A história da menina que tinha roupas demais e espaço de menos.

“– Oi Ana, você pode mostrar um dia como você arruma seu closet e sua sapateira?”

Acho bacana pedidos assim. Eu mesma adoraria mostrar o quão organizada eu sou e a forma linda e sistemática com a qual eu disponho minhas coisas.

Se a realidade não fosse outra.

É normal idealizarmos sobre a vida das pessoas que admiramos. Mas ao mesmo tempo, acho importante ser sincera num meio onde muita gente aproveita para ser o que não é. Fato é que moro em um apê relativamente pequeno, e quando me mudei comprei praticamente todos os itens da casa sozinha. O armário da época de solteira morando com os pais acabou vindo junto, para eu economizar. E o coloquei como último item da lista de prioridades. Sendo assim, o espaço que me cabe para o tanto de roupa que tenho, é meio ridículo.

O closet organizado dos meus sonhos *suspiros*

Tenho bastante roupa, não só por gostar de comprar vez ou outra, mas por herdar muitas da mãe e da tia, que enjoaram delas, da vó, que faleceu há alguns anos e tinha um bom gosto de invejar, e de outras que vieram por conta do blog. É preciso muito auto controle para não se deixar levar pelas modas, hits, tendências e tantos must haves do momento e assim abarrotar mais ainda um armário que não tá dando conta. Compro praticamente só em época de liquidação e fora dela eu evito ao máximo comprar, sendo que me policio em adquirir no máximo 2 ou 3 peças quando tô realmente podendo, mas evito comprar para justamente acumular mais coisa e gastar o meu rico dinheirinho sem necessidade.

Toda semana eu arrumo o armário por conta da bagunça gerada pela falta de espaço. É chato ter que tirar roupas e roupas toda vez que eu quero testar algum look, cansa ver a cama zoneada com tanta coisa em cima. Por mais que eu siga a regra de, ao comprar algo, uma peça do guarda-roupa tem que sair, a conta nunca equaliza. Mesmo doando sacolas e sacolas de roupas para instituições, outra sacola de doação acaba surgindo no lugar daquelas. Hoje em dia estou aprendendo a ser mais crítica, pois sei melhor o que quero para o meu estilo mas antigamente pensei demais em quantidade e muitas vezes eu esqueci que qualidade é fator mais que essencial. De que adianta ter tantas calças esquecidas dentro do armário? Ou esperar o momento certo para usar determinado casaco, se aqui no Rio quase nunca faz temperaturas abaixo dos 17 graus?

Já até expressei aqui meu desejo por simplificar.

Uso praticamente tudo que tenho por conta do blog, mas o mesmo blog me desperta um desejo de acompanhar o que acontece de novo. De ser a vitrine para ideias de quem não pode gastar muito. E já parei diversas vezes para pensar: preciso de tanto?

Eu encaro meu armário como um acervo. Tem de tudo um pouco e eu gosto disso. Acho o máximo pensar que apenas 2 ou 3 peças dele custaram acima de 200,00. Que de fato consegui muita coisa pechinchando, garimpando. Mas certos momentos precisam de uma pausa, do quanto eu já tenho e isso ser suficiente para garantir meses, e por que não, anos de combinações inéditas. A Jojo é um excelente exemplo.

Vez ou outra eu discuto aqui sobre um pensamento constante cada vez que abrimos o armário: “eu não tenho roupa”. Fico horas parada em frente, pensando que, mesmo com tanta opção, eu não tenho opção nenhuma. Por onde começar? Qual calça vestir? O fato é que ter muita coisa acaba confundindo mais do que ajudando.

Depois de tanto pensar se eu falaria isso aqui ou não, achei que seria importante, pois muitas meninas devem passar pela mesma situação. Estou começando um movimento na minha vida de simplificar e, apesar de gostar de consumir moda, tentar ser menos impulsiva. Inclusive, estou em busca de móveis que ajudem a otimizar o espaço lá em casa, e repensando meu espaço, para deixá-lo organizado…minha vó tinha uma cômoda que certamente vai me ajudar nessa missão.

Vou separar algumas dicas de organização para, juntas, colocarmos em prática. Em breve eu colocarei essas ideias aqui no blog, mas, enquanto isso, outras dicas serão bem-vindas!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

41 comentários

  1. Lala Rio comentou:

    Que boa iniciativa, Ana!
    É bem aquilo que comentei no post sobre as peças da última coleção da C&A, temos de ter consumo consciente, não adianta tanta oferta, tanta possibilidade de compra se não soubermos escolher com critério. Quais critérios? Penso que vc pode começar formulando os critérios (não as peças) necessários para um bom guarda-roupa.
    Bjs, boa sorte.

  2. Viviane Moreira comentou:

    Sabe Ana que eu amo teu espaço, teu blog?! Me identifico tanto!!!! Eu tenho pouca grana e tb tento comprar em liquidação, isso muitas vezes quer dizer passar longe da modinha do momento e as vezes, com sorte, compra-las em preço especial.
    E mais uma vez leio e vejo coisas em comum, meu armário é da época da faculdade e por isso mesmo é pequeno, muito pequeno, então não só por questões financeiras eu tenho que me segurar é por também não ter onde colocar as roupas, as quais trato muito bem, lavo pouco, uso com moderação para que dure! 😀
    Realmente meu sonho de consumo é um closet como esse da foto, com espaço pras roupas e sem dúvida a organização junto! rsrs
    Nosso grande desafio: organização! Pois espaços pequenos dão nisso, uma bagunça sem fim! rs
    Amei o post Ana!
    Bjss
    Vi

  3. Oi Ana,

    Gostei do texto, da sinceridade. E lendo lembrei de uma coisa que minha mãe sempre fala: quando temos muitas opções, sempre surgem dúvidas. E é verdade! Eu assumo que tenho muito mais do que preciso, gosto de comprar sim. Mas tento usar tudo, pensar em formas diferentes de usar a peça (existe uma tendencia de usar sempre a mesma produção… ai tb dá esta sensação que não temos roupa…).
    Acho que é um processo tb, hoje eu uso roupas mais secas, tenho uma e outra peça de impacto e me jogo nos acessorios (bijus, bolsas e sapatos). Acredito que na minha mudança que acontecerá no final de setembro (espero MUITO por isso), eu consiga limpar para ter um guarda roupa eficiente. Pq closet, está longe, tenho outras prioridades rs

    beijos

  4. Paula comentou:

    Essa questão do espaço é bem tensa mesmo. Tem blogueiras que, pelo que postam, têm 50 maxicolares, 50 camisas de seda, 100 sapatos, e todo dia compram mais, e falam que moram em aps pequenos, não têm closet… fico pensando onde elas guardam tanta coisa!

  5. Nana comentou:

    Acompanho vários blogs de moda e quase nunca comento.
    Mas nesse post eu tive que comentar.
    Primeiro preciso elogiar seu blog e a sua dedicação.
    Numa época de tanto jabá, tanta mentira e tanta coisa fora de moda, pq naum eh soh no ato de se vestir que a pessoa pode ser deselegante rs, encontro no seu blog uma luz no fim do túnel.
    No fim naum, no começo! Bem la na frente pq seu blog tem uma das melhores propostas!
    Vc fala de moda com sinceridade, praticidade e principalmente deixa as leitoras com o pé no chão.
    A gente lê o blog , fica antenada, põe em prática as dicas, se inspira nos looks e ,o que é mais importante, a gente nao fica deslumbrada querendo seguir um padrão de vida humanamente impossível e inviável pra maioria das consumidoras normais.
    Hoje em dia eh tao dificil isso!! Todas querendo ter pra ser, causando essa inversão de valores que da preguiça mental e deixa todo mundo igual no modo de vestir , pensar , agir…
    Achei tão legal quando vc falou que seu closet naum era idealizado como a gente pensava, que nao era tudo organizado pq pelo menos eu me identifiquei. Ás vezes olho pra quantidade de coisas que tenho e acredito que naum preciso nem de metade do que tenho e quanto mais compro menos tenho rs
    Obrigada por ser sincera com suas leitoras, por ser clara e principalmente por ser tã gente boa! Pq sim , a gente tb idealiza a personalidade da blogueira e acha q deve ser super divertido bater perna e garimpar pelos shoppings da vida com vc.
    Sucesso sempre e vida longa ao blog!!
    Vc merece!! =)

    1. Keity respondeu Nana

      Bem isso, bem isso… disse tudo que penso tbem… adoro passar por aqui, sempre, e diferente de muitos blogs que aconselham a usar isso ou aqui porque estão recebendo pra isso, acho q o que a Ana diz é de verdade… gostou gostou, nao gostou não gostou… Não sou impulsiva, não compro só pq dizem que eh bom, mas uso esse espaço para ter idéias… e acho q eh esta a proposta 😀

    2. Gabriela de Curitiba respondeu Nana

      Adorei o post e adorei o comentário!!
      Aproveito para assinar embaixo de tudo que a Nana escreveu.
      Ana Carolina (Flor!),
      vc é musa inspiradora demaisssss!!!!
      Gostaria de ser pé no chão como vc, mas confesso que gasto um pouquinho mais em roupas, pois busco (antes de tudo) qualidade e durabilidade (AMO os vestidos da Gregory), mas depois de ler o seu blog confesso que passei a retornar os olhares para lojinhas que havia abandonado há mto (como a C&A, por ex.).
      Parabéns pela proposta e desejo sucesso!!

      1. debora respondeu Gabriela de Curitiba

        Muito bons os comentários tbm concordo.
        Agora para a Gabriela, se vc gosta de qualidade eu acho que a Renner tem um pouco mais de qualidade que a C&A.

    3. Ana Carolina respondeu Nana

      Respondendo o comentário com um mega atraso. Li na época, mas, sendo sincera de novo, como trabalho muito, até mais do que alguém pode aguentar, deixei passar um agradecimento a palavras tão bacanas. Obrigada, Nana, fico feliz! Beijão!

  6. Cada dia me identificando mais cm teu blog, vou dar um abraço na manu por ter me mostrado ele. hahahah.. Eu que já me mudei tantas vezes, sempre tenho problema com armário, nunca é suficiente, ainda sou apegada a umas roupas da época que era mais magrinha, tenho aquilo de usá-las como incentivo pra voltar ao meu corpo de antes, que por causa de tantas mudanças ficou em 2º plano. Mas agora que o armário tá menor ainda, vou precisar me desfazer de algumas várias peças encalhadas no meu armário! Depois até queria saber alguns lugares para doar elas, porque sempre que faço essas limpas doou muita coisa boa, quase nova, que comprei por impulso (tô tentando melhorar isso!). Que tal organizar um evento pra coletar as roupas das leitoras aqui do Rio, Ana? Nossa! Me empolguei! hahahah.. Mais uma vez, muito bom ter um espaço como esse pra visitar, adorei o post, parei até pra refletir sobre o meu armário.

    Beijão

  7. Juliana comentou:

    Ana, vou amar ler suas dicas e as das outras meninas sobre como arrumar armários! Quando meu namorado e eu nos mudamos para o apartamento onde estamos agora, eu quase chorei quando me dei conta do tamanho dos armários. Até que tem bastante espaço para pendurar coisas, mas nenhuma gaveta e só duas prateleiras!

    No final das contas, deixamos várias coisas em sacos daqueles de vácuo e em uma das malas, já que por aqui a gente teve um pico de verão de lascar e no inverno tem nevado nos últimos anos…

    Aliás, como a mudança foi feita no verão, eu deixei os casacões nesses sacos de vácuo. E o edredom também (mas isso eu já fazia no Rio!)

    Beijinhos!

  8. Andréia comentou:

    Olá! A tempos leio seu blog, inclusive ele fica nos meus favoritos, rs! Mais nunca deixei comentário, mais hoje, depois desse post não tem como não dizer algo. Eu estou de saco cheio desse negócio de moda, isso corroi agente de uma maneira, sem fim, quanto mais temos mais queremos, e cada dia é uma novidade, vejo tanto blog, com meninas comprando a rodo, só podem ser ricas e milionárias, por que pra ter tudo que está na moda custa muito dinheiro né! Ai acaba dando uma angustia, um vazio sabe. Eu também acompanhei o blog da Jojo, mais parece que um ano passou tão rápido e que ela já está comprando tudo de novo…viajando, parece que tem patrocínio por trás disso, como pode estar no vermelho e daqui uns meses viajando pra vários lugares, alguma coisa está errada, e eu já sei o que é, é o meu salário…kkkkk hoje todo mundo está curtindo essa moda de publicar look do dia, acho até bacana, acompanho algumas coisas, mais está demais, tem blog saindo pelos vãos do meu teclado. Adorei a idéia de você dar dicas de como comprar menos e ser feliz com pouco e não precisar ser escrava da moda. Você é uma pessoa muito madura e tenho certeza que trará para suas leitoras muito mais conteúdo do que só um look do dia. Beijão (Andréia – 27 anos – Jundiaí – SP)

    1. Jacqueline respondeu Andréia

      Andrea, sinto o mesmo vazio q vc descreve quando ve 100 blogs de moda com as mesmas patricinhas fazendo jabá e exibindo seus egos, mas, desculpe, acho q vc tá julgando mal a Jojo (um ano sem zara). Ela fez escolhas e agora canaliza seu dinheiro (acho q ela ganha bem, trabalha em uma grande agencia de publicidade!!) para viagens e projetos maiores que a vigesima calça da maria bonita extra ou a milesima bolsa da grife y! Ela aprendeu com os erros e tá fazendo o que todo mundo devia fazer: puxou o freio do consumo exagerado e focou em gastos que dão mais retorno, eu acho.
      Só to falando o que penso desse ponto especifico. Nao se ofenda… rsrsrs
      Um bj

      E Ana, concordo muito com tudo q ja foi dito aqui. Vc é realmente do bem e foge à essa loucura de blogs de moda, mas fico muito impressionada em como vc tem roupa!! Tudo bem q são gastos planejados, pechinchas, achados, mas mesmo assim, é muito vestido, muita calça, muito tudo,… bem mais do que acho q precisamos… Continua trabalhando esse processo q vc mencionou, de simplificar. Faço isso todo o tempo tb. E, assim, ajuda a quem já esta ou não nesse caminho…bj carinhoso

      1. Ana Carolina respondeu Jacqueline

        Jacque, tenho mesmo, mas tudo coisa que comprei há tempos e também ganho muita coisa. Mas claro q rolou exagero aí, principalmente por causa do blog, de querer atualiza-lo com novidades…mas não precisamos de tanto, né? Só que eu confesso que amo ter um acervo. Ainda bem que não torro minha grana só com isso, foco em viagens, economizo, invisto em cursos…Beijocas

  9. Mariana comentou:

    Outra dia passou um Alternativa Saúde sobre água e um especialista disse que uma calça jeans, até chegar na nossa casa, consumiu 10 mil litros d´água! 10 mil litros!!! Aí olhei meu armário e pensei: tem um mar aqui dentro! E aí parei pra pensar quantas coisas só usei uma vez, ou duas. E quantas comprei mesmo tendo tanta roupa nova no armário… Também sou como você, que só compra em liquidação, mas a questão não é o preço das roupas, nem a qualidade: é a quantidade! Precisamos de tanto para estarmos arrumadas? Tanta roupa, tanto sapato, tanta maquiagem, tanto creme, tanto relógio? E em consequência disso, tanta roupa que não cabe mais, sapato que aperta horrores, maquiagem vencida, relógio parado não se sabe há quanto tempo?

  10. Elizangela comentou:

    “A história da menina que tinha roupa demais e espaço de menos” quando li esse título me vi e a medida que fui lendo seu post, parecia que me descrevia em cada frase. Estou em busca de comprar o que se faz necessário no meu guarda-roupa, as vezes desanimo de procurar alguma peça diferente, pois passo pelo mesmo drama ter que tirar um monte de coisas pra achar outras. Antes tinha guarda-roupa só pra mim, depois que casei tive que dividi-lo com meu marido e como fazer toda roupa que se acomodava num espaço só meu caber na metade do armário?
    Ana, suas palavras me motivaram a buscar essa consciência do que realmente eu preciso. Amei sua sinceridade e sua busca no equilíbrio do consumo.
    Bjão!!!

  11. Renata Martins comentou:

    Oba!!! Tô procurando o mesmo, Ana! Dps de emagraecer e virar a louca consumista a partir do meio do ano passado… estou desacelarando… mudando de um apartamento de 3 quartos (com dois dos quartos e seus respectivos armários sendo meus…rs…) indo para um apê de 1 quarto sem dependência! Vou ter que usar cada parede do apê para colocar armários! Ou vender, doar algumas coisas… Mas tudo é tão novo que dá até pena!

    Mas o exercício de desapego é importante! e saber o que veste bem ou não em vc tb! Mas ainda tenho um pouco de problema nas liquis de sapatos… Meu pé é 33… quase nunca tem! acabo comprando os 34 achando q palminlhas e protetores de calcanhar vão ajudar…. mas acabo usando estes pouquíssimos! Já sei disso… mas compro por puro impulso!

    O comment além de grande deve estar bem confuso…

    Mas disse o que queria dizer! 🙂

    Bjs de mais uma vizinha tijucana.

  12. Mariana Grossi comentou:

    Ana, eu adoro suas dicas! Ensina como termos um cosumo consciente, e eu tenho precisado bastante disso, pq sou muito consumista e meu armário ja está abarrotado de coisas, e hj sei que não preciso de um guarda roupa lotado de roupas que as vezes eu nem uso!!!! É muito bom ler aqui suas experiências e as experiências de outras pessoas, isso tem me ajudado muito, sempre garimpar coisas legais e de preferência em promoção não é?

  13. Con Souza comentou:

    Oi Ana,

    eu mesma fui uma das meninas que tinha sugerido dar dicas de organização e achei até que vc tinha esquecido.
    bom, não precisa falar nd, seu post de hj é o suficiente pra cada uma pensar no que é essencial.
    bjoss Con

  14. Simone Tressi comentou:

    Oi, Ana.
    Pensei em mil coisas pra escrever assim, logo de cara, dizendo que me identifico também com a questão do espaço, do uso, da necessidade e da vontade.
    Já passei por vários momentos como esse seu, de repensar o que tenho, o que preciso ter, o que comprei por impulso, o que me cai bem, o que combina o resto, o que não tem espaço para ser guardado, o que deve ir para caridade.
    De modo geral não sou muito apegada a roupas, então se existe um motivo para desfazer de algo, até que eu desfaço sem sofrer, mas quando a peça está novinha e a gente pensa que comprou de bobeira, quase não usou, dá dó mesmo do dinheiro que perdeu.
    Antes de acompanhar o HVAOff eu já era leitora da Jojo, e assim como ela, você, e tantas outras meninas, tive e tenho esses conflitos sobre o consumo, sobre o espaço, sobre o desejo.
    Lendo os comentários aqui em cima, eu fiquei refletindo mais um pouquinho…
    E honestamente, acho que é um pouco ‘chover no molhado’ cair de pau na indústria da moda, que lança tendências, sugere modismos, must-haves a cada dia mais rapidamente.
    A moda e suas engrenagens, a meu ver, estão aí para propor; essa é a função delas. Cabe a nós, consumidoras e fashionistas antenadas, fazer as escolhas que convêm ao nosso corpo, ao nosso estilo e ao nosso bolso.
    Porque embora a gente viva num mundo cada vez mais fast-fashion, se a gente der um pouquinho mais de atenção, vai reparar que atualmente uma tendência não costuma excluir as outras, como era há um tempinho… Se o in é cintura alta e você prefere baixa, ok. Se o in é calça flare e você prefere skinny, ok também.
    As leituras e releituras dos básicos são infinitas, e as propostas individuais, cada vez mais aceitas.
    Então eu acho que a gente tem é que sair dessa zona de conforto de dizer que precisa comprar para seguir a tendência, e passar a raciocinar sobre o que essa tendência nos diz e de que modo ela se encaixa pra gente.
    Se tantas e tantas meninas renovam guarda-roupas inteirinhos a cada nova virada de coleção, e agora elas têm intervalos cada vez menores entre elas, tipo, preview verão, verão e alto verão – provavelmente elas têm problemas sérios de autoimagem, uma vez que nós mesmas não temos como mudar, a cada mês, tanto assim.
    Enfim, achei seu post muito legal, e fico na torcida para que você continue, como me parece que já faz, a filtrar, selecionar, analisar, o que vai e o que fica, e o que entra.
    Um beijo,
    Si. 😉

  15. Aline comentou:

    Que linda você, Ana! Eu estava lendo seu post, e em cada frase eu pensava, poxa, essa sou eu! rsrsrs Engraçado isso…eu nem tenho tanta coisa assim, mas o meu espaço é minúsculo…horrível! Mas sei que podemos organizar de uma forma que nos ajude, e acho que quanto mais dicas, melhor! Sim, sim, vamos nos ajudar e melhorar nosso espaço…e olha que quando está tudo pelo menos minimamente organizado acabamos por descobrir aquela blusinha escondidinha no fundo do armário, aquela que justamente irá compor vários looks, não é?! Essa semana dei uma organizada em meus sapatos, eu estava reclamando que estava com pouco sapato, mas depois que organizei, achei que já tenho o suficiente! rsrsrs
    Obrigada por nos ajudar sua linda 😉
    bjão!

  16. Oi Ana!

    Adorei o post e a iniciativa!

    Sua realidade é bem próxima da minha, não tenho espaço e tenho muitas coisas. Tento usar um pouco de tudo na medida do posível, uso uniforme no trabalho (e detesto) o que acaba por dificultar um pouco o uso mais frequente, mas monto minhas produções e anoto a mão mesmo pra usar um dia depois.
    Meu sonho é ter um tempo livre pra organizar com calma o guarda roupas (que eu divido) e a sapateira e aproveitar pra experimentar produções.
    É um exercício bacana de auto conhecer misturado com desapego, acho muito bom praticar!
    Essa coisa de ter muita opçõ é um problema comigo, até na manicure, rs.. tem muita opção eu me perco, esqueço o objetivo, o foco e aí saí uma produção não tão legal quanto eu queria porque as opções variadas me deixaram confusa.
    Uma dica de um livro que eu li que acho que vai super te ajudar nesse momento é o livro ‘É tudo tão simples’ da Danuza!

    Beijão!

  17. bruna comentou:

    Ana, acho que nesse post vc traduziu o sentimento de muitas de nós. É muito lindo e desejável um closet como esse da foto, mas será que precisamos disso tudo mesmo? Mesmo tendo adquirido mais peças ultimamente, eu ainda abro o armário e fico sem saber o que usar, achando que não tenho roupa. Temos a tendência de sempre achar que está faltando essa ou aquela peça, quando, na verdade, talvez nem as usaríamos.

    Eu naõ tenho tanta roupa assim. Aliás, nunca me dediquei muito a isso até conhecer seu blog. Mas confesso que mesmo comprando mais, ÀS vezes ainda não consigo combinar, parece que dá mais trabalho mesmo…rsrs

    Amei seu post e espero conversarmos mais sobre esse tema daqui pra frente.

    Bjos.

  18. Flavia comentou:

    Ana, acompanho o blog já há algum tempo e nunca deixei um comentário.
    Em primeiro lugar, parabéns, pelo blog e pelo post, que, aliás, é a história da minha vida.
    Eu tenho o mesmo problema: roupas demais e espaço de menos.
    Já mudei de casa várias vezes e a cada mudança reduzo a quantidade de roupas, sapatos, bolsas e outros acessórios (aliás, estou sempre me desfazendo das coisas), mas com o tempo já acumulei tudo novamente. Parece um circulo vicioso.
    Sei que compro por impulso e também sei que isso é a causa para a falta de espaço no meu armário e que preciso mudar, pelo bem de todos e, em especial, da minha conta bancária.
    Recentemente, sofri uma perda muito grande, que me fez repensar toda a minha vida e eu decidi que é a hora de controlar meus impulsos consumistas. Não quero deixar de comprar, mas sei que preciso me controlar, pois não é culpa da moda, dos blogs ou das fast fashions a minha impulsividade.
    Achei seu movimento para simplificar sua vida ótimo e espero que consiga, como também acho ótima a idéia das dicas de organização.
    Beijos.

    1. Ana Carolina respondeu Flavia

      Flavia, é isso aí: a culpa não é de ninguém, nós é que devemos começar essa mudança na nossa vida e isso independe de vitrines, blogs e siets. A informação estará sempre aí, mas podemos nos inspirar no simples e levar tudo com parcimônia! Bjs

  19. juliana comentou:

    Ana, já fui do tipo que me empolgava com pechinchas em brechó ou ebay, ‘aquilo’ e ‘aquele’ que me lembrou ‘um outro’ que vi num blog, ou que era ‘tendencia’, ‘diferente’ – e comprava. Resultado: abarrotei o armário de roupa e sapato, e pior: conforme fui usando, percebi que a maior parte do que comprei não tinha nada a ver comigo – ou era nada funcional pro meu dia a dia. por sorte, não torrei rios de $ nisso como muitas fazem, eram coisas mais baratas – mas foi válido como experiência: hoje não foco mais só no preço ou se ‘está usando’ (peguei ojeriza dessa expressão, pra ser honesta), mas principalmente se COMBINA comigo e se eu REALMENTE vou conseguir usar. outra mania que tinha era a de ter várias peças muito iguais e de várias cores diferentes. comecei a notar o quão inutil era, já que sempre acabava escolhendo as neutras. nem conseguia mais repetir as mesmas roupas por conta disso (sinal de que você tem muito mais do que realmente consegue usar). logo vi que era hora de ‘repensar o armário’, mas tinha dó de me desfazer das coisas (‘vai que um dia eu preciso ou mudo de ideia’ é balela, quando você sempre passa o olho naquela peça e acaba escolhendo outra é porque não vira mesmo). com o tempo, perdi a paciência com o armário entupido: roupas embolando e enganchando toda hora, várias paradas lá dentro, dificuldade de achar o que eu queria, perda de tempo e irritação – e também com o fato de que acabava deixando de usar o que gostava porque sempre me esbarrava com ‘aquela coisa que nunca usei’ e sentia obrigação de vestir a todo custo. também (particularmente, no meu caso) acabou meu saco pra bolar ideias mirabolantes e quebra-cabeças fashion, que eu sou mesmo é da ‘escola minimalista’ e não curto detalhes e acessórios, e o que queria na verdade eram peças boas, com o ‘quê’ incomum (sem exagero), mas tendo conforto, caimento, praticidade e simplicidade. com isso, fiquei radical e ‘chatonilda’: se visto algo e sinto que torço o nariz já separo pra vender (se for algo melhor, que custou mais $) ou doar/ trocar no brechó por algo que vá usar. com isso já consegui esvaziar bem meu armário (que também é apertado, e ainda divido com a irmã). mas mesmo que tivesse um armário gingante, continuaria firme na mesma filosofia. opção demais só atrapalha, como você disse. só me desfazendo das coisas é que me dei conta de como o exagero pesa e de como comprava besteiras, tanto que comecei a ver muitas peças dentro do armário como ‘elefantes brancos’ (confesso que em alguns dias tinha vontade de tocar fogo em tudo haha). hoje quando entro em lojas e dificilmente compro, porque sinto que já tenho quase tudo o que preciso (muitas coisa mal usei e ainda tenho várias pra me desfazer). agora fico muito mais feliz quando vejo roupa indo embora do que quando compro, dá uma sensação enorme de alívio rs. não caio mais em apelos como tendencia, marca, pechincha. já não fico toda afobada também, experimento direito (coisa que não fazia, às vezes comprava sem provar) e penso se aquilo vai se encaixar no meu dia a dia e com minha personalidade; presto atenção no caimento e na qualidade (cuidado ao comprar online, adquirir certas peças sem ver no corpo pode ser uma baita decepção – experiencia própria). também compro sempre em época de liquidação, se for algo que realmente valha a pena (não tenho pressa). enfim, também ando me esforçando nessa prática do ‘armário ideal’; inda tenho muito a aprender mas um dia chego lá rs. as meninas do ‘oficina de estilo’ disseram uma vez, ‘só compre aquilo que faz seu olho brilhar’ (isso, claro, quando você se conhece bem – pra algumas o ‘brilho’ vem por razões erradas) – acho que é a melhor dica que já li pra não sair fazendo a aloka comprando como se amanhã fosse 21 de dezembro de 2012!

    1. Renata respondeu juliana

      Juliana, que transformação admirável pela qual vc tá passando! Parabéns! (:
      Acho que todo esse processo reflete a maturidade pessoal mesmo, para onde estamos investindo nosso valor e recursos, se em coisas, roupas passageiras ou em passeios, viagens, planos? Não é uma questão só de dinheiro ou de espaço no guarda-roupa (que já são sérias) mas também de desenvolvimento emocional, consciência social e ambiental.

      O blog Oficina de Estilo ajuda muito a pensar moda de uma maneira mais saudável e divertida, a nosso favor! Super recomendo! Enquanto que tem blogs que só fazem a gente cair no ciclo vicioso do consumismo e ainda bagunça a imagem que temos de nós mesmas! Acho fundamental ter um estilo, independente das tendências e novidades, usando o que nos faz sentir nós mesmas, bem e seguras! Isso se consegue com poucas e boas roupas de qualidade que tenham a nossa cara!

      Ana, vc é incrível e mostrou toda a maturidade que admiramos em vc nesse post! Vamos todas nos ajudar a sermos mais felizes e usarmos a moda ao nosso favor 😀

    2. Lica respondeu juliana

      Eu também tenho aprendido muito com as meninas da Oficina de Estilo.
      Gente, é o seguinte: penso que se tivéssemos closet espaçoso iríamos nos complicar mais ainda porque logo logo conseguiríamos abarrotá-lo!!
      O problema é de dentro para fora! Como sabiamente disseram mais acima!
      A responsabilidade é nossa ( não gosto da palavra culpa, que um dia sumirá do dicionário).
      Ninguém é responsável pelas nossas decisões de comprar.
      Andei exagerando. Infelizmente.
      Mas decidi voltar para meu equilíbrio porque não posso ignorar o que já sei: “O importante é Ser, e não ter”.
      Gosto daqui porque me transmite equilíbrio e sensatez, além da inspiração.
      E olha que meu estilo é diferente.

      Novamente recomendo o vídeo do André Trigueiro “Cuide bem do planeta-você renascerá nele”.
      Basta digitar no You Tube.
      Quem assistir não vai se arrepender e ainda vai falar que tem tudo a ver com o que a Ana escreveu e muitas comentaram.

      Ana, hoje você foi sóbria no look, e linda.
      Mas mais lindo ainda é inspirar sobriedade nas pessoas numa época tão materialista, época de valores invertidos.
      Um dia você verá o bem que faz em escolher ser assim. E assumir.
      Abraço fraterno.
      Lílian.

  20. Marcia comentou:

    Oi Ana adorei seu post e os comentários. Vivemos numa sociedade consumista e infelizmente acabamos valendo pelo que temos e nao pelo que somos. Domingo acordei inspirada e dei uma geral no meu armário. Me dei conta de quantas pecas comprei e que pouco usei, um desperdício. Separei varias pecas para minha filha e outras para dar a quem precisa. Aos poucos estou mudando minha visão sobre o consumo e principalmente sobre a acumular o que nao uso. Fiquei feliz de conseguir me desfazer de varias pecas que estavam esquecidas no armário. Parabéns pelo texto!!!! Bjs

  21. Sim, dá gosto de ler seu blog!
    Ele é legal justamente pq é a cara de nós, seres humanos mortais, mulheres que gostariamos de comprar tudo o que acharmos lindo, mas qu esomos pé no cão, sabemos das contas do mês e que há mta coisa pra fazer com o suado dim dim.
    Obrigad apor partilhar conosco, vou amar os próximos posts sobre organização.
    Valeu Ana!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  22. Nayara Lima comentou:

    Sinceramente, achei SENSACIONAL!!

    É tudo o que eu penso, quero, mas acabou deixando a moda me consumir…mas sei que posso fazer diferente, e seu blog vai me ajudar/1

    Beijos!

  23. Mônica comentou:

    Ana você é mesmo especial. Eu tô nessa fase de querer comprar menos e esse seu post veio bem de encontro com a minha fase atual. Espero que juntas possamos nos inspirar e encorajar a comprar relamente aquilo que precisamos e não nos deixar levar por tantas tendências que aparecem do dia pra noite e vão embora com a mesma rapidez. Não comprei um sneaker, não comprei saias nem vestidos mullet, apesar de serem super tendência, simplesmente porque não é o meu estilo, não me identifiquei. Não podemos ser escravas da moda, temos que usá-la ao nosso favor e você faz isso muito bem e nos inspira a cada dia. Bjs.

  24. Ameeei o post!! Me identifico exatamente na parte de ter muita coisa e me confundindo na hora de criar meus looks! Confesso que já estava ficando escrava da moda, mas seu blog ajuda a gente a refletir. É ótimo ler e ver que outras pessoas estão conseguindo “se curar” da compra compulsiva.
    Espero conseguir o mesmo! 🙂

    Parabéns por mais um post reflexivo maravilhoso!
    Beijosss

  25. Fernanda Lara comentou:

    Ana, parabéns pela iniciativa!
    Sou organizadora profissional em Curitiba e muitas vezes sou chamada para salvar closets perdidos! Na verdade, a organização (colocar cada coisa em seu lugar) é apenas o primeiro passo. Se não houver bom-senso e mudança de atitude, a boa organização não se manterá. É preciso mudar fora e dentro, mexer dentro e fora. Rever conceitos, prioridades, ideia de consumo, avaliar impulsos,… Às vezes, vejo o consumo excessivo como uma maneira de suprir algumas faltas…
    Tenho um blog de organização onde deixo sugestões e minhas impressões sobre o tema.
    Obs.: a foto do closet é linda, mas colocaria os calçados voltados para a frente, para facilitar a visualização. Fica a dica!
    Sucesso!
    Beijo

  26. Laila D'Anglly comentou:

    – Oi Ana super eu esse “desabafo”, mas você disse que iria reunir umas dicas de organização e eu leio esse blog da Thais Godinho que é uma fofa e que usa o blog como blog mesmo (tipo é igual você, escreve a realidade) então vale super a pena dá uma olhada, e vc disse que seu ap é meio pequeno , com certeza vc vai encontrar dicas de organização boas nesse sentido também ai vai http://vidaorganizada.com/

    1. Ana Carolina respondeu Laila D'Anglly

      Laila, muuuuuito obrigada!! Vou lá ver o blog dela! 😀 bjs!!!

  27. Júlia Lainetti comentou:

    Oi Ana!
    Acho que estamos na mesma vibe!
    Há 2 meses eu voltei de um tempinho na europa e com o tempo que eu passei lá eu notei que eu estava com mais ou menos 1/4 do meu guarda roupa e eu sobrevivi aos 3 meses, com isso decidi que vou ficar 6 meses sem comprar roupas novas e pra me ajudar nessa iniciativa estou fotografando todos os meus looks e pondo numa pastinha no computador pra eu não esquecer nenhuma das combinações que posso fazer com as minhas opções! 🙂
    Ahhh vale ressaltar que os seus looks me ajudam mto nessas combinações, essa semana (por sua causa rs) tirei do armário camisas que eu não usava desde que parei de trabalhar em escritório, foi como ganhar uma roupa nova! rs
    Beijos! =)

  28. Stéfany Leite comentou:

    Ana, parabéns pela iniciativa!
    Sou organizadora profissional em Curitiba e muitas vezes sou chamada para salvar closets perdidos! Na verdade, a organização (colocar cada coisa em seu lugar) é apenas o primeiro passo. Se não houver bom-senso e mudança de atitude, a boa organização não se manterá. É preciso mudar fora e dentro, mexer dentro e fora. Rever conceitos, prioridades, ideia de consumo, avaliar impulsos,… Às vezes, vejo o consumo excessivo como uma maneira de suprir algumas faltas…
    Tenho um blog de organização onde deixo sugestões e minhas impressões sobre o tema.
    Obs.: a foto do closet é linda, mas colocaria os calçados voltados para a frente, para facilitar a visualização. Fica a dica!
    Sucesso!
    Beijo

    1. Ana Carolina respondeu Stéfany Leite

      legal, Stéfany! Que bom que gostou, adorei seu comentário. Deixa o endereço do seu blog! Beijos!

  29. andrea comentou:

    ola ana gostei muitos de varios posts seus mais este do guarda roupas foi um q me chamou atençao , vc tem quantas peças de roupas1?