Manifesto pela volta do tamanho G

Ana veste:

Vestido Dress to – 114,00
Colar Lys Freire
Tênis New Order – presente da tia
Bolsa Zara – 79,00

fotos: Rodrigo Silva 

Ontem não teve jeito, o calor aliado à pressa me fizeram optar pelo vestidinho. Explico: nessa correria eu imaginei um look mas não tive tempo de testá-lo. Daí, quando fui me arrumar, já atrasada pro Fashion Rio, coloquei a roupa e…ficou horrível! hahahaha! Em menos de 5 minutos eu improvisei outro. E como eu adoro usar roupa nova, hehe, peguei esse vestido super fresquinho que também arrematei na liqui (a estampa é parecida com a da saia de ontem!), lembrei desse colar, que eu só havia conseguido usar 2 vezes e experimentei. Caiu como uma luva na produção! E tênis pra bater perna e enfrentar fila com classe, já que fiquei de tarde até final da noite no Pier.

Aliás, aproveito para fazer um manifesto. O tamanho G sumiu das lojas, galera! Fiquei muito chateada quando fui experimentar o vestido e a vendedora informa que o G ia ficar melhor em mim. Eu, Ana, manequim 38. TAMANHO G esse vestido, pessoal. Falei com a vendedora que isso tava errado, que raio de modelagem é essa que faz um G caber numa pessoa P? Pelo menos as outras peças da Dress que comprei estavam no meu tamanho certo, mas eu vi isso em muitas outras marcas…As marcas tem que parar de uniformizar nosso corpo para manequim 34, porque daqui a pouco as meninas G e GG serão banidas dos shoppings. Marcas, parem de fazer tamanhos G pequenos, por favor! Revejam a modelo de prova de vocês, pois a brasileira tem quadril e está ficando cada vez mais alta, fora as meninas que vestem acima de 42. Estão perdendo uma ótima clientela, ávida por moda de qualidade e que caiba! Fica a minha bronca registrada aqui no blog.

Vamos fazer o P ser P, o M ser M e o G ser verdadeiramente um G? Vamos botar nas araras o PP e o GG?

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

179 comentários

  1. christine steegmuller comentou:

    Ana, estamos banidas há tempos..

    1. Ana Carolina respondeu christine steegmuller

      Ah, não, isso é muita sacanagem!!! Fiquei passada.

    2. Maria Amélia- 12 de setembro de 2012

      É uma verdadeira angústia para quem vai comprar roupas pensando que é tamanho G 46 e depois tem que provar 48 e ainda fica larga, seja blusa ou calça. É preciso que as fábricas tenham uma padronagem só, pois as brasileiras não são magérrimas como tentam impor a mídia através das modelos que usam 36, 38. Brasileira tem busto, corpo triângulo invertido, quadriz largo com cintura fina, ou costa larga e pernas finas. O importante, é que quando se entra numa loja vc tenha como achar roupas que se adéquem ao seu corpo e estilo. As lojas por vezes tem em suas vitrines roupas dizendo que é tamanho G e quando se vai provar a manga fica apertada, a cintura larga. Tudo muito estranho. Costureira profissional quase não se encontra, e no mundo moderno, todos têm pressa e querem achar algo que agrade os olhos e fique bem no corpo. Tenho medo de comprar roupa pela internet, pois vejo coisas bonitas, mas, os tamanhos G sempre estão esgotados.

      [email protected]
      Maria Amélia Alves Pereira

  2. Esta semana está rendendo hein Ana? Muitos textos bons.

    Gente, tô cansada de ir em lojas e pegar um tamanho maior ou nao levar porque o g não ficou bom. Uso P/M, uso 40, praticamente a vida TODA, agora tá esta palhaçada.

    Fica o governo na campanha contra os disturbios alimentares e as lojas contribuindo para isso. Tem menina que eu conheço que tem 12 anos e tá de dieta pq não aceita o corpo, quer vestir tamanhos menores, roupas mais curtas… Fora os comprimentos, perae, no final de semana ok uma roupa mais curta, mas o curto tá até anti higiênico, sentar com a bunda na cadeira eu tô fora.

    Um beijo

  3. Estamos mesmo!

    Eu uso 42/44 desde sempre, e com o passar dos anos as marcas que eu mais gosto estão ficando cada vez menores!

    A Farm por exemplo, já ví várias meninas reclamando que desistiram da marca porque o G na verdade é M.

    Por acaso estão querendo “padronizar” a marca apenas para meninas magrinhas? Acho super chato.

    Enfim, morro de medo do dia em que todas as marcas resolverem encolher.

    1. Verônica respondeu Girafa Branca

      Eu acho a modelagem da FARM grande… eu visto M e só compro P lá. Ontem mesmo comprei um casaco P porque o M ficou muito grande…

      bjs

      1. Sério?! Eu (e algumas amigas minhas) já achamos super pequena! rsssss

        Mas acho que a questão também é o corpo né? O perfil da Farm já é para meninas “praianas”, magrinhas e tal…. acho que foge bem do meu estereótipo.

        Mas confesso que adoraria que eles fizessem modelos maiores 🙂

        Bjooo

      2. Mariana respondeu Verônica

        A Farm é ridícula! Além de serem mal modeladas, as roupas G não caberem em mim (visto 42, 44), as vendedoras ainda insistem pra a gente experimentar roupas M ou P (!) quando não tem nosso tamanho!

    2. Camila, já me disseram que essa é exatamente a intenção da marca, ser associada a um certo tipo físico. Fora dele, pra eles a venda não interessa. Por isso que não gosto da Farm, acho que é uma marca preconceituosa. bj

      1. Lara respondeu Ana Farias (@TrendyTwins)

        Pelo menos aqui na Loja de Campinas, tem uma vendedora “fora dos padrões” 🙂

  4. Vanessa comentou:

    Apoiadíssima. Já fui G de verdade e deixei de comprar muita coisa legal pq nao cabia em mim. Hj tou vestindo 40 e tenho que aguentar vendedor me dizendo “leva um G” e eu acabo me chateando e não levando é nada. Tanto esforço pra emagrecer e levar um G pra casa, ridículo!

  5. Carla comentou:

    Ana, concordo plenamente!!!! Eu sou tam G e curto muito moda e gosto de poder estar de acordo com as tendências!!! Muita burrice das empresas de vestuário pq estão perdendo uma gama enorme de consumidores com essa palhaçada de querer “obrigar” as pessoas “normais” a terem corpos de modelos de passarela. Ps. Adoro seu blog!!!!

  6. Bia Maia comentou:

    O que eu fico pensando é, essas marcas vendem pra quem??? Porque não faz sentido…
    É muito contraditório crescer o número de obesos ao mesmo tempo em que cresce o culto à magreza e diminui o manequim das marcas diminui. Não entendo mesmo…

  7. Eu acho que esses dias você até comentou isso já e acabei me lembrando que fui na Marisa e comprei uma regata GG pra mim! Gente, eu uso 38/40! Como assim regata GG? Até que dessa marca em específico (pelo menos na que eu vou), a modelagem está mais dentro do esperado, mas de um modo geral não é! Eu tenho uma calça da Doc Dog 46! O cara só pode ter colocado a etiqueta errada! É um absurdo o padrão que se quer impor…

  8. Concordo plenamente. Eu uso 38 e tenho o problema de quadril largo, então o sofrimento é diário, rs.

    Sonho muito com um padrão de tamanhos.
    Beijos e está LINDA com esta roupa.

  9. Patricia Achi comentou:

    Concordo plenamente!

    De uma hora pra outra o 40 passou a não me servir mais, o M também não e as vezes nem o G! Surtei!!!

    Fiquei deprimida me sentindo um balão! Até que resolvi medir o short que eu estava usando com o que experimentei e ficou super justo pra minha surpresa a diferença de tamanho entre eles era muito grande!!!

    Resumindo,não fui eu que engordei! Foram os manequins que encolheram!!!
    O M e o G sumiram!!! 40 e 42 não existem mais!!!

    Muito triste pq as marcas que adoro e sempre usei estão quase se tornando lembranças… o que é uma pena!
    🙁

  10. Dorothy Guedes Ferrari comentou:

    Como sempre, consciente e antenada! Não é atoa que sempre “ando” por aqui!
    Beijos, Ana!
    E sucesso sempre!!!

  11. Putz então para quem veste 42 nem podemos entrar nessa loja né?
    Eu compro muito em lojas de departamento e como eles tem uma grade maior acabo não passando por esse problema, a não ser que nào tenha mais a peça mesmo.

    O estranho é que existe um estudo do Senai para justamente padronizar as medidas das brasileiras para o mercado, já que nossas medidas são diferenciadas de outros países, acredito então que as lojas estejam pouco se lixando para isso e adotando o que lhe convém né?

    http://meninasestilosas.com.br

    1. Ana Carolina respondeu Dayse Galhardo Camara

      a vendedora disse q era a modelagem desse vestido q estava muito pequena. Mas mesmo assim…

  12. Patricia Achi comentou:

    Vamos torcer para que o P volte a ser P, o M ser M e o G ser G!!!
    E viveremos lindas e felizes para sempre!!!

    E Ana, adoro seus looks!!! São sempre inspiradores! ^.^

  13. Aline comentou:

    Ana, concordo plenamente!! Também sou 38, teoricamente, mas tenho roupa 40, 42, PP, P, M e G!! Não há padrão nenhum nas roupas e isso dificulta muito na hora de comprar, principalmente online…porque tem roupa que só mesmo experimentando…
    Passou da hora de ter um padrão a ser seguido…
    Beijos!!

  14. Ana,

    Quem usa G há tempos foi banido.

    Mas me lembro de um tempo não muito distante,uns 8 anos atrás,em que ainda era possivel achar G tamanho G ( e não P). Eram tempos bons,pois eram as mesmas roupas em todos os tamanhos.

    Já fizemos campanha #portamanhosmaiores nos magazines,alguns aderiram,uma arara aqui,outra lá,mas é complicadissimo compreender que somos uma fatia consumidora do mercado.

  15. Renata Sabino comentou:

    Ana, vc não tem idéia do que é arrumar roupa G “de verdade”!!!
    A gente pena, não acha roupa nas lojas que gostaria achar, nas lojas em que a roupa caberia, os modelos não ajudam at all e quando acha legal, o preço nem sempre é amigo. A gente quer andar bonita e acaba comprando e respeitando a marca por respeitar a gente.
    G também é Gente!

    1. Luciana respondeu Renata Sabino

      Renata, concordo com vc, é um absurdo enorme as modelagens brasileiras. O mercado de moda brasileiro, utiliza o padrão chinês para a confecção de moda. É RIDICULO sempre saio muito deprimida das lojas, estou acima do peso sim eu sei, mas amo moda e não é justo com quem está acima do peso, para ter que se vestir com um minimo de decência tenha que pagar tão mais caro do quem tem tamanhos menores. É revoltante demais……Não existe uma moda bem feita para os tamanhos maiores(claro se vc puder pagar mais de R$ 300 em um vestido, até que acha alguma coisa mais ou menos, mais moda mesmo ficamos bem longe. Olha me desculpem as meninas de tamanhos menores, mas isso tem que começar a atingir vcs tb, para que manisfestos como esse começem cada dia mais a surgirem, e as empresas brasileiras comecem a enxergar que existe um mercado extremamente carente de uma moda BRASILEIRA. Não somos nós que temos que viver frustradas com nosso manequim, e sim as empresas começarem a seguir os bons exemplos dos outros paises, moda para todos os gostos, todos os bolsos e todos os corpos.
      Ana mto obrigada por este post, peço a todos que divulguem e exijam cada vez mais de respeito das empresas que vivem de nosso dinheiro, e devem respeitar nossos salários tão suados e se adequarem a realizadade da mulher do BRASIL. Abços Luciana.

      1. Renata Sabino respondeu Luciana

        Oi Luciana,
        Tomei uma decisão meio no estilo “puta revoltz”- entro na loja, pergunto se tem “P,M e G”, quando respondem que é “tamanho Único” eu olho pra melnor vendedora da loja e pergunto: “Então aqui vcs acreditam que o que cabe em mim cabe nela? – Impossível”- Dou meia volta e saio.

  16. Parabéns pelo tema do post Ana.

    E ainda vou fazer um adendo: e quando vc entra na loja e escolhe 2 vestidos, 1 vc é tamanho P e no outro tamanho G e a vendedora olha pra vc e explica que as modelagens são diferentes…. PELO AMOR DE DEUS.

    Bjs

    1. Ana Carolina respondeu Ana Rodrigues

      foi esse o caso! Levei as outras peças para o meu tamanho…e como assim a modelagem desse vestido é menor?

      1. Aline P. respondeu Ana Carolina

        Comoo assim mesmo !! É quase que dizer que a pessoa que usa G não pode usar esse modelo de vestido. Né não??

  17. Bruna Obes Corrêa comentou:

    Muito bem Ana, uma pena que já estejamos banidas das lojas há tempos… o pior é quando a gente pede tamanho maior e diz q o g ou gg é muito pequeno e as vendedoras aind ate fazem uma cara de ” ué mminha filha emagrece” ou ” a gordinha querendo vestir tamanho menor” as vezes é até humilhante… e a moda plus size que só é bonita nas revistas, pq tu chega na loja e é tudo beeeem diferente, ainda mais pra quem mora no interior (como eu) que pra chegar alguma coisa bonita é um paaaarto heheheh

    Mesmo assim valeu mto teu desabafo, tu que é magrinha daqui a poco tá vestindo xxg hehehe brincadeirinha!!!
    beijos e parabéns pelo blog eh mto mto mto bom

    1. Ana Carolina respondeu Bruna Obes Corrêa

      Bruna, fico arrasada lendo isso. De verdade. Eu sempre fui a favor de moda democrática em todos os sentidos: no bolso e nos tamanhos.

      Um beijão.

  18. Adriana Galindo comentou:

    100% Apoiada Ana!!!
    No meu caso sempre fico a ver navios porque uso PP. Se eu quero um short jeans tenho que procurar na sessão infantil e no caso de vestidos, todos viram saco de batatas, calça social então, esquece!

    Beijos

  19. Milene Ribas comentou:

    Ana,
    Acho que deveria haver um padrão de medidas para as confecções brasileiras.Sou tamanho g, visto 42-44….e sofro bastante com isso.Nesta última semana mesmo,visitei várias e várias lojas…nada serve!Calça tá impossível de achar,porque ainda por cima, tenho as coxas bem grossas; skinny pra mim não dá!Preciso de calça reta,com a boca mais larguinha pra dar um equilíbrio….mas não acho nada.
    Fico feliz por você ter levantado esta bandeira,mesmo sendo tamanho 38!
    Parabéns pelo blog!Você é uma inspiração sempre!
    Abração daqui de Manaus!

    1. Lady Metal respondeu Milene Ribas

      Já tentou as calças da linha Curves da Levi’s? Não são baratas, mas me quebrou um galho quando tive dificuldade de achar calças.

  20. Renata comentou:

    Ahhh Ana… posso fazer o mnifesto ao contrário???

    Eu sou 36/38 e o P é sempre maior do que o que eu visto. A maioria das lojas não tem PP!!!!!!
    Já vi o P servir em amigas que vestem 42… Eu fico P da vida!!!

    Algo de errado está acontecendo nestas lojas… 🙁

    1. Vanessa respondeu Renata

      concordo com todas, mas o meu manifesto também é ao contrario heheh Também sou magrinha e o P também fica grande em mim em algumas lojas… por exemplo fico envergonhada de entrar na Dress, ai começo olhando as roupas e vejo que os tamanhos P ficam grandes, ai não tem jeito vou pra seção infantil e vejo que os de la dão em mim!! Mas é horrivel não terem os tamanho de adulto na seção de adulto!!! Eu com 21 anos ter que ir pra seção infantil como se tivesse com o corpo na modelagem errada de adulta!!

      1. Munique. respondeu Vanessa

        Concordo com vc Vanessa…
        Sempre sofri esse tipo de problema, tem lojas que fico louca pra comprar, mas o P fica enorme em mim ,e, o PP não existe. Na Zerozen já comprei peças da Minizen, por que o P mais parecia um M ou G!!!

    2. Angelina respondeu Renata

      Mas aí é que está! Quem usa um tamanho menor do que o que encontra nas lojas ainda pode mandar ajustar. E que não acha tamanho nenhum (como é o caso das mulheres acima do 42 que algumas lojas fingem que não existem?)

      1. Cah respondeu Angelina

        Só que ajustar roupa também não é barato, né? Aqui perto de casa uma barra de calça custa uns 15 reais, ajustes maiores custam bem mais. Cada peça que eu compro tenho que pensar que vou gastar mais pelo menos uns 50 reais em cima para fazer com que ela me sirva bem. Isso também está errado. Acho que a solução para os problemas de todas seria todas as lojas terem PP, P, M, G e GG de todas as peças, sem ter modelagem grande ou pequena demais. Mas isso é sonho, né. rs

  21. Rosi comentou:

    Oi Ana!
    Sempre visito o seu blog, mas nunca comentei. Hoje me senti na obrigação de deixar minha opinião aqui.
    Menina, achei que era eu que estava engordando horrores. Sério mesmo. Sempre fui 36, de uns tempos para cá tenho que comprar o 38 para alguns modelos de calça. Esses dias provei um macacão 40 na FARM e ainda assim não ficou bom. Juro que eu já estava me sentindo mal, mas depois do que você disse fiquei mais esperta. É diferente quando a gente houve a mesma reclamação vinda de outra pessoa. Bom saber que não sou eu que estou engordando absurdamente e sim a modelagem que está ficando cada vez menor.
    bjos

  22. Juliana comentou:

    Sou um tamanho de G de verdade e há tempos q esse tamanho foi banido de algumas lojas em shopping.

    Tenho blusinhas até tamanho M e um vestido tamanho P… agora fico passada com esse tamanho de roupas na lojas mesmo!
    Sempre q quero comprar alguma coisa em shopping e em loja q não conheço, já vou direto pro tamanho GG.

    Calça e short é um terror, me dá mil tipos de dor de cabeça qdo preciso comprar… tenho do 42 ao 48 (q se duvidar o 50 ficaria melhor), daí vem famosa com uma bunda gigante e fala q usa calça tamanho 42… todo mundo acreditou hahahaha

    adorei o post!

    Bjo

  23. Ana Paula comentou:

    Venho notando isso há tempos: sou tamanho 40 e na última vez que fiz uma compra na FARM levei um vestido G e outro P. Tento nem ligar mais para tamanho, senão a gente não compra mais nada. Mas é um absurdo. Minha dificudade também tem sido com lingerie, principalmente calcinha. Tem marca que só a GG me serve sem ficar me espremendo e me marcando. Tenho horror de calcinha apertada, pois deforma o corpo. Fico pensando como é que fazem as mulheres que usam de 42 para cima. Ou será que só eu me importo com este lance de calcinha muito apertada?

    1. Ana Paula, também estou no time da calcinha! Não existe calcinha G de marca brasileira que vista bem, pra mim é fato consumado. Tri fil, Valisere, o que for! Pra vestir bem, só se for daqueles modelos calçola… mas aí ninguém merece! Aí você vai numa loja da Victoria’s secret lá fora e tudo veste bem em gente de qualquer tamanho! E tem calcinha de renda, de cetim, de vários modelos e estampas… e é BARATO, não o roubo do que se compra aqui. FIz uma viagem pra fora e aproveitei pra comprar um estoque de calcinha pra durar muitos anos. Aqui não compro mais. Fez bem pro meu ego saber que posso usar coisas bonitas e que vestem bem.

      1. Ana Paula respondeu Patrícia Assreuy

        Que alívio saber Patrícia! É uma loucura em um país de mulheres com quadril grande as modelagens de calcinhas serem tão pequenas. E olha que o meu quadril é 96. Aí a gente sai para comprar lingerie e fica com a auto-estima destruída, pois mesmo o maior tamanho não serve bem e custa caríssimo. Enos tamanhos maiores só existem lingeries horrorosas. Estou precisando fazer uma viagem destas….

        1. Mylena M. respondeu Ana Paula

          Também passo por isso Ana! Tenho o quadril bem largo (não tenho certeza, mas é coisa de 110 mais ou menos)… é uma dificuldade tremenda comprar calcinhas bonitinhas que não fiquem totalmente apertadas!! Infelizmente, o mercado brasileiro não tá preparado para os consumidores brasileiros, porque boa parte das mulheres daqui tem o quadril largo mesmo!!

    2. Angelina respondeu Ana Paula

      Realmente, comprar calcinhas é um inferno pra quem tem quadril largo! São poucos os modelos que vestem bem sem apertar. E os tamanhos são totalmente sem padrão. Uma calcinha G da Hope, é G mesmo, já uma calcinha G da Trifil é na verdade M e uma calcinha G da Sloggi é na verdade P. Lingerie em conjunto então, nem se fale…
      Outra coisa que me revolta é comprar biquíni. Se encontrar pra vender as duas peças separadas, prefiro, porque nunca a parte de cima e a de baixo de um mesmo modelo ficam boas igualmente. Tenho o quadril largo, mas tenho certeza que as meninas com pouco quadril e muito busto tem a mesma reclamação. Então se meu quadril é grande, meu peito obrigatoriamente tem que ser também? Mulherada, vamos todas ao cirurgião plástico! Somos todas erradas! Faça-me o favor, não?

  24. Andreia comentou:

    Isso esta acontecendo com quase todas as marcas e lojas. O P muitas e o PP, M as vezes correspondem ao P, e o G em alguns casos correspondem ao P com uma medida um pouquinho maior.

  25. Loli comentou:

    Não sei se todas sabem, mas dica de loja que tem modelagem grande: Siberian… sou 38 normalmente e lá uso 36, as roupas P ficam grandes (enormes) em mim.. é bom pro ego, aconselho a todas.

    1. Loli respondeu Loli

      Sim, e outro dia tive que comprar uma bermuda 42 numa loja porque até o 40, que eu NUNCA uso, ficou apertada… tive que rir.
      Agora o que eu fico me perguntando é onde o povo GG de fato compra lingerie… gente, as calcinhas M tão apertadas em mim! Incrível isso.. vou ter que usar calcinha G!

      1. Lucinha respondeu Loli

        Digo o mesmo, tenho comprado calcinhas G ou GG. Comprei algumas na Marisa e todas GG, sendo que devo ter uns 97 de quadril.

        1. marsh respondeu Lucinha

          lucinha, tb fui comprar calcinhas na Marisa e as M ficaram apertadas… e eu sempre fui M! o pior é que com calcinha não tem como experimentar nem como devolver…
          resultado: comprei um monte de calcinha que eu nao posso usar :/
          é dinheiro post no lixo!

    2. Letícia Paiva respondeu Loli

      Na Siberian a “modelagem” é maior mesmo. O P fica grande! O problema é que quase sempre não tem mais PP.

      1. Loli respondeu Letícia Paiva

        Se aumenta a modelagem demais as magras que sofrem. Tenho uma blusa PP da Siberian que fica bem solta, e olha que tenho mais de 70 de cintura.

        1. Ana Carolina respondeu Loli

          Loli, nem é questão de aumentar a modelagem…mas das modelagens serem adequadas a cada tamanho! Esse seria o correto 🙂

  26. Kátia comentou:

    Está cada vez mais dificil mesmo conseguir comprar roupa legal… as marcas pensam que porque estamos acima do peso não temos bom gosto, nao sabemos o que está na moda e o que ficaria bem no nosso corpo. TEm como você ser gordinha e se vestir bem, sem ser com aquelas roupas horríveis que acabamos encontrando somente em lojas de gosto duvidoso.
    Fiquei feliz de saber que você mesmo usando P tenha se sensibilizado em relação às meninas que, como eu usam G e GG.

    Bjsss, bom final de semana!

  27. Lucinha comentou:

    Isso é muito absurdo! Eu também visto 38 e notei que de uns tempos pra cá o número das minhas calças aumentou, e não, eu não engordei.
    Uma loja que eu gosto muito e que ainda tem bons preços, bem justos, e com roupasm bonitas é a Zimpy. Vestidos praticamente só compro lá, porque não passam de R$100,00 nunquinha.
    Tem uma loja no Rio que a modelagem é enoooorme, ganhei um vestido do meu namorado e foi um parto pra conseguir trocar, pois nem o PP servia, ficava grande. É a Scrap, o site é http://www.scraponline.com.br.
    Fica a dica, tem peças bem clássicas e jeans lindos.
    Beijos

    1. Fernanda respondeu Lucinha

      Oi Lucinha…. tbm compro na Zimpy, a maioria das minhas roupas é de lá…. e o preço é justo né… mas lá assim como em algumas lojas do Rio não trabalham mais com G. Ou é tamanho único ou é P e M. Mas lá ainda consigo comprar, se eu engordar um pouquinho já era….hahaha

  28. Marietah comentou:

    Caramba, Ana, você está de parabéns.

    Não tem um ano que descobri o seu blog mas desde então busco entrar diariamente por te achar bastante criativa em suas vestes, o que acaba inevitavelmente me inspirando.

    Só que hoje eu me senti bastante motivada a escrever.

    Como você, também visto 38 (em algumas modelagens, 40). A coisa é tão séria, que, uma vez, até o 36 coube (e olha que não tinha emagrecido). Fico realmente triste quando me dou conta dessa espécie de “coação” implícita em prol de padrões praticamente anoréxicos.

    Como já tive algo próximo a uma anorexia, sei o quanto isso é danoso não apenas fisicamente mas principalmente psicologicamente. Agradeço por estar bem, por ter tido a possibilidade de refletir e me dar conta de que o bonito mesmo era, por mais clichê que possa parecer, me aceitar.

    Não à toa, me entristece saber que se hoje, muitas meninas buscam avidamente corresponder a um padrão 38, desrespeitando o que você mesma mencionou, que é a estrutura mais larga da brasileira. Imagine se isso ganha novos contornos? Hoje o “padrão-modelo” é 38. Amanhã este mesmo “padrão” passar a 36 é absurdo.

    Esta semana mesmo, li em algum site, não recordo, que uma modelo fez um teste de roupa para desfilar e não foi aceita por ter sido considerada “mais encorpada”. A numeração que ela vestia era 38 para uma mulher de 1.76 e 59 quilos, percebeu a discrepância? Onde essa mulher está “encorpada” ? A justificativa era que eles buscavam modelos que vestissem 36. Até pouco tempo atrás, achava que modelos vestiam 38 porque 36, ao meu ver, é tamanho para adolescentes.

    É uma pena essa sutil ditadura. Que possamos ser ainda mais mulheres e não sucumbamos ao que nos violenta, ao que não nos soa natural.

    Beijo Ana e valeu pelas palavras.

    1. Verônica respondeu Marietah

      Ah, eu vi também o caso da modelo!!!! É que todas as roupas que ela experimentava ficava com pernão… aí ela foi cortada… ela disse que pratica esportes e que não vai deixar de praticar pra modelar e que só tem sido chamada para fotografar moda praia!!!

    2. Ana Carolina respondeu Marietah

      Marietah, primeiro: que bom vc estar bem. Pois é, essa sutil ditadura, como vc corretamente mencionou, causa muitos danos psicológicos. Uma pena a indústria considerar mais importante o lucro que o bem-estar das suas clientes.

      Um beijo!

  29. julianodias comentou:

    É uma falta de respeito com todo o consumidor. E alem do mais o mercados de tamanhos “plus size” é o que mais cresce! Muitas marcas tem que rever suas modelagens! Adorei o blog e foi a primeira vez que passei por aqui, gostaria de saber se posso mandar meu look também? E como faço?

    Um beijos sua linda!

  30. Mix comentou:

    Ana, infelizmente a realidade é que as marcas NÃO querem ser representadas por meninas “fora do padrão” – a.k.a normais- e diminuem a modelagem… e isso é velho como muitas meninas disseram acima… infelizmente aqui no Brasil só se faz moda pra nêga magra e esquálida… aí a brasileirada, no nosso lindo mix de etnia e estilo -acabamos todas usando umas roupas estranhas demais no corte e na composição…
    Veja bem, tudo que é lançado fora, vem prá cá como tendência… e em TODAS as lojas… somos obrigadas a usar as roupas que fazem moda lá fora, esquecendo todas as coisas lindas que nossa cultura produz, mesmo pq nossos estilistas só fazem copias do que veem la fora… mesmo o Brasil sendo um poço de influência e de territorio, cultura e historia, estamos fadados a encontrar casacos de pele fake nas araras de tds as lojas como tendência do próximo inverno, ou renda francesa… pra todas essas marcas é tendência também que só modeletes magras usem as roupas- uma coisa meio burra afinal de contas é banido em quase toda Europa meninas muito magras para desfiles… então a marca tupiniquim acha que eh pheeno ter a circunferencia de um pulso no lugar que deveria ser uma coxa, acha que tá tudo dominado copiando o novo mundo e a gte que é GENTE não consegue comprar mais roupa, pq se o que serve na MAIORIA de nós é o chamado plus size e o Brasil não investe neste tipo de moda e aí já viu né? Sobram aquelas lojas de obeso com roupas bizarras – outro absurdo achar que pessoas que realmente são fora do peso devem se vestir com roupas feias- mas aí é outra história…
    Sei q na argentina, devido ao grande histórico de suicidios de mulheres por conta de disturbios alimentares é proibido por lei que se mude o tamanho entre marcas… 38 é 38, 44 é 44 em TODAS as marcas…

    Sei q estamos há ano luz de chegar nisso, mas deixo aqui registrado meu OBRIGADA por vc escrever um post assim. Quem sabe se cada vez mais meninas P comecem a ver que viraram G da noite pro dia, a gte consiga voltar a comprar roupa aqui no Brasil neh?

    um beijo!

    Mix

    1. Mix respondeu Mix

      desculpa, é “copiando o velho mundo”( “acha que tá tudo dominado copiando o novo mundo “)- na ânsia de escrever tudo a gte vai colocando como se estivesse falando…

      1. Loli respondeu Mix

        É isso mesmo, as marcas querem escolher indiretamente quem vai comprar suas roupas, da mesma forma como fazem aumentando absurdamente os preços, como eu falei no comments de outro post aqui no blog.

        1. LIV respondeu Loli

          DISSE TUDO FLOR. NÃO LEMBRO AGORA O NOME DO JORNALISTA QUE AFIRMOU DE A MODA BRASILEIRA NÃO TER PERSONALIDADE POR NÃO VALORIZAR A NOSSA CULTURA E SOMENTE INSPIRAR-SE NA MODA ESTRANGEIRA. NEGA O NOSSO COLORIDO AS MULHERES DE FORMAS VOLUPTUOSAS E EXUBERANTES COMO SE NEGANDO ESSA PECULIARIDADE NOS FIZESSE MAIS ELEGANTES OU CHIQUES.
          ESTAVA FOLHEANDO A REVISTA ELLE ESPECIAL FASHION RIO PRÉT A PORTER DO ANO PASSADO E NUMA PÁGINA SOBRE A TENDçENCIA COLOR BLOCKING APARECE UMA MODELO USANDO UMA CALÇA VERDE . GENTE…HORRÍVEL AS PERNAS DA MULHER PARECEM ATÉ QUE NO MENOR ESFORÇO VÃO PARTIR AO MEIO. SERÁ QUE ESSA MULHER USANDO MINI É OLHADA COM ADMIRAÇÃO E DESEJO NAS RUAS? DUVIDO! POR ISSO AMO MEU COXÃO. MEUS SEIOS VOLUMOSOS E MINHA BUNDA REDONDA E EMPINADA. PRETENDO ESTUDAR MODA JUSTAMENTE PARA VALORIZAR QUEM MERECE SER VALORIZADA E ADMIRADA: A MULHER REAL COMO EU E TODAS VOCÊS QUE AQUI ESTÃO>

  31. Flávia comentou:

    A cada dia tenho mais e mais dificuldade em comprar roupas e sapatos. Já fui manequim 38, 36 e hoje uso 34. Quase nunca acho uma calça que sirva. Tive que parar de comprar na Eclectic porque as calças ficam enormes. Hoje em dia só acho na Zara roupas tamanho 34. No caso dos sapatos, a mesma coisa: calçava 35 e hoje uso 34. As principais lojas nunca têm sapatos 34, e quando reclamo, dizem que só recebem um par de 34 de cada modelo. Acho que PP ou GG, o problema é o mesmo, as modelagens não estão mais atendendo ao biotipo variado da mulher brasileira.

  32. Danielle comentou:

    Acho que, na verdade, sao varios fatores implicados. A unica justificativa para uma mesma loja ter tamanhos tao diferentes eh que eles devem comprar de varias confeccoes. Como nao existe padronizacao de tamanhos, acaba ficando uma bagunca. Outra causa eh que algumas marcas querem ser reconhecidas pelo segmento que querem representar, ou seja, a grife tal so quer que meninas magrelinhas, bronzeadas e “descoladas”usem suas roupas, para criar uma identidade. Isso me cheira a discriminacao, como se as mais cheinhas nao pudessem usar os mesmos modelos que as esqualidas. Visto tamanho 40 e ja comprei calca G que ficou apertada. Perguntei para a gerente da loja se tamanho P era para recem nascido. Acho que ela nao gostou na pergunta…

  33. celia comentou:

    Poxa que bom que tem alguém para dar esta bronca nas confecções, meu manequim sempre foi 44, mais ultimamente, não tenho comprado nada nas minhas lojas preferidas, pois as 44 não esta cabendo mais, e olha que não engordei não, isso me deixa ate deprimida sabia, fico pensando cada vez mais em emagrecer mais ainda, gostei do manifesto. Tenho comprado roupas no Estados Unidos, la o padrão não muda, tem para todos os tamanhos, e olha que agora a maioria das boas lojas nos entregam aqui no Brasil, as lojas tem que começar a rever esse pensamento.

    Bjs

    Amo a suas dicas de compras….

  34. Letícia Paiva comentou:

    Será que não vai melhorar com esse novo “padrão” brasileiro de medidas nas etiquetas?
    Eu sou tamanho 34 e é difícil encontar calças jeans nas fast-fashions que vistam bem. Daí acabo tendo que desembolsar um valor maior por uma simples calça jeans.
    Precisamos de democratização! Tamanhos do PP ao GG – de verdade.

    1. Loli respondeu Letícia Paiva

      Vc deve sofrer, cansei de ir em fast fashion e tudo de bonito que eu acho só tem G e GG… ou a partir de 42…

  35. Ranny comentou:

    É, Ana! A modelagem está cada vez menor. Isso é impressionante e assustador!!

  36. Andrea comentou:

    Olha, os manequins estão diminuindo há tempos, e conto nos dedos de uma mão as marcas que respeitam as mulheres normais, que tem quadril, bunda, etc. Sempre usei 42, mas nos últimos tempos engordei e tive que ir para o 44. Mas o 44 da maioria das marcas mais fashion é um 40 disfarçado!! Principalmente no segmento jeans. Nesse caso, a única que uso, e que mantém a padronagem correta é a Ellus. Recentemente comprei uma calça flare 42 lá que é realmente 42.
    As marcas, ao fazerem isso de não respeitarem as mulheres mais encorpadas, estão simplesmente perdendo clientes. Hoje eu compro a maioria das roupas por sites gringos, especialmente o Asos.com, e as roupas sempre servem, sempre fazem jus à tabela de medidas. Dane-se as marcas brasileiras, que com essa discriminação idiota só vão perder público.

    1. Ana Carolina respondeu Andrea

      Andrea, tentei comprar recentemente na asos mas o esquema de entrega deles com a transportadora super confusa e a taxa de quase 100% do valor do produto me fizeram desistir… 🙁

      1. Andrea respondeu Ana Carolina

        Ana, a dica é comprar itens que custem menos de US$ 50. Esses seguem via Correio, não via a transportadora que cobra as taxas, e a chance de ser taxada cai 99%. É o que tenho feito. beijos e parabéns pelo blog!!

        1. Ana Carolina respondeu Andrea

          Valeu, Andrea! Bj

        2. Verônica respondeu Andrea

          Eu também tenho feito assim!!! O problema é a falta de rastreio… tô com algumas encomendas de agosto e setembro que ainda não chegaram …snif…

    2. Sarah respondeu Andrea

      A Ellus pode até ter mantido os tamanhos “como devem ser” e ter roupas de boa qualidade (os jeans de lá de fato são bonitos e bons), mas os preços estão cada vez maiores. Assim complica a vida.

  37. Fernanda comentou:

    Ana, ótimo post!!!

    Conheço muitas mulheres que vestem G e GG que tem muita dificuldade pra comprar roupa. Eu sou petit, tenho 1,52 e acho dificil encontrar peças P ou PP. Mesmo quando encontro tenho que fazer vários ajustes. Já aconteceu comigo de experimentar uma peça P que ficou gigante, parecendo um G. O fato é que as fábricas não tem um padrão de qualidade e acabam fazendo essa bagunça.

    Bjs

    http://www.soupetit.com

  38. Viviane Moreira comentou:

    Tamanho G falou comigo!!!!
    Sou tamanho g a muito tempo, mesmo quando emagreço sou g, tenho o tal dos ossos largos…rsrsrs….mas é sério!
    Uma vez fui na Marisa e vi uma calça cor de vinho e modelo com boca larga (esqueci o nome) e peguei o meu número na época era 46 (eeebaaaa emagreci desde que comecei a caminhar 20 minutos pra pegar o bus!!!) e quem disse que entrou? Gente não fechava!!!!! E era 46!!!! E era peça única!!!!
    Realmente a tempos não fazem para pessoas maiores, há muito tempo! Tenho uma amiga que fazia a estampa para a forum e segundo ela o próprio Tufi (abafa o caso depois!!!) vinha falar sobre os tamanhos menores, sabe que vc entra nessas lojas de marca e eles não trabalham com numeração acima de 40!!!!
    É minha gente! Nós que somos um pouco fora dos ditos “padrões normais” não veste roupa de gente bacana, ora pelo preço, ora pelo tamanho que não existe em suas lojas!!!!

  39. Viviane Moreira comentou:

    OI! Voltei pois esqueci de comentar sobre o look que ta uma graça! Que vestido mais a sua cara (bem como a saia) e que fotos divertidas e alegres!!!
    Maravilhosa dos pés a cabeça!
    Bjsss

  40. Grace comentou:

    APOIADA!!!!Sugiro,inclusive,que todas as observações sejam encaminhadas ao setor de compras das lojas para que tomem conhecimento que o publico não é tão magrinho quanto os croquis dos estilistas.A vida real é mais gordinha!!
    Bjs

  41. Luiza comentou:

    que look lindão! A cara do conforto, e do estilo também. Adorei 😀

  42. Carol comentou:

    Já desisti de vááááárias lojas q eu comprava antes por causa disso! Na verdade, não tenho mais onde comprar, por, apesar de ser grande, não tenho o biotipo pra comprar em lojas de gordinhas e nas lojas de magrinhas tb nada me serve…

  43. lina comentou:

    Excepcional este seu manifesto. E, apesar da cultura do corpo e da saúde, se você fizer uma estatística, entre 20 mulheres 17 não são P. Não quero dizer com isso que as demais são G ou GG, porém, de acordo com as lojas, principalmente as de shoping, somente existe o P, PP e um M que mais se assemelha a P. È por isso que nas liquidações, pontas de estoque e etc so se encontra PP, P e, praticamente, nenhum G ou GG, tamanhos esses que não encalham. E, tirando a questão de saúde, que deve ser levada à consideração de um médico, ser PP,P ou G, EG, enfim, o que conta mesmo é você se gostar e se amar. A plus size FLÚVIA que o diga. E quanto ao seu look, que graça, tem a sua carinha de menina travessa.

  44. Lorena Santos comentou:

    Ana, Apoio horrores a sua iniciativa e aki em Belo Horizonte o quadro não é diferente e ate acho que aqui temos mais um agravante, não encontramos o tamnho GG,o que eu acho um absurdo a silhueta femina mudou faz tempo e a indústria insiste em não fazer nenhuma questao de sanar esse problema.
    Bom taí tbm um pouco do meu desabafo..

  45. Thais comentou:

    Concordo com você! Uso 36 e P. No final do ano fui comprar um vestido com rendas variadas na própria Dress To pra passar o Reveillon, e o P não fechava. Como não tinha mais o M cheguei em casa e pedi na loja online. Quando o vestido chegou, o que eu esperava aconteceu: deu na cintura, mas na parte de cima ficou enorme porque meu tamanho é P e não M. Tive que levá-lo na costureira, morrendo de medo, pois a parte de cima é toda rendada. Ainda bem que deu certo. As marcas estão mesmo diminuindo os tamanhos sem pensar nas “mulheres reais” que compram os produtos.

  46. Viviane comentou:

    Apoiada, fui em uma loja ( Loany )e pedi para experimentar o tam G e vendedora disse que o deles estava vestindo 40, eu perguntei então se o P caberia na minha filha de seis anos.

    Isto é um absurdo, ainda bem que exista a Karamello, onde sou bem atendida e as roupas ainda seguem a modelagem antiga.

    beijos

  47. Mylena M. comentou:

    Ana, infelizmente, já somos banidas a muito tempo! É dificil achar lojas com roupas legais que tenham tamanhos grandes… e quando a gente acha é meio que “pegou, levou”… se serviu, leva sem nem olhar o preço… porque mesmo que seja caro, a chance de ter mais opções é mínima! Infelizmente isso é muito triste! Desde sempre sou gorda, e assim como boa parte das mulheres brasileiras, ainda por cima, tenho quadril largo e coxa grossa (mesmo se eu emagreço)… é uma dificuldade terrível comprar calças, calcinhas, meias finas e etc… fico imaginando como quem é mais gordo do que eu consegue se vestir, porque eu já acho sofredor! É por conta disso que eu prefiro mandar fazer alguns tipos de roupas, por exemplo: fui comprar uma trench coat, e só achava tamanhos pequenos na minha cidade…e tinha medo de confiar nas medidas da internet… daí um dia eu achei uma loja que tinha até GG, e ele ficava ótimo em mim, mas enquanto o P custava cerca de 100 reais, o GG custava quase 200… aí a moça da loja explicou que tamanhos diferenciados são mais caros (?)… então o que eu fiz? desenhei o modelo que eu queria, comprei o pano que eu queria, e levei na costureira… o trench coat ficou lindo (até mais bonito que o da loja), e me saiu por 60 reais (contando tudo)!
    Daqui a pouco os gordinhos só vão conseguir comprar roupas assim, infelizmente :/

    1. LIV respondeu Mylena M.

      OPA! ACHO QUE JÁ VOU GANHAR UMA CLIENTE! RSRSRSRS! MAS DEIXANDO A BRINCADEIRA DE LADO… TENHO AMIGAS “Gostosas’ COMO ELAS LINDAMENTE SE AUTO DEFINEM QUE FAZEM EXATAMENTE ISSO: COMPRAM TECIDOS E MANDAM FAZER. OUTRO DIA FUI A FORMATURA DE UMA DELAS E FIQUEI BOQUIABERTA COM O VESTIDO QUE ELA ESTAVA USANDO. DE ONDE ERA? UMA COSTUREIRA CONHECIDA NOSSA QUE HAVIA FEITO. FICOU PERFEITA! NÃO TINHA UMA MULHER ALI QUE NÃO TIVESSE BABANDO PELO VESTIDO.

  48. Flavia Siqueira comentou:

    Eu fui numa loja dessas “famosinhas carioquinhas da ZS” e nem vou falar o nome para não afastar vocês..eu estava olhando as araras…já estava estranhando que nenhuma vendedora tinha vindo falar comigo, apenas a gerente veio dar boa noite…depois uma vendedora veio perguntar o que eu estava a procura, e eu falei que já estava olhando. Eu pegava uma peça ela falava “só tem P”, eu pegava outra peça ela dizia “se quiser tem tamanhos”, eu fui me incomodando com aquilo e chamei a gerente e arrasei as duas. Falei que não estava ali pedindo consultoria de nada e que eu estava olhando para presente e não usava qualquer trapo de loja carioca e que se quisessem o SENAC tem variados cursos para quem está ingressando no mercado de trabalho, já que as vendedoras eram totalmente despreparadas e desqualificadas. As outras clientes ficaram totalmente do meu lado e saíram da loja, outras falaram que era realmente desagradável esse tipo de atitude. Nunca mais volto nessa loja..

    Bjo amo seu blog

    1. Lucinha respondeu Flavia Siqueira

      Flávia, diga a loja que assim nem entro nela, é uma informação de interesse público.

      Eu já tive muitos perrengues em uma compra na Dress To, onde duas saias que eu ia levar estavam marcando 40% de desconto e com o valor atual. Na hora de pagar a vendedora disse que não estava com desconto não, e que as etiquetas não valiam, e que eu teria que pagar o valor integral.

      Fiquei p da vida, disse que é um desrespeito com o consumidor, como assim informam um preço que não existe? Conclusão: depois de um tempo argumentando, a gerente disse que eu estava certa e que aqueles eram os valores meso, e a vendedora ficou muito sem graça. Fora que nessa mesma compra fui pagar com o cartão de débito, e ele travou, deu que a transação não foi autorizada. Me olharam com uma cara de fuzilamento, a vendedora na mesma hora ficou séria e foi fazer outras coisas. Pedi cinco minutos, fui no banco, vi que o cartão estava bloqueado e passei a compra. É muito despreparo mesmo dessas vendedoras, parecem que fazem um favor nos atendendo.

      1. Ana Carolina respondeu Lucinha

        Lucinha, gosto demais da Dress to. Compro lá desde qdo era Dress to kill, tanto que fiz a festa na liqui…ainda bem q nunca tive problema nas lojas deles. Tb sou bem atendida na Leeloo. Nem quero jogar marcas especificas na fogueira, acho q o comentário é geral, pela padronização dos tamanhos em todas as lojas das marcas, por alguma regra instituída pela ABNT.
        Uma pena ter ocorrido isso com vc numa loja a gosto tanto…beijocas

        1. Lucinha respondeu Ana Carolina

          Ana, isso foi em uma filial aqui de Niterói. Não piso mais lá nessa filial, agora só compro na Dress To do I Fashion. Não vou deixar de comprar a marca por conta de funcionárias ruins, mas isso me fez mudar de loja para ser bem atendida. Eu também gosto muito da marca, e pessoas antipáticas existem em todo lugar.

  49. Dulce comentou:

    É muito simples, boicote geral às marcas segregacionistas!!! Vamos ver se continuam fazendo G = 38… Sabe a porcentagem das mulheres que usam de 34 a 38? Muuuito pequena. Quero ver essas marcas sobreviverem assim.

    1. CAMILA respondeu Dulce

      BOA DULCE!

  50. suellen comentou:

    Ana,as marcas não querem ter garotas maiores associadas a elas, vc pode conferir que marcas como a enjoy (que está fazendo roupas para mulheres mais maduras) tem uma modelagem maior, já as lojas que tem modelagens menores não querem essa associação!!!

  51. Tania Carla comentou:

    Quanto ao caso que estiver marcando umpreço na etiqueta e a vendedora passar a peça no caixa e falar que é mais cara, vc tem que bater o pé e falar: “Pelo Código do Consumidor o que vale é o preço da etiqueta”. Isso aconteceu com minha amiga que faz Direito, foi isso que ela fez, e levou uma blusa MARAVILHOSA por 5 reais , pois a etiqueta estava errada.

  52. Marinês Brasil comentou:

    Eu concordo plenamente!
    Comprar roupa virou uma tormenta para mim que a algum tempo uso G.
    Não gosta de comprar pois, só de pensar que mesmo experimentando o G esse não vai me servir fico triste. Além de diminuirem a clientela eles diminuem também a auto estima das meninas que usam G.

  53. Giulia comentou:

    Ana, me apaixonei por aquela saia vermelha plissada! Também não me aguentei e fui atrás dela mas nada, sabe me dizer se é coleção nova ou liquida? 🙁

    1. Ana Carolina respondeu Giulia

      Nova, mas voou das lojas 🙁

  54. Oi Ana, nao quero parecer uma pessoa que critica muito o seu pais, pois amo o Brasil, mas esse eh outro assunto (alem do preco exorbitante dos produtos) que eh bastante diferente a realidade brasileira para a realidade dos paises de primeiro mundo. Aqui no UK em qualquer loja meu tamanho eh 16 e eh muito facil encontrar roupa para mim, ja no Brasil era uma dificuldade achar um tamanho 42, 44. Ainda temos que evoluir muito no quesito modelagem, voce G jamais.

  55. Renata Sabino comentou:

    Rola vc dividir a sexta das leitoras pelo sexta – Ëu visto G de verdade!”- Leitoras G mandariam suas fotos com a plaquinha e divulgavam a marca que se preocupa com o tamanho real da mulher!

  56. Beatriz Medeiros comentou:

    Pior são as marcas, tipo Zimpy e Mith, que simplesmente NÃO FAZEM tamanho G.
    As peças são de tamanho único ou vão no máximo até M. Mas PP todo mundo faz…

  57. Fátima comentou:

    Apoio totalmente, e eu que uso 40/42, vou ter que comprar GG? Isso é puro preconceito dessa confecção. Bjocas.

  58. Manu Bento comentou:

    Ana, a roupa tá linda e as fotos mara assim como as que estão no Rio etc.
    O G inexiste há algum tempo por aí. Vai nessas marcas mais menininhas e dá uma olhada. Não tem G que seja G de verdade.
    Esses dias na Eqqus tinha uma calça que ia até o 42. Perguntei o motivo e avendedora disse que só ficava bem nesses corpos. Oi? Quem decide o que fica bom pra quem sou eu. Me dá a licença pra experimentar!

    beijo pra vc!

    http://www.sou-como-voce.blogspot.com

  59. Giovanna comentou:

    Concordo plenamente. Minha irma tem uma loja de roupas e as primeiras pecas a acabarem sao as G e GG, pois essas sao as consumidoras q tem dificuldade de acharem roupas de qualidade e bem cortadas, sendo assim, qdo as encontram elas compram muito. Algumas marcas de roupas estao perdendo um grande filao de consumidoras avidas. Bjs

  60. Hahaha! Fato!
    E se tu for uma gordinha estilosa com coxas grossas, cintura mas ter ombros largos, a solução é sentar e chorar. hahahahahahaha

    Gente… adorei este manifesto. Tá demais isso aí.
    Minha mãe que usa 36 entra nos GG. Daí pergunto: Oi, e eu que sou GG? Faço a moda ‘pelada tudo a mostra que é show’?

  61. Débora Ribeiro comentou:

    Concordo plenamente. Essa ditadura da magreza já deu, modelos esquálidas, anoréxicas que se tornam sonho de corpo pra muitas adolescentes que estão formando opinião e acham q se não estiverem assim não serão aceitas e ainda não conseguem roupas bakanas pra acompanharem a moda pq as lojas teimam em continuar diminuindo os manequins o q incentiva ainda mais as meninas de hoje a querer entrar neste padrão ilusório de “beleza”. Saúde sim, imposição de corpo, nunca!!!

    1. Ana Carolina respondeu Débora Ribeiro

      Concordo totalmente, Débora!

  62. Isso mesmo! Eu que sempre usei calça 40, por exemplo, me vejo comprando calça 44 pra servir direito!!! Vou engrossar as listas do Manifesto Pela Volta do Tamanho G de Verdade!

    Sobre o seu look… lindo!

    Tenho um tênis dourado da Diadora que comprei faz uns 4 anos por R$9,90 na World Tennis (acho que só eu fui louco de comprar, por isso o preço), e tô tentando criar coragem de voltar a usar…

    1. complementando o comentário acima, eu não engordei (pra mudar a calça 40 para 44), pelo contrário… emagreci 7 quilos!!!

  63. Débora Ribeiro comentou:

    Que vestidinho lindo!!Amei! Estampa super fofa.

  64. Noemia Souza comentou:

    Também venho notando isso… sempre usei calça tam 42 e na última vez que tentei comprar uma calça na Marisa, nem a 44 subiu!! Ficou no meio da coxa… fiquei indignada, pois eu não engordei, continuo usando minhas calças 42 tranquilamente… Então, resolvi pegar um vesitinho e o M ficou enorme!! Comprei o P. Ou seja, simplesmente não existe padrão. rs

    bjos!! “)

    1. Ana Carolina respondeu Noemia Souza

      Esse que é o problema, o padrão. Ontem estive de novo na Dress to e tinham vários vestidos G, beeeem maiores que o que eu comprei. Bacana, mas acho que mesmo assim seria melhor se houvesse a tal padronização!

  65. Larissa comentou:

    Cada dia mais difícil achar roupas tamanho G que realmente sejam G.
    Fica tudo apertado, vestindo mal.
    Fora quando não tem G e a gente escuta “essa peça só chegou P e M pra gente”

  66. Cynthia comentou:

    Ana,

    Eu nunca tive corpo de modelo, longe disso. Mas você tb sabe que eu não sou nenhum cúmulo de obesidade. E digo: Meu manequim 42 não serve para vestir roupas G de lojas como Farm, Checklist, Espaço fashion… Elas NÃO ME CABEM!

    E em vez de ficar deprimida e me acabar no chocolate, resolvi aceitar que esse ditadura da magreza é ABSURDA e não sou eu que vou me deixar abalar por isso.
    Mantenho meu estilo garimpando por aí e, na maioria das vezes, pagando mais barato como você bem sabe =P

    Beijos! Saudade!

    1. Ana Carolina respondeu Cynthia

      Zyn, querida!! Que amor te ver por aqui! Muito boa a sua postura. Um beijão cheio de saudade!

      1. Cynthia respondeu Ana Carolina

        <3

  67. Mari comentou:

    Concordo com o que disseram sobre isso ser uma violência sutil, tanto com as Gs quanto as PPs. Mas, sinceramente? Acho mais “grave” o problema que as gordinhas sofrem.
    As marcas plus size estão abocanhando uma fatia de mercado gigantesca indo nessa onda que a maioria das marcas está ignorando. E o pior de tudo é que elas nem sempre se preocupam com qualidade e bom gosto e, com a tal da lei da oferta e da procura, botam um preço abusivo. Como também falaram aí em cima, a pessoa acaba levando sem nem ver o preço, porque é tão difícil achar alguma coisa que fique minimamente bem, que é pegar e levar.
    Deixei de ler o site Chic da Glória Kalil por causa de um texto nojento (desculpe, não achei outra palavra) em que ela praticamente botava a culpa em garotas acima do peso por roubarem o termo “plus size”. Juro que li o texto umas cinco vezes pra ter certeza que não se tratava de uma ironia. E, de verdade, a mulher estava falando sério!
    Ela defendia que meninas que vestem mais que 46 eram obesas e que as lojas que vendiam roupas para esse público não poderiam se denominar fabricantes de moda plus size. Que “coitadas” das meninas que vestiam 42 e 44, que não tinham mais referência.
    Oi?
    Bom, foi só um desabafo.

  68. Laura comentou:

    Nossa, felizmente nunca tive que aturar uma vendedora dizendo que tal peça “tem tamanhos” ou “só tem P” a cada coisa que eu pegasse… ou tb ouvir de alguma que determinada peça “só fica bem em corpos magros” hahah… é rir pra não chorar MESMO!!

    Tento garimpar as peças que uso (sou 40-42), comprar fora, etc, e aqui no Brasil já comprei coisas 46+, e também já entrei em roupas 38… o que prova que, seja pra mais ou pra menos, não há padrão (normalmente, o “erro” do padrão é pra menos, BEM menos) 🙁

    Fiquei até um pouco feliz quando passei na Renner outro dia e vi que havia alguns modelos de calça social com numeração acima de 50, mas tenho minhas dúvidas se aquilo de fato serviria bem numa gordinha, pq a modelagem de lojas fast fashion nem sempre favorece!

    Com relação a lojas de roupinhas bonitinhas e estilosinhas aqui do Rio, shoppings/zona sul, eu meio que já desisti de frequentá-las… quando entro, normalmente meu interesse é algum sapato ou acessório (e na sale, também!), e mesmo assim costumo achar as vendedoras bem pouco amigáveis, todas bem magras e ‘estilo garota zona sul’ elas mesmas 🙁
    Isso sem falar que muitos modelos dessas lojas já não favoreceriam muito as gordinhas, pq têm excesso de babados e coisa e tal… mas eu nem me arrisco a provar, já assumi que essas lojas só vendem roupa pra gente magra e é isso mesmo…

  69. Juliana comentou:

    Você estava linda com esse look Ana!
    As fotos no Rio etc ficaram super divertidas.

    E esse tênis é um espetáculo. 🙂

  70. solange comentou:

    visto 40 e nada da Dress To cabe em mim…adoro as estampas, mas…

    e vc…fez a limpa nas araras da Dress, hein?! Sorte sua ser P…hehehe…

    bjs!

    1. Ana Carolina respondeu solange

      fiz, menina! A Dress to entendeu meus anseios nessa estação, hahaha

  71. Tá aí uma curiosidade que me bateu agora que estava lendo os comentários, e ví algumas meninas se referindo as marcas.
    Quais as marcas que vocês já tiveram problemas para encontrar tamanho G/GG reais?

    As minhas: Farm, Zara, C&A (Na coleção da Gisele Bündchen), Marisa (Principalmente nas camisetas).

    Bjos 🙂

  72. Samanta comentou:

    Amada, olha, esse assunto é mto sério mesmo! Li a respeito de ser criada uma nova padronização, mas que não será obrigatória, apenas opcional.
    Tem lojas que nem entro, porque nem o GG cabe em mim…. e o meu manequim é 42, a blusa M… A gente podia, sei lá, nos organizarmos, nao sei de que forma, mas tá ficando complicado essa modelagem feita na China, viu… Só adolescente magrinha é que vai poder se vestir, se assim continuar…

  73. Dani comentou:

    Essa semana comprei na Dress To uma calça tamanho 34. Como assim? Sempre fui tamanho 38. Aceito um 36 ou um 40. Mas 34? Nem sabia que isso era tamanho de adulto!

    Essa falta de padrão das confecções brasileiras prejudica as vendas on-line. Sempre fico receosa em comprar uma roupa pela internet, pois não sei qual a “modelagem”.

  74. Fernanda comentou:

    Eu procuro não pensar em tamanho, tenho blusas P, M e G, tenho calças 38, 40 e 42, vestido mesma coisa. Mas é absurdo mesmo. Algumas lojas do Rio não trabalham mais com G, é incrível.
    Lindo o vestido Ana!! Comprei esses dias um vestido na Dress To tbm , mas pela internet to esperando chegar, nunca tinha comprado nada de lá. Acho meio carinha, mas na liquidação né.

    Bjos

  75. Andreia comentou:

    Ana, isso que você escreveu é muito sério mesmo.
    Encontro esses problemas de numeração quando vou comprar calças, e há muito tempo tenho deixado de frequentar certas lojas que parecem não aceitar clientes que tenham quadril mais largo ou coxas mais grossas.
    Uso 42 e tenho coxas rolicinhas, totalmente normal pra quem usa essa numeração, né! Mas aí encontro calças 42 que, mesmo tendo uma cintura que acho que dariam em mim, não passam do meio da minha coxa.
    Como assim?! Brasileira tem coxa e bunda! Mas a impressão que dá é que algumas marcas não aceitam essa característica e preferem investir em modelos americanos, que costumam ter as pernas mais finas.

    Logo quando percebi esse problema fiquei muito aborrecida. Depois de um tempão economizando dinheiro pra comprar uma calça “de marca”, fui na Levi’s e quase chorei com o tratamento que recebi. Além de ter sido péssimamente atendida, nada de lá me servia, e as vendedoras me olhavam com aquela cara que as meninas aí em cima já disseram de “quer vestir roupa boa então emagrece, né, gordinha!”. E o pior de tudo foi ver a diferença de tratamento de quando voltei à mesma loja para acompanhar a minha irmã, que é magrinha e veste 38, a comprar uma calça pra ela.

    Foi péssimo, mas sinceramente eu acho que quem mais perde são as lojas, que cada vez mais perdem clientela. Isso porque eu nunca mais perdi meu tempo lá, e acredito que quem passa por uma situação dessas também não.

    Hoje quando vou comprar jeans já procuro em lojas certas, que sei que aceitam minhas coxas e meu quadril como eles são! Aliás, fica a dica pras meninas que tem a mesma dificuldade que eu (especialmente as do ES, já que acho que essas marcas não são muito conhecidas fora do Estado): procurem jeans na Presidium e Missbella (Essa última tem me decepcionado um pouco ultimamente, mas ainda continua com a padronagem de tamanhos razoável), pois lá sempre tem roupas bonitas e com tamanhos democráticos.

    Beijos!

    1. Ana Carolina respondeu Andreia

      Que absurdo, Andreia…as marcas não percebem a importância da experiência da compra. Uma lástima…

    2. Glauce respondeu Andreia

      Obrigada, Andreia! Só tenho 2 calças jeans porque desisti de comprar, o sofrimento é sempre o mesmo, entro em umas 10 lojas, projo 20 marcas diferentes e nunca dá certo, daí desisto do jeans. Minhas pernas são grossas e qdo acho calça q caiba nas pernas ficam dançando próximo à cintura, fica frouxo no restante…

  76. Amanda comentou:

    Oi, Ana!

    Acredito que o problema de modelagem seja para as duas pontas: o G e o PP. Eu sou P, PP, 34 ou “o menor que tiver” e é igualmente difícil encontrar roupas, principalmente jeans que não dê papo no bumbum ou um vestido que eu não suma dentro dele.

    De modo geral, as medidas das brasileiras aumentaram mesmo e por isso me surpreendi com seu post, até então pensava que só para as pequeninas como eu era cotidiano não achar roupas dentro do padrão do tamanho. Mas se o problema está sendo tanto com as maiores, quanto com as menores tem alguma coisa errada, né?

    Como você tem mais meios do que eu para reclamar disso, peço que inclua também a disparidade dos tamanhos menores. 🙂

    Beijos!

  77. Ana Flávia comentou:

    É quase impossível achar roupa pra gordinhas. Precisei comprar um short pq como engordei não tinha nenhum short que servia. Foi mto dificil achar uma coisa servisse. Eu visto 42/44, tenho bumbum grande e coxas grossas. Sofro. Além disso tenho seios grandes…

  78. Ana Flávia comentou:

    Mas acho que não tá fácil pra ninguem, nem pras magrinhas. Tenho seios grandes, sutia 46 e outro dia comprei uma blusa pp na riachuelo. PP???? Serviu direitinho, ficou ótima.

  79. Daniele comentou:

    Oi, descobri o blog há pouco tempo, mas me apaixonei, primeiro pela sua simpatia, depois por comprar roupas reais, pq dá 400 reais numa blusa de marca não é para grande parte da população brasileira, além de muitas vezes a qualidade ser péssima. Sobre o manifesto eu apoio, tem lojas que nem entro, só olhar as vendedoras: magras em excesso. É difícil eu achar roupas: tenho seios fartos, bunda grande, coxa grande, tem roupa que ao experimentar não passa das pernas ou então fica extremamente apertada (fora que fazem aquele cós da calça extremamente baixa!!!). Tenho uma amiga bem magrinha que sofre tb ao comprar roupa, procura na sessão infantil ou manda fazer. Infelizmente o mercado brasileiro não atende as suas consumidoras, se olharmos em sites estrangeiros ou até mesmo só fotos de famosos vemos roupas lindas. Lojas façam roupas que caibam em pessoas reais, não num manequim!!!!!!!!

    1. Ana Carolina respondeu Daniele

      Muito bom o q vc escreveu, Dani. É isso mesmo!

  80. nina comentou:

    Ana, isso é realmente algo sério, e que precisa ser falado, tratado, repensado e mudado, pq do jeito que tá, essa imposição de um padrão estético, está tomando proporções incríveis, e definitivamente tem expulsado as mulheres com quadril acima dos 90 cm. das lojas (aliás, não só quadril, mas busto acima dos 90, e por ai vai)… não consigo entender! Sério! Poxa, passo por um perrengue, pois tenho 1,80 e engordei 10 kilos após um tratamento, agora peso 74 kilos e não acho calça prá mim, pois ficam curtas, ou não cabem – estou usando 42/44. Qd entro nas lojas, oq vejo é um 40 modesto, quase querendo ser 38; 42 não tem, e 44, valha me Deus, é PLUS SIZE??? OI???? afffff… Daí saio da loja revoltada, e fico chateada tb, pq não rola comprar algo que não cai bem e não me deixa confortável…não rola!
    Enfim, espero mesmo que um dia a padronagem nacional seja mesmo condizente com o que deve ser, pq isso não tem ocorrido, e definitivamente, isso prova o qt a moda nacional, é de fato fraca, despreparada, e não conhece o consumidor brasileiro… além de sinceramente, chegar ao desrespeito… hunf!
    Bom, é isso! ESpero mesmo que repensem e poxa, façam ai uma pesquisa de mercado decente po, não é tãaaaaao impossível isso! hunf! Kd o planejamento dessas marcas???
    Bjos Ana, amei o vestido!

    1. Ana Carolina respondeu nina

      justamente, cade o planejamento? 🙁

    2. CAMILA respondeu nina

      e a net cada vez mais democrática…

  81. Vanessa comentou:

    Olá Ana, acesso seu blog diariamente e apesar de não comentar é muito inspirados, afinal prova que não precisa gastar horrores e estar vestida com roupas de grifes das cabeças aos pés para estar bem vestida. E você prova que estilo não se faz com roupas de marcas é muito mais que isso.
    Agora quanto aos tamanhos realmente atualmente comprar principalmente calças se tornou uma tarefa complicada, já usei 36 e engordei um pouco e passei a usar 38, porém, agora estou usando 40 e até 42 se tem engordado, e o mais irônico é que tenho calças 36 de antes de engordar que ainda me servem perfeitamente. É revoltante perceber que o mercado brasileiro não se preocupa em atender suas consumidoras, com suas características, todas sabemos que brasileiras tem quadril largo, e isso deveria ser levado em consideração na hora de determinar os tamanhos. Acredito que o que Ana sugeriu seja o correto ABNT deveria fazer algo em relação a isso.

    1. Ana Carolina respondeu Vanessa

      Sim, a ABNT deveria instituir isso como REGRA! E LEI!!!

  82. Vanessa comentou:

    Outra coisa que gostaria de comentar não tem nada haver com os tamanhos, mas sim com o tratamento que as ditas lojas de departamento estão dando aos seu clientes. Vou relatar algo que aconteceu comigo duas vezes na primeira achei que poderia acontecer mas duas vezes não, o que aconteceu foi o seguinte a Marisa estava em liquidação e como sou uma rata de liquidação é claro que não podia passar essa oportunidade, queria fazia algum tempo uma calça flare, aproveitei para comprar nesta promoção remarcada por R$ 29.90 peguei dois números 36 e 40, pois, não tinha o 38 a 36 não fechou levei a 40, porém, não percebi que 40 não estava com a etiqueta da remarcação e fui pagar no caixa, quando cheguei no caixa surpresa a calça passou por R$ 59,90, falei que ela estava em promoção e a caixa não acreditou foi procurar a outra no provador e não achou tive que eu ir atrás da calça e fui muito mal atendida pelas vendedoras que não queriam me ajudar a achar a bendita da calça já estava quase desistindo quando por um milagre encontrei e levei para a caixa e claro o preço era R$ 29,90. Esse dia passou e desencanei, porém, outro resolvi da uma passada e fiz uns achadinhos uma calça jeans e uma saia de poá de 59,90 por R$ 15,90, qual não foi minha surpresa ao chegar para pagar e a caixa soltar de forma sarcástica essa saia esta em promoção mesmo? ela estava o que achando que troquei a etiqueta no provador antes de vim pagar, sinceramente este dia faltou pouco para largar tudo ali e virar as costas e ir embora, para piorar a situação a gerente senão me engano passou e ela gritou fulana esta saia esta este preço mesmo, e claro a gerente confirmou. Paguei mas fui embora pensando como as funcionários destas lojas podem desrespeitar tanto seus clientes. Fiquei realmente muito decepcionada, pois, gosto muito de comprar na Marisa, porém, naquela loja não não volto.

    1. Ana Carolina respondeu Vanessa

      que absurdo, Vanessa! Falta treinamento e bom senso pra essas pessoas…

  83. Anaide comentou:

    Ana,

    Meu tamanho normalmente é 44, veste como uma luva e por isso compro até calça sem experimentar, dependedo do modelo. Daí resolvi comprar nesta última liquidação da Renner, pela internet, 4 calças, todas 44. Três vestiram perfeitamente, a quarta, ficouuns 4 dedos curta e nem fechou na cintura. Fui na loja fazer a troca e nas araras apenas tamanhos 36 e 38. Peguei um vale troca para usar depois… Padrão, pra quê????

  84. Jurema Celestina comentou:

    Engraçado o povo falando que sempre vestiu 38 e agora tá no 42, que as modelagens tão diminuindo.. desde que me entendo por gente (desde os 15 anos, tenho 27) eu visto o mesmo tamanho. Minha cintura continua igual, então não engordei nem emagreci. 80% das minhas roupas são P ou 38, mas o problema é a variação. As marcas precisam padronizar urgentemente os tamanhos. Seria bom até pra elas, porque eu tenho medo de comprar roupa pela internet e comprar um P que na verdade é PP, um 38 que na verdade é 40. Outro dia eu fui numa loja de departamento (C&A eu acho), peguei 2 shorts 38 pra experimentar, os dois da MESMA marca e MESMO modelo, só mudavam as cores, um serviu e o outro não!! Como assim?? Atualmente visto PP, P e M, dependendo da marca, e calça de 36 a 42 … insanidade total.

  85. Paulinha W comentou:

    Uma loja que tem modelagem grande é a Maria Filó…Já vesti 44 e hoje to no 40 mas continuo cabendo em tudo de lá mas variando de P ao G…O que mata é o preçito! =)

  86. Consuelo comentou:

    Apoiado, Ana. Que tal entrarmos nas fan pages das marcas no FB e postarmos comentários exigindo que os tamanhos correspondam às reais medidas? Seria um bom movimento e com certeza traria adeptos. Bjs

  87. renata martins comentou:

    Esses dias comprei uma camisa na C&A tamanho G, que qdo minha mãe viu ficou apavorada, por ser tão pequena. Tenho 1,64 e 59 quilos, acho que to longe de ser uma pessoa G…. rs
    Não são todas as roupas das lojas que são assim, mas é bem estranho achar (mesmo que seja uma, G tem que ser G, P tem que ser P e ponto). Acho válido essa manifestação, contem com meu apoio.
    Bjs

  88. Samantha comentou:

    Eu não concordo muito não….Isso nãa acontece em todas as lojas. Visto 34, fui na espaco fashion e comprei uma saia p pra mim e tive que diminuir 20 cm da largura da saia…eles estão aumentando muito a forma…minha mãe veste 40/42 e comprou um short 36 na espaco fashion!!

    1. Ana Carolina respondeu Samantha

      isso é modelagem indefinida, Samantha. Quem veste 36 deveria realmente ser alguém 36, né? Assim todo mundo saberia sua medida certinho para todas as lojas!

  89. Lual comentou:

    me identifiquei muito com esse posto. já sou tamanho G e GG há um tempão nessas lojas tipo Farm, Dress to, Maria filó, etc. E mesmo assim, a maioria das peças fica curta demais. Deve ser por isso que quase não entro mais nessas lojas… Sou praticamente induzida a dar preferência às fast shops justamente pq lá ainda encontro esses tamanhos. Mas outro dia eu me vi experimentando shortinhos tam. 46 e 48 na Renner e ficando apertados! Gente, minha mãe sempre usou 46/48 e eu tô longe de ter o manequim dela. Tá tudo errado mesmo.

  90. Juliana Correia comentou:

    Ana, adorei o seu post! Sinceramente, isso é uma coisa que eu tenho observado… Ano passado eu estava pesando noventa e oito quilos e vestindo cinquenta e quatro. Isso significava que eu só conseguia comprar roupas em lojas especializadas – e roupas de gente muito mais velha do que eu, que tinha vinte e dois anos e amava moda e lia mil blogs de moda e queria andar bem bonita por aí. Aí resolvi fazer dieta. Perdi trinta quilos. Tô vestindo 42. Mas ainda entro nas lojas e dou uma sofrida.. Tem marca que só tem jeans até 42 e com umas cintura mega baixas e aí não cabem, tem loja que eu tenho vestido tamanho P e já deixei de ter blusa porque a G não cabia… 30 quilos depois as coisas ficaram mais fáceis mas eu continuo ainda sofrendo, ainda querendo vestir algumas roupas e não podendo…
    Acredito que moda é expressão. Escolhemos a roupa pra transmitir uma mensagem, expressar um tantinho de quem somos e do que gostamos e quando as marcas não nos dão a opção de caber em suas roupas estão não só nos discriminando – e perdendo dinheiro com potenciais compradores- como cerceando a nossa liberdade.
    Fora isso, que se manifeste quem nunca teve uma auto-estima minada por uma vendedora que atendeu com muita má vontade achando que você não cabia nas roupas que queria… Ou pediu um tamanho e ganhou um maior… Enfins.

  91. É.. principalmente lojas mais acessíveis, como Marisa, Riachuelo, etc… os tamanhos são menores.

    Tenho 1,82 e uso 46… imaginem a minha dor. Infelizmente o “off” acaba não servindo. Aí é apelar pra marca mais cara, ou seja, mais caro.

    Os vestidos são sempre blusas… hahaha

    besos

  92. Gabriela comentou:

    Adorei seu manifesto e assino em baixo!
    Eu uso 44 por que tenho quadril largo. As vezes tenho que comprar calça bem acima do meu número porque o 44 das lojas estão mais com cara de 38!

  93. Luciana comentou:

    Renata, concordo com vc, é um absurdo enorme as modelagens brasileiras. O mercado de moda brasileiro, utiliza o padrão chinês para a confecção de moda. É RIDICULO sempre saio muito deprimida das lojas, estou acima do peso sim eu sei, mas amo moda e não é justo com quem está acima do peso, para ter que se vestir com um minimo de decência tenha que pagar tão mais caro do quem tem tamanhos menores. É revoltante demais……Não existe uma moda bem feita para os tamanhos maiores(claro se vc puder pagar mais de R$ 300 em um vestido, até que acha alguma coisa mais ou menos, mais moda mesmo ficamos bem longe. Olha me desculpem as meninas de tamanhos menores, mas isso tem que começar a atingir vcs tb, para que manisfestos como esse começem cada dia mais a surgirem, e as empresas brasileiras comecem a enxergar que existe um mercado extremamente carente de uma moda BRASILEIRA. Não somos nós que temos que viver frustradas com nosso manequim, e sim as empresas começarem a seguir os bons exemplos dos outros paises, moda para todos os gostos, todos os bolsos e todos os corpos.
    Ana mto obrigada por este post, peço a todos que divulguem e exijam cada vez mais de respeito das empresas que vivem de nosso dinheiro, e devem respeitar nossos salários tão suados e se adequarem a realizadade da mulher do BRASIL. Abços Luciana.

  94. Marina comentou:

    Pelo número de comentários fica claro que as marcas estão precisando acordar, né? Sou antenada em moda e gorda desde sempre. Minha opinião sobre o assunto é bem simples: não precisamos de lojas especializadas em nada: em sapatos maiores ou menores, em roupas para obesos ou para quem é muito magro…o legal é todo mundo pode ESCOLHER: do PPP ao GGG. Dea cordo com o que gosta e com o que lhe cai bem. Bj!!!

    1. Ana Carolina respondeu Marina

      Pois é, seria muito bom se fosse assim! 🙁

  95. Mila Montini comentou:

    A norma NBR 13.377 foi criada e aprovada justamente para isso: padronizar os tamanhos das roupas. Para o G ser G, o M ser M, etc. Mas como ela não é obrigatória, são pouquissimos os fabricantes que a adotam.
    No entanto, a Norma não vai obrigar que a grade vá do PP ao GG… quem dirá ao XGG… Porque não interessa à indústria da moda que aquela roupa caríssima fique “feio” em uma pessoa que não está adequada ao perfil que a mídia vende: magérrimos!
    Quanto aos tamanhos “especiais” há ainda a vontade de ganhar dinheiro fácil: quem é XGG sabe que quando encontra roupas que “cabem” compra mesmo, sem se preocupar muito com o preço…
    Então temos falta de exigência de normas, falta de interesse da indústria da moda e interesse em manter o status quo de quem ganha dinheiro com as minorias…
    É isso aí.

    1. Ana Carolina respondeu Mila Montini

      Mila, justamente, sei que a ABNT tinha essa padronização, mas que não é item obrigatório. Porque em teoria uma roupa G não ser exatamente um G, não vai causar doenças ou morte, coisa que ocorre com um produto que não especifica se contém glúten, por ex. Mas acho que causa tantos estragos quanto. Lamentável…

  96. Glauce comentou:

    Além de várias marcas não padronizarem, algumas estão realmente diminuindo os tamanhos. Eu tenho 4 vestidos da Antix, um mais antigo, tamanho P, outro tamanho M de uma coleção intermediária e 2 tamanho G da nova coleção. Não fui eu que engordei, pois todos servem em mim, inclusive o P continua do mesmo jeito. Meu manequim é 40/42 – que eu também não sei exatamente porque nunca são o mesmo tamanho, e outro dia fui na Hering e provei um jeans 44 q ficava apertado, desisti e fui embora.
    Sua ideia é apoiada por 70% da população brasileira – se não for mais! =) Bjos!

    1. Angelina respondeu Glauce

      Glauce, juro que não entendo a Hering! Tenho muita coisa de lá, mas os tamanhos são bem doidos. Eu uso tamanho 44, e tenho um short jeans de lá que é 42, um outro que é 44, tenho bermudas, 42 também, tenho calças jeans que servem perfeitamente no tamanho 44, outras 46, mas são do mesmo tamanho. Blusas então, tenho P, M, G, vestidos M e G do só que do mesmo tamanho. Lá é só provando mesmo, principalmente pela variedade de modelos. Uma regata vai vestir diferente de uma bata soltinha, um jeans boyfriend vai vestir diferente de um skinny.
      E varia por loja também. Na minha cidade natal é mais fácil, por exemplo, de encontrar camisetas masculinas mais larguinhas, e na cidade onde eu moro é mais fácil achar os modelos mais justos (o gerente falou pro meu namorado que alguns modelos variam pela venda mesmo). Varia até da loja de rua pra loja de shopping, em ambas as cidades. Estranho…né?

  97. Angelina comentou:

    Quer saber o tamanho real da brasileira? É fácil:

    -Espere uma liquidação em qualquer loja (de roupa, lingerie, tanto faz)
    -Vá até a loja quase no final da liquidação
    -Procure nas araras quais os números que mais sobraram

    Adivinha? P, P, P, P, P e P, um ou dois M, nenhum G, nenhum GG…

    Tã-dã!

  98. Marcela comentou:

    Tb acho um absurdo falta de padrão que a gente vê nas modelagens das roupas!
    Visto 42 (na teoria), mas na prática, tenho roupas desde o tamanho M até o GG, e calças do 42 ao 50! Totalmente sem padrão. tomara que um dia realmente isso mude…

  99. Stephani comentou:

    ola olha eu so tenho 17 anos e ja venho passando por essa frustaçao a tempos=( ainda mais na minha idade quando eu quero estar no meu melhor e atraente e na moda , hoje mesmo fui a marisa a procura de uma calça da marca sawari (gosto da marca pois ela modela o corpo) e tinha umas 6 araras cheias de calças,procurei uma por uma adivinha quais numeros eram a maioria? 36,38 o_o se eu achei um numero 44 foi ate sorte,(detalhe eu uso 46 mas dependendo do modelo uso 48) fiquei revoltada!!! fiquei pensando genteeee isso aquii e brasill pais onde as mulheres tem curvas de todos os tipos nao existem so pessoas que usam 38 pelo amor de deus e so voce para e observar as mulheres na rua unfff ja chorei e fiquei deprimida varias vezes por isso sei que e futil mas isso realmente machuca ainda mais eu que estou na adolescencia….. espero que as industrias vejam isso dai direito pq ja ta passando dos limites nao e porque sou gordinha que tenho que me vestir de qualquer geito =(

  100. Cássia Lopes comentou:

    Ana, comofaz pra esse manifesto se espalhar? Não sei como as marcas perdem tantas clientes com essa falta de padronização. Agora estou mais gordinha visto 42 ou 44, depende da peça e da modelagem. Mas não consigo encontrar roupas legais com um preço justo. Sou do tipo ampulheta, quadris mais largos e cintura mais fina. Pense na dificuldade de achar calça jeans. Compro mas sempre sobra na cintura, aí coloco um cinto e fico meio “pamonha” sabe?! E sem chance de pagar 300 contos de réis numa calça que vai ficar legal. Mas é isso, como sua leitora dou o maior apoio ao manifesto. Bjs.

    1. Ana Carolina respondeu Cássia Lopes

      Cássia, muitas marcas leem meu blog pelo q eu sei. Espero que repassem isso. De qualquer maneira, to pensando em como ampliar o manifesto…quero conversar com algumas pessoas da área e entender mais como fazer isso de uma forma bacana pra todos. Beijos!

  101. Letícia comentou:

    To aqui pra “assinar” o seu manifesto!
    Sou a favor do tamanho correto, aquele padronizado pelas normas da ABNT. Assim, cada um será o que é de verdade!

    Apoiado!!!

  102. Gabriela comentou:

    Pior do que não ter a numeração, é o fato de que a modelagem das roupas é baseada em mulheres tábuas…
    Meu tamanho de claça é 42 e nos últimos anos tem sido praticamente encontrar uma calça que fique bonita em meu corpo, pois tenho quadril largo e sou bunduda da perna grossa…
    Quando a calça não fica repuxada, ela sobra e fica parecendo um saco…
    Isso é ridículo!
    A roupa tem que ser feita baseada numa médias da medidas das brasileiras e não em um padrão que não tem nada a ver com mulheres “reais”.
    Por isso que não passo nem na porta de lojas como M. Officer, Pink & Co, Farm, Khelf… Você se sente até mal quando pede uma calça 42 e eles não tem ou então quando o “42” trava nas pernas… =/

  103. Laura comentou:

    Economicamente essa indústria não faz o menor sentido! As lojas estão perdendo muito dinheiro com essa fatia de mercado que fica a ver navios… A Renner fez uma arara plus size que é ridícula, com meia dúzia de modelos… Todas as peças deveriam vir numa escala real com PP, M, G e GG, o Brasil é um país de dimensões continentais, tem gente de tudo que é biotipo… As magrinhas até conseguem comprar na sessão infantil, mas e as gordinhas? A Zara é outra que é fora da realidade, marca como GG as peças que são para tamanho M. No meu guarda-roupa tenho roupa P até GG, 42 até 46, e não sou obesa! Tem alguma coisa muito errada!

  104. LYAH comentou:

    NOSSA! PENSEI QUE SÓ EU HAVIA PASSADO POR ISSO. O QUE TENHO DE PEÇAS G NO ARMÁRIO… NA COMPRA DE UMA DELAS PERGUNTEI” SE EU QUE NÃO SOU TÃO GORDINHA ESTOU USANDO G E AS MULHERES QUE SÃO MAIS CHEINHAS USA O QUÊ?” A VENDEDORA DEU UM SORRISO AMARELO E COM A CARA DE TÉDIO RESPONDEU: “NÃO TRABALHAMOS COM MODELAGEM PLUS SIZE!” AH! RAIVA!
    ISSO SÃO AS ROUPAS E OS SAPATOS? TENHO SAPATOS 34. 35 E 36. NEM SEMPRE OS SAPATOS MAIS BACANAS CHEGA AQUI EM MINHA CIDADE SE ENCONTRO UM NOS E-COMMERCE NÃO ME ARRISCO, AFINAL USO TRÊS NUMERAÇÕES DIFERENTES.

  105. maga comentou:

    A RENATA EXPRESSOU QUE TEM 1,64 COM 59 QUILOS. EU TENHO 1,50 E 52 QUILOS. TEM CONDIÇÕES DE EU USAR G? POIS OD DITOS MÉDIOS APERTAM E O P NEM SOBE (CALÇA) NEM DESCEM (BLUSAS E VESTIDOS) PRECISA COMENTAR OS COMPRIMENTOS?

  106. Cah comentou:

    Quem é tipo mignon também sofre. As roupas também não são feitas para pessoas magras e baixa, só para padrão de modelo. Eu tenho 1,50m e peso 42 kg, achar roupa é difícil. Tem que torcer pra ter PP, o que é raro, o conhecer uma boa costureira e mandar ajustar tudo. Admito que a diminuição da modelagem das roupas tem me ajudado, antes só me serviam calças tamanho 34, que não tem em todas as lojas, agora consigo usar 36 na maioria delas, o que facilita bastante.

    Beijo

  107. clarissa comentou:

    pois é, minha flor… eu já estive dos 2 lados… era 44-46 e nada me servia NADA!! hoje, 30kg mais magra virei 34-36 e TUDO fica grande… na folic, que eu adoro, a calça 36 entra fechada… não, não tem 34..na Fam eu nem entro pq é tudo grande, na dress to e na espaço fashion eu acho roupas do meu tamanho,principalmente blusas, a ellus tá enorme, o 34 fica bom, mas nunca tem…a m.officer é imensa… quando eu tava gordinha comprava muito lá.. ficadica.
    a forum é excelente pra quem não em bunda como eu, compro calça lá, antes a 44 nem passava os joelhosaoraa 36 fica boa… sugiro um manifesto no face e twitter para tamanho-padrão co medida quadril, cintura, cavas e cavalos padronizados… ah, bojo de sutiã…eu não tenho peito e comprei um sutiã 44 na hope…de isso ? bjo de fã pra ti

  108. Glaucia comentou:

    Também acho isso um absurdo eu sempre vesti 38, dei uma engorda e fui para o 40 hoje voltei ao 38, fui na c&a compras short jeans, vesti uns 36, outros 38 e outros, 40. Todos ficaram bons como assim? uma pessoa não pode vestir 3 números, acho que hoje têm muita ditadura e acho que vocês foram singelas falando que a ditadura é 36, não a ditadura hoje é 34, numero que usei quando tinha meus 10 anos, hoje é normal, pela amor de deus. Todas as mulheres querem vestir seu numero certo, pois é muita vergonha você comprar uma roupa com a modelagem grande e se enganar achando que emagreceu e depois pedir aquele numero em outra loja e não servir ainda tem a vendedora te olhando com cara “de nossa você é gorda”.
    Pela amor de deus eu tenho 1,69 e peso 60 kg. Eu não sou gorda é o padrão da moda que é pequeno demais, espero que um dia isso mude e que todas as pessoas tanto as 34 quantos as 46 possam comprar na mesma loja sem distinção.

  109. Anah comentou:

    Eu sei bem isso viu,Ana!
    Tenho 1,74 de altura e pra achar uma calça é um via-crúcis… Meu manequim é 42 eu não consigo achar uma calça que fique boa no comprimento e na cintura ao mesmo tempo. Se acho uma que no comprimento fica bem em mim o tamanho é 46, e quando a calça fica boa na cintura, a barra vai parar na minha canela… E tem mais, as calças de tamanho 42′ estão virando 38!!!
    É um absurdo!!!

  110. Dani comentou:

    Ola meninas,
    Tenho 1.72 alt e visto manequim 42/44… vi um vestido da Espaço Fashion tamb G e me apaixonei, parece que ele estica. O que me dizem, não me lembro de ter nada da marca por isso n ão sei qual tamanho me serveria. Ja Dress to meus vestidos são G.
    Aguardo algum anjo me responder.

    Beijos!!