelho, além das tradicionais cores bege e preto. Mas uso todos mesmo. São cerca de 30 pares, já contando dois tênis. Então não tenho dó, porque uso todos e muito. Já faz alguns anos que consegui ter essa consciência. Gosto de ver inclusive espaço na sapateira, então só compro novo quando já doei algum par. Não necessariamente compro logo, quero dizer que se já doei 3 pares, estou liberada para comprar 3 pares quando achar algum que goste. Bom, funciona pra mim. Abraço.

  4. Os meus estão organizados nas caixas em uma estante de madeira que tem na despensa, na minha casa (que estou construindo ♥♥♥) vai ter closet e um lugar só pra eles, será que faço o armário com portas?

    1. Francisca respondeu Thais Schmitz

      Oi! Faz sim! Closet aberto é legal no pinterest, mas além da poeira a exposição a luz, artifial ou do sol, desbota tecido e couro. (Se tem um cômodo todo pra o closet, considera cortinas de tecido, que podem expor tuuuudo e também proteger tudo quando não está usando.) E faz portas que abram de par e exponham tudo junto. Assim tu nunca esquece de um par. Minha sapateira fiz sob medida – profundidade certinha pros sapatos mais bicudos + 3 cm de folga, alinhei tudo no chão e medi pra decidir a largura, medi as alturas dos sapatos pra distribuir as prateleiras adequadas… Dá mais trabalho (pra ti e pra projetista), mas assim tu garante que o móvel vai ser perfeito pro teu uso 🙂

  5. Bruna comentou:

    Oi Ana! Então, em casa eu guardo os sapatos numa sapateira feita de mdf pelo namorido, mas não é suficiente pra tudo 🙁 Ela é aberta, mas eu guardo quase tudo naqueles saquinhos do próprio sapato, só deixo de fora os da estação, que são os que uso mais (em Buenos Aires super rola fazer isso). To num processo parecido com o seu de desapego do que não funciona pra mim, mas é difícil pra caramba! Por exemplo, eu quase não uso mais tênis, passo mais tempo no trabalho, que é super formal e não rola ir de tênis, mas não consigo desapegar dos meus queridos rs. O que ficou de fora da sapateira foram as botas, que guardo numa caixa em frente a sapateira. Tropeço nela todo o tempo, o que dá pra ver que não funciona nem um pouco! haha Me prometi que não compro mais nenhum par de sapatos esse ano até resolver o tema do espaço. Beijão!

  6. Paula comentou:

    A minha solução foi trocar a cama por uma box com baú. Ganhei um espaço inacreditável!

    1. Ana Carolina respondeu Paula

      Paula, respondendo com atraso: eu não posso fazer essa troca porque meus gatos destruiriam a cama box 🙁

  7. Lari comentou:

    Ahhh centopeias… eu já tentei tudo que foi forma de organização nessa vida mas sabe qual foi a melhor e que eu me adaptei mesmo? Aquelas sapateiras de TNT com visor transparente e que dá para colocar debaixo da cama. A minha cama é uma box e a bendita sapateira entra como uma luva embaixo da cama. Mas tem que ser a semi flexível, aquela molenga é só pra gastar dinheiro à toa.

    Pelo menos as sapatilhas eu guardo nessa sapateira, aos poucos estou me desfazendo dos saltos pois eles não fazem sentido nenhum não minha vida e meu joelho não tem mais idade para essas coisas…

    E sim, pode me chamar de sistemática mas eu comecei a fazer um rodízio com meus sapatos, o que uso vai pro fundo da sapateira e trago os de trás para a frente. Foi minha estratégia para dar conta de usar tudo o que tenho. Aliás, tenho usado essa estratégia com todas as minhas coisas. No início é difícil mas tenho achado tão gratificante…

  8. Ione Belmonte comentou:

    Oi Ana,
    Estou no mesmo dilema dos sapatos pior foi descobrir que tinha dois pares novos e nem lembrava, como ficam no armário do banheiro resolvi tirar pra fora e deixar no meu quarto ao vivo e a cores assim lembro de usar! Claro fica meio desorganizadinho o quarto mas fazer o que…

  9. Priscila Maravitch comentou:

    Ana, AMO seu blog e a partir dele mudei muito minha concepção de consumo. Parei com a compra desenfreada e passei a um gastar mais consciente. Minha solução para meus sapatos (morava num apt de 48m²) foi fazer uma cama com 4 gavetões embaixo. Assim, armazenava e visualizava (muito importante) todos os meus sapatos, além de protegê-los da poeira (no seu caso, dos gatos também hehehe). Desejo todo sucesso do mundo pra você! Beijos

  10. Elis comentou:

    Eu também era alok dos sapatos, tinha muitos e muitos pares, e vários com saltos muito altos, vários scarpins coloridos, e por um bom tempo eles me serviram bem e eu curtia a maioria deles. Maaas a fase passou, meu estilo foi mudando e eu demorei pra reconhecer, ficava super frustrada tentando encaixar vários sapatos que eu achava que eram minha cara (porque um dia já tinham sido) num estilo de roupas e de vida em que eles não cabiam mais. No fim eu vendi a grande maioria deles e hoje tenho vários curingas que eu amo, e como eu viajo bastante, juro que me traz uma felicidade genuína (parece besteira) ter sapatos que eu SEI que vão funcionar com quase tudo que eu tenho… Engraçado as coisas que acabam deixando a gente satisfeita né hahahah

  11. Elen comentou:

    Ana, desde q mudei para a minha própria casa descobri arrumando meu novo armário q eu possuo muitas coisas estocadas. Os sapatos, por exemplo, já ganharam um canto no armário que tem uma profundidade vantajosa. Isso faz com que eu use os q ficam na frente apenas. Uma sandália arrebentou de tanto usar e outros sapatos nem encosto. Preciso urgente visualizar o que necessito e tentar passar para frente o que n uso.

    Beijos

  12. Julie B. comentou:

    ana, adorei o tema desse post!
    bem guardados os meus sapatos estão. cada par mora em seu saquinho, separados em duas prateleiras: os de tons neutros e os coloridos. o problema é que essa forma de arrumar acaba dando preguiça de usar alguns (sobretudo os que estão na parte de trás no montinho de cada prateleira). acaba que o que? uso os mesmos.
    tenho 56 pares, muito mais do que preciso e uso (apesar de ter me desfeito de vários no ano passado). agora é hora de reduzir o número de pares e pensar num cantinho bom pra eles ficarem guardados de forma prática (ainda estou em processo de organizar o meu quarto).

    1. Julie B. respondeu Julie B.

      esse post ficou martelando na minha cabeça. acho que foi o isolda para converse, que eu também comprei e usei no máximo 3 vezes (ainda por cima, comprei um número maior que o meu, “afinal é tênis, hihi”, e aí, além de não conseguir combiná-lo com minhas roupas, ainda fico achando que ele tá um mondrongo no meu pé).
      ontem, em plena terça-feira gorda, resolvi DE NOVO (porque eu já tirei vários sapatos dessa minha coleção ao longo de 2016 – foram duas limpezas grandes) exercitar o desapego: tirei TODOS os pares do armário e dos saquinhos, expus no chão do quarto, e fiz questão de experimentar todos os que nunca mais usei (ou nunca usei at all). pensei bem se eu realmente GOSTAVA deles no meu pé. se iria usá-los mesmo. se não valeria mais a pena, se fosse o caso, até comprar sapatos que fossem realmente ser postos pra jogo, porque, na real, vários ali iriam continuar no armário se estragando pelo não uso (sei bem o que é isso!).
      por enquanto, reduzi os 56 para 42, ainda pretendendo dar adeus a mais alguns, quem sabe agora de manhã.
      só posso dizer um muito obrigada, ana! você está ajudando demais no meu processo de me desfazer das coisas com essas reflexões. tem coisas que eu até já sei, mas quando você “fala” aqui, eu paro pra pensar e sou bem menos condescendente comigo. e, acredite, eu preciso: 20 anos de consumo compulsivo (a doença mesmo), muita acumulação… estou descobrindo que acumular é muito mais fácil que dar um destino às coisas, compra, traz pra casa, soca no armário. o processo inverso, ah, esse requer reflexão sobre como descartar aquilo (tá bom pra ser vendido? alguma amiga gostaria de ganhar? tá velhinho mas serve pra ser doado? tem que jogar fora – e nesse caso, o planeta só sendo casa vez mais atulhado?). tou aprendendo é muito. beijo grande!

      1. Ana Carolina respondeu Julie B.

        Ah, Julie, que comentário legal! Me deu até inspiração pra um outro post! Tudo de bom no seu processo, tamo juntas! 😀

  13. Carol Magnani comentou:

    Ana, eu consegui!!!! (momento música de superação rsrs). Eu doei muitoooosss!!! E os que ficaram (acho q dava pra tirar mais uns) ficaram numa caixa organizadora embaixo da cama (apto pequeno tem q inventar espaço). E funciona muito bem obrigada!!! Ah, e na entrada de casa tem uma pequena sapateria de metal onde deixamos o sapato que tiramos assim que chegamos em casa.

  14. Babette comentou:

    Oi, Ana! Consegui colocar todos os meus sapatos nas prateleiras do guarda-roupas, numa parte fechada, isolada das roupas e uma vez por semana deixo as portas abertas pra dar uma ventilada. Eu guardo os sapatos com os saltos virados pra frente, facilita na hora de escolher. Doei vários pares, consegui ficar com 18 (incluindo 2 tênis de academia), a maioria de salto, porque sou baixinha e AMO salto, mas não abro mão do conforto! Fiquei MUITO tentada a comprar um tênis branco, por causa da tendência né, mas lembrei que já tive um e mal usava, porque não me sinto bonita de tênis, me sinto… estranha. Depois que comecei a acompanhar seu blog, fiquei muito mais consciente na hora de comprar. Obrigada pelas dicas maravilhosas! Beijos.

  15. Lu Monte comentou:

    Tenho vinte e poucos pares, mas na verdade uso metade deles, mais ou menos… não consigo desapegar dos outros! Acho mais fácil desapegar de roupas que de sapatos. Quando tinha muitos, deixava-os em saquinhos de tnt com visor e empilhados (só os mais delicados ficavam em caixas). Agora são poucos o suficiente pra caberem na sapateira do armário, um ao lado do outro.

  16. SILVIA REGINA COELHO DA ROSA comentou:

    Meus sapatos estão guardados pelos armários da casa. Eu coloco em prateleiras os do dia a dia como sapatilhas, sandálias de salto grosso, rasteiras e tênis. Os scarpins e os de festa guardo em gavetas. Eu tenho muito sapatos. Sou dessas que sai pra comprar roupa e volta com sapato e sem a roupa. Tenho tentado desapegar ou usar até acabar mas é difícil. Lancei um auto desafio de não comprar sapato em 2017. Mas já furei o cerco e comprei uma rasteira preta remarcada na C&A, de 169 por 39reais!

  17. Verônica comentou:

    Sobre sapatos prefiro não comentar kkkk

    Bjsss Lindona!

  18. Jaqueline fagundes comentou:

    Oi Ana… Simplesmente sou alokadosapatos…Tenho vários pares…Parei de contar depois do 60° par..
    Fiz um quarto novo sob medida e projetei uma sapateira com 2m de largura com 3 prateleiras 😱. Organizo conforme a estação, deixando-os com fácil acesso.
    Sei que devo tentar o desapego, mas é difícil…AMO meus sapatos.

  19. Glaucis comentou:

    Guardo os sapatos em puff baú comprado na Leroy Merlin por menos de 100 reais .. os puffs já ficam próximo a porta pra sentar pegar o sapato calçar e sair .. qnd chegar já tiro o sapato e guardo.

  20. Silvia Orchidea comentou:

    Olá bom dia!
    E o niver? Muito festejado!!🎂

    Qto a sapatos utilizo cxs. Transparentes. Usou, limpou, guardou e visualizou!! Super prático em uma porta separada do armário.
    Bjs

  21. ana comentou:

    Oi Ana, eu tenho uma sapateira de duas portas com algumas prateleiras. Nela eu guardo os sapatos que eu mais gosto e também os melhores. Em um guarda-roupas eu uso duas prateleiras. uma para tênis e outra para sapatos que são os mais usados. doei muitos quando mudei de casa mas, ainda tenho muitos. Moro em uma cidade que tem muitas fabricas de calçados femininos dai, a grande quantidade. já não compro mais calçados há muito tempo.

  22. Renata comentou:

    Eu tb não aguento mais sapato machucando… Os sapatos de conforto antigamente eram bem feinhos, hoje são lindos e terapêuticos. Eu acho uma super vantagem! Tenho uns sapatos de salto que estou me questionando também… Não uso e quase morro com eles no pé só de experimentar. E sapatilha fica linda na festa ou em ocasiões formais. Chega de sofrer! Vou fazer uma catança geral aqui tb! 🙂

  23. Lígia comentou:

    Ai jesuis eu perguntei dos sapatos!! Ana desculpaaa! hahahaha! Juro que não fazia ideia que era seu ponto fraco!
    Também sofro com a questão do espaço, e pelo visto não estou sozinha! Moro na Alemanha há 1 ano e desfiz de muita coisa antes de vir pra cá. Ainda assim, o espaço é apertado, pois no momento divido um guarda-roupas não muito grande com meu marido. Trouxe meus sapatos em saquinhos de pano e assim ficaram alguns meses. Os papatos ficavam empilhados e isso começou a deformá-los. Então comprei caixas plásticas e ficou tudo com cara de arrumado, só que diminuiu quase por completo o espaço que eu já não tinha! Além disso tenho os sapatos de frio, que não são muitos, mas tb são espaçosos. Vi que várias pessoas usam sapateiras ou um móvel a parte e gostei da ideia! Devo me mudar de apartamento ainda esse ano… então provavelmente as sugestões entrarão no planejamento da nova moradia! Quanto aos hábitos de consumo, tento torná-los o mais consciente possível desde que me entendo por gente acompanhando seu blog! 😀
    Um beijão! :*

    1. Ana Carolina respondeu Lígia

      ahahahahahahaha tudo bem, querida! 😀

    2. Karina respondeu Lígia

      Oi, Lígia! eu também os guardo empilhados em saquinhos de pano, na parte baixa do armário, e eventualmente um ou outro acaba “tortinho”, mas como o pé devolve a forma a eles isso não me incomoda. não é a maneira mais estética de guardar, mas quebra um bom galho na poupança de espaço, como vc bem reparou.

  24. Dani comentou:

    Oi Ana. Talvez vc não me responda, estive viajando e totalmente sem tempo de me atualizar com o blog. Mas eu preciso de rehab.
    Cheguei a 98 pares de sapatos que eu simplesmente não sabia o que fazer com eles. Na verdade, eu consegui me desfazer de alguns, uns 25 talvez, parei de comprar por comprar (adoro sapatos diferenciados então acabo investindo um certo dinheiro neles) e juro que tentei seguir a ideia do armário cápsula (compro poucas roupas mesmo pq meu estilo é muito minimalista, então minhas roupas são as mesmas pq aprendi a investir em tecidos de qualidade). Mas eu quero me desfazer de mais sapatos mas minha consciência não deixa! Fico me culpando que foram caros ou arranjo desculpa pra não doar/vender. Quero uma sapateira menor na vida! Help

    1. Ana Carolina respondeu Dani

      Oi Dani! Calma, não se angustie! Vou escrever um post sobre, mas ninguém consegue se livrar de tanta coisa em tão pouco tempo. Vai fazendo aos poucos, sentindo mais os sapatos que vc tem usado e os que não estão fazendo falta…apego traz sofrimento, mas não é fácil tb desapegar. Aos poucos vai analisando o que vc tem e tirando, evite comprar mais. 🙂

  25. Vanessa comentou:

    Meu Deus, me vi nesse Post!!!
    Não tenho mais onde guarda- los, e agora vou pra um apartamento maior e vi que vou continuar sem espaço!!!! Nisso descobri que os sapatos é que são muitos, não o espaço que é pouco!! Tb estou tentando me conscientizar, acho que já melhorei bastante… mas ainda quero tanto esse tênis branco rsrsrs

  26. Rebeca comentou:

    Momento em que senti que venci na vida: tenho sapatos em uma sapateira de pendurar atrás da porta. Coisa entre 12 e 16 pares. Duas de salto que eu quase não uso (mas tenho apego ainda, foi mamãe que me deu), um salto que uso as vezes (usava mais antes de 98 longos degraus me separarem do ponto de ônibus), duas sandálias que ponho pra jogo no calor, uma rasteirinha que irei doar pq nunca uso, sapatilhas (que a regra é: só entra outra quando uma estourar de tanto usar) é o tênis pra trabalhar. Preciso de mais? De forma alguma. Reduzi as bolsas tb. E estamos em processo de redução de roupas (tive um surto consumista depois que minha mãe partiu), livros (me esforçando para não comprar mais livros físicos, a natureza agradece e não fica mais nada encalhado na minha estante). Queremos uma vida mais leve e com consumo consciente. 🙂

  27. Ariana Melo comentou:

    Oi Ana! To comentando atrasado aqui, nem sei se vc vai ler… Mas eu já passei por várias fases para guardar os sapatos. Inicialmente, meu guarda-roupa tinha um espaço quadrado com uma prateleira no meio só, para os sapatos. Claro que não era o suficiente, eles viviam amontoados. Tentei organizá-los nos saquinhos, mas aí eu me esquecia de quais eu tinha. Até que cheguei a conclusão de que precisava de uma sapateira. Chamei um marceneiro e, nesse mesmo espaço, ele fez uma sapateira de correr com 4 prateleiras. Rendeu que foi uma maravilha! Desapeguei os que não usava e eles couberam lá. Mas aí, como fui comprando um aqui, outro ali, acabei enchendo uma gaveta com os novos. Resultado: a sapateira continua lá, linda, mas a gaveta tá amontoada. 🙁