5 coisas que fazemos e nos limitam no vestir

Estamos quase na virada do ano e além de propor uma limpeza no guarda-roupa para tirar tudo aquilo que não te traz alegria ou não tem a ver com você, quero falar sobre uma revitalização também nas ideias. =)

Vale a pena repensar algumas questões que nos impedem de ter um guarda-roupa que seja mais coerente com quem nós somos e com a vida que levamos. Que suas roupas podem e devem dizer mais sobre você. Vale desconstruir desde conceitos defasados do tipo “baixinha não pode usar saia longa” até refletir do por quê de você só vestir preto e branco no trabalho.

Eu separei cinco situações relacionadas ao vestir e comprar que já vivi e presenciei para cutucar vocês e instigar uma atualização quando nos referimos ao que consumimos para comunicar quem somos. Minha proposta é que cada um reflita por alguns instantes em frente ao armário e ao espelho e se proponha um novo olhar sobre o seus trajes diários e o que possui.

A cada ano eu quero me vestir cada vez mais de mim, das minhas ideias, dos meus valores, me reconhecer por completo no espelho. Mais do que a estampa da temporada, tem sido um super exercício desapegar cada vez mais e quebrar as estruturas do que eu considero nas minhas escolhas.

#1 Ter roupa pra uma vida que você não vive

Essa eu aprendi na minha formação e se encaixou como uma luva no meu guarda-roupa e no das clientes de consultoria: pra que comprar o quarto blazer de paetês mesmo achando lindo blazers de paetês, se eu não tenho uma blusa bonita e fresca para trabalhar no verão carioca (artigo de primeira necessidade)? Já até escrevi sobre isso, mas eu interiorizei finalmente que não levo uma vida tão notívaga e festiva assim para colecionar tanto brilho, mesmo usando de dia sem problema. Bora focar no que fazia falta no meu armário e eu nunca tinha dinheiro para comprar porque – adivinhem? – ele estava todo aplicado em lantejoulas.

blusa de paetês pretos, jaqueta jeans índigo, short preto

#2 Comprar roupa que não tem a ver com você para se adequar ao ambiente profissional

Algumas vezes eu termino de analisar a cartela de cores das clientes e várias se desesperam: “putz, não tem branco na minha cartela e eu acabei de comprar várias camisas brancas para trabalhar…”. Aí eu falo que dá pra usar um lenço ou colar com suas cores para compensar, mas esse fato é o que acontece com 99% das pessoas que leem algum artigo sobre os essenciais do guarda-roupa e acreditam que aquela lista é default para elas.

Se o seu estilo não comporta usar blazer, porque não sair desse tem-que-ter corporativo e olhar mais para casaquetos, coletes, quimonos? Blazer e a camisa branca, quando aplicados fora do contexto do estilo de alguém, não passam a mensagem adequada, acreditem. Perceba mais o que combina com você, com a sua essência, e não se guie por dicas de revistas de moda ou só para seguir um padrão.

#3 Comprar roupa que não condiz com o clima da sua cidade

Essa é para mim também. Dá-lhe Ana há alguns anos comprando calça de lã, tricô, blazers variados, camisas de poliéster. E o que eu consegui com isso? Um guarda-roupa abarrotado de peças sem uso, que esquentam loucamente nesse Rio que não tem inverno, e quase nenhuma blusa de tecido fresco, nem vestido soltinho de algodão, uma sandália arrumada.

Não tem jeito, eu sou calorenta ao extremo e só de abrir o armário com 40 graus e um sol a pino já me desanima para escolher roupa. Reverti a situação vendendo as peças mais quentes e repetidas e reinvestindo em outras de corte e tecidos mais apropriados. Hoje está mais equilibrado e eu reduzi demais a quantidade de roupa que eu compro só de ler na etiqueta a composição do tecido.

#4 Querer ser quem você não é (no vestir!)

Eu sei que essa é especialmente difícil para quem não foi de encontro ao seu estilo ainda, mas procure olhar com mais carinho para si mesma: do que você gosta? Quais cores você usa e recebe elogios? Quem você admira? Como é sua rotina, você trabalha fora, anda de ônibus, gosta de priorizar conforto quando se arruma? Monte esse mural de referências e avalie se suas compras são mais impulsivas ou mais planejadas.

Adapte algumas ideias à sua vivência para ficar em paz com seu espelho. Dá pra ser lúdica e pé no chão, dá pra colorir a roupa de sempre com um detalhe ou outro. Do que você gosta? Quem é você na essência? =)

#5 Usar branco e preto achando que vai com tudo

Um clássico repetido à exaustão: branco e preto são cores que dão com tudo e todo mundo tem que ter. PÉN: não é bem assim. Sim, eu sei, essa revelação é dolorosa, mas necessária para te salvar de uma possível combinação preguiçosa e mecânica, só para não ter que pensar mais uma coisa no começo do dia.

Tem quem carregue no visual black total e aí fica pesado demais. Preto e branco são cores que não permeiam todas as cartelas – ou seja, podem sim te deixar com uma aparência mais cansada – e, acredite, tem variações de neutros que funcionam até melhor que o feijão com arroz das muódas.

Tem branco puríssimo, mas tem o branco com um sujinho de amarelo; tem o cinza grafite com um fundo mais azulado e que atenua mais o contraste das combinações com outras cores em relação ao preto; tem o borgonha, o verde escuro, o caramelo, o marfim, e o maravilhoso e versátil azul marinho, essa sim uma cor que vai com muitas outras e que transita soberano entre todas as cartelas.

jaqueta prata, camisa branca e calça preta

Que tal nesse ano propor uma revolução particular no seu armário? =)

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

29 comentários

  1. Ameeeei o post, Ana! Você sempre propondo reflexões muito interessantes e que têm o objetivo de melhorar nossa relação com o guarda-roupa!
    Aproveito para lhe desejar um feliz ano novo! Que 2016 seja incrível – em todos os sentidos – pra você! Um beijo enorme,
    Camila Vaz
    http://www.vazcomestilo.com.br/

    1. Ana Carolina respondeu Camila Vaz

      Obrigada pelo seu carinho Camila! Feliz 2016 pra vc também 🙂

  2. Eei! Gostei muito do post e apoio todas as ideias! Temos mesmo que parar de pensar nos must have, trends e tudo mais, e pensar em nós ❤ beijão

  3. Janaina Paula de Lima Rodrigues comentou:

    Adorei o post!!! Essas reflexões são muito importantes, e devemos realmente fazer uma “limpeza” nos armários, e mudar a nossa maneira de encarar a vida!!!! Que 2016 venha com muito sucesso e felicidade pra você e para todos nós!!! Um bju.

  4. magah comentou:

    Ana parece que vc leu meus pensamentos. Fim de ano, inúmeros eventos de confraternização e com eles o desejo de consumir novas peças. Até pensei em comprar algo, apesar de ter gostado de alguns itens tratei de revisitar meu armário e ver o que estava lá sem uso. E quantas descobertas… Meu propósito para 2016 é usar tudo o que tenho nas mais diversas composições, pensando sempre fora da caixa. Aliás aprendi isso com minha blogger favorita. Feliz 2016 e que este venha com muito sucesso para vc.

  5. monica mesquita comentou:

    Feliz 2016 Ana!
    Otimo post!
    Você é a blogueira mais ” vida real” que conheço.
    Bj

  6. Priscila comentou:

    Amei!
    Sou dessas que sempre compra roupa ‘pra trabalhar’… vou repensar!

    Beijao!

  7. Marina Barbosa comentou:

    Ana! Que post bacana e revelador!
    Dentre todas as pessoas envolvidas com moda, você é a primeira que vejo expor pensamentos deste tipo. Especialmente as “verdades absolutas” que pregam por aí sobre “branco e preto vai com tudo” e “blazer é peça que tem que ter”. A única vez em que experimentei um blazer não me senti eu, não faz parte de mim, do meu estilo. Mas sempre havia alguém batendo na tecla sobre a tal peça “coringa”. E a sua reflexão veio me dizer o que sempre quis ouvir: que eu NÃO TENHO QUE ter aquilo que não se encaixa em mim!
    Muito obrigada!
    Um beijo!

  8. Bruna comentou:

    As duas primeira situações caíram como uma luva pra mim! Muito bom o post, vou repensar inclusive a limpa que estou fazendo no armário (e as peças que não consigo despegar mas já nem uso). Gracias pela reflexão, Ana! Que 2016 seja um ano maravilhoso pra ti. Beijo!

  9. Gi comentou:

    Ana, foi muito legal ler este post. Você é uma influência positiva para todas nós! Rolou uma identificação com a questão da cor preta. Antes não gostava, pq era muito magrinha e achava que não me favorecia. Quando comecei a usar, logo percebi que não ficava bom. Sempre me deixava “apagada”, mas não tinha noção de cartela de cores, até começar a ler aqui e entender que as cores não funcionam para todo mundo. E não funcionam mesmo! Fico péssima com o pretinho básico… rs
    Um feliz 2016 pra vc!
    Beijo.

  10. Tati comentou:

    Adorei o post, super verdade! Eu amo blusa com bordados, por exemplo, mas deixo de comprar porque tenho que lavar a mão e isso realmente não vai acontecer muitas vezes por ano. Pra mim, se não vai na máquina não está na minha vida! Eu só acho que as lojas brasileiras deviam se empenhar mais em vender blusas arrumadas e fresquinhas, moro numa cidade muito quente também e só acho blusa arrumada de tecido sintético (fingindo ser seda), tá difícil!!! Feliz 2016 pra vc, muitas conquistas, muitas alegrias!

    1. Ana Carolina respondeu Tati

      tá dificil mesmo, Tati! Obrigada, feliz 2016! 🙂

  11. Leticia Ribeiro comentou:

    Acompanho seu blog há muito tempo e tenho aplicado isso no meu armário. Comprava várias peças de inverno (blazer, sobretudo, casacos diversos) sendo que moro no RJ e essas peças são pouco usadas mesmo no nosso inverso que é praticamente inexistente. Então nesses últimos anos passei a investir em peças de algodão e ficou muito mais fácil me vestir nesse verão.

    1. Ana Carolina respondeu Leticia Ribeiro

      Que alegria, Letícia! Eu amo roupa de meia estação, mas morando no Rio, né…hahaha

  12. Elaine Azevedo comentou:

    Azul marinho é tudo mesmo! Descobri há pouco tempo que mais de 60% do meu armário é dessa cor e bateu o desespero e a sensação de estar sempre com a mesma roupa. Me proibi de comprar essa cor amada por um tempo kkkk
    Amo roupa de inverno, mas como moro no Rio, evito as roupas mais quentes de tricot. Esse ano investi nas de meia manga e deu super certo! Amei as dicas, como sempre! Beijos, Ana!

    1. Ana Carolina respondeu Elaine Azevedo

      Azul marinho é <3

  13. Rose B. comentou:

    Amei as dicas Ana! Essa questão de cores é realmente complicada, eu por exemplo, amo a cor branca e a cor preta porém uma combinação que detesto é branco com preto me sinto horrível. Amo branco com tons coloridos ou caramelo e preto com cinza ou total Black com dourado. Tenho pele negra e cabelos pretíssimos e cacheados. Pode ter relação com isso? Ah, sempre que não gosto de uma peça anoto o que não gosto nela: Cor, tecido, caimento. Tem me ajudado bastante. Aninha, um dia faz um post sobre cartela de cores para nós. Beijos e feliz 2016.

    1. Ana Carolina respondeu Rose B.

      pode ter relação sim com as cores que acompanham quem você é, a sua cartela! Nós normalmente já sabemos um pouco o que funciona pra gente 🙂 Vou tentar fazer um dia esse post! 😀

  14. Elisa comentou:

    Me identifiquei com o #3… Rsrsrs

  15. Juliana M comentou:

    Feliz Ano novo Ana!!!Tudo de bom pra te nesse ano de 2016 que o blog continue com força total Aninha.Beijão!

  16. Amanda comentou:

    Ana, Feliz Ano Novo!!!!
    Como saber qual nossa cartela de cores?

  17. Que post genial, um convite a uma reflexão que todo mundo deveria fazer antes de ir às compras. Além de desmistificar uma série de clichês que são repetidos como se fossem verdades absolutas.

  18. paula comentou:

    Que post ótimo Ana!

    Eu vejo muitas pessoas usando roupa totalmente preta, e acho que muitas vezes fica pesado. Eu acho que preto fica muito bom pra mim, mas só uso se for com a parte de baixo coloridona. Calça preta e blusa preta me lembra uniforme, não me agrada.

    Para mim a cor mais curinga é cinza, pois combina com todas as peças estampadas que eu amo usar.

  19. Ariana Melo comentou:

    Ameii o post, Ana!
    Esse é daqueles que a gente tem que imprimir e pregar na porta do guarda-roupa (na frente!!), pra nunca esquecer!
    Beijoss

    1. Ana Carolina respondeu Ariana Melo

      😀

  20. Karla Keli comentou:

    Nossa este post parece ter sido feito pra me. Foi libertador.
    Tirei muitas coisas imuteis do armário, e estou elaborando uma lista do que preciso comprar.

  21. Flávio Santiago comentou:

    Ana, dos 5 ítens que você citou, eu adorei o quinto. Tem que saber usar muito bem o branco e o preto.

  22. Mariana comentou:

    Concordo com o comentário acima, da Ariana Melo!!! Vou ler várias vezes esse post com certeza! Superútil!!! Como falaram também acima, vc é muito pé no chão, obrigada por seus textos maravilhosos e sua personalidade autêntica, Ana! Tá raro isso hoje em dia. Um abraço!!!

    1. Ana Carolina respondeu Mariana

      Obrigada pelo comentário, Mariana! Fico feliz 🙂